Rendimento bruto

O investidor está sempre em busca do melhor rendimento nos seus investimentos para conseguir melhores lucros. Mas nem sempre se atenta para analisar o rendimento bruto e líquido das aplicações.

Entender o conceito de rendimento bruto e rendimento líquido é fundamental para entender que opções de investimento são mais vantajosas.

O rendimento bruto dos investimentos é o rendimento com a rentabilidade da aplicação, sem as deduções de taxas e impostos. Dessa forma, não é o rendimento final que o investidor terá.

Na maioria das vezes o produto financeiro irá informar qual será o rendimento bruto da aplicação. Já que é dada uma taxa de retorno bruta, seja certa ou esperada.

Quando comparamos produtos iguais ou semelhantes, apenas com a informação do rendimento bruto já é possível para saber qual é o mais rentável.

Por exemplo, um CDB rende 80% do CDI e outro rende 90% do CDI. É dada ao investidor apenas a taxa de retorno bruta do investimento. Mas, já que ambos são CDBs, sabemos que o segundo é mais rentável. Isso porque, por serem CDBs, incidem sobre os dois as mesmas taxas e impostos.

Produtos da mesma classe de ativos possuem impostos iguais e taxas semelhantes. Sendo possível fazer comparações aproximadas de rentabilidade bruta entre eles. Mas é preciso ficar atento às taxas.

No mesmo exemplo, podemos comparar o CDB que rende 90% do CDI com o título do tesouro Tesouro Selic, que rende 100% do CDI. Por ambos serem aplicações de renda fixa, possuem o mesmo imposto de renda.

Porém, no Tesouro Direto ainda é preciso considerar a taxa de administração da corretora e a custódia do título que é paga a B3.

Rendimento Bruto versus Líquido

Rendimento bruto

Como vimos acima, a partir do rendimento bruto é possível comparar rentabilidades de produtos iguais ou muito semelhantes. Mas, para saber o quanto de fato o investidor terá com a aplicação, é preciso calcular o rendimento líquido.

O rendimento líquido nada mais é do que o rendimento bruto deduzido de taxas e impostos. O que de fato fica com o investidor. Por isso, a melhor forma de analisar qual é a aplicação mais rentável é comparando os rendimentos líquidos.

O que mais muda o resultado são as alíquotas de imposto. De forma que não se pode comparar produtos isentos de impostos diretamente com produtos tributáveis.

Uma LCI/LCA que rende 80% do CDI em um ano será mais rentável do que um CDB que rende 85% do CDI em um ano. Isso porque a LCI não é tributada, enquanto o CDB será tributado em 20%.

Para comparar o rendimento de produtos de classes  de ativos diferentes também é preciso calcular a rentabilidade líquida. Isso porque as tributações são diferentes. Por exemplo, os impostos de renda variável e renda fixa são diferentes e as taxas envolvidas também são outras.

Por isso, é preciso ficar atento ao comparar taxas de rentabilidade de produtos diferentes, pois as taxas de rentabilidade brutas só mostraram o rendimento bruto. Ou seja, não dirão quais são os investimentos que terão a melhor rentabilidade líquida, que é o que mais importa para o investidor.

Compartilhe a sua opinião
Tiago Reis

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.