Por: Tiago Reis

Entenda os detalhes sobre o que é e como funciona a receita líquida

A receita líquida é a quantidade de dinheiro que uma empresa  recebe durante um determinado período, incluindo descontos e deduções para mercadorias devolvidas. No demonstrativo de resultados, ela é a linha superior a partir da qual os custos e despesas são subtraídos para formar o lucro líquido.

A receita líquida pode ser calculada multiplicando o preço pelos quais os bens ou serviços são vendidos pelo numero de unidades efetivamente vendidas.

Entendendo mais sobre a receita líquida

A receita é considerada a quantidade de dinheiro que é trazida para uma empresa a partir das suas atividades operacionais.

A receita é um componente que faz parte do regime de competência e portanto, poderá ser efetivada a partir de vendas realizadas a vista ou a crédito, contanto que os bens ou serviços tenham sido realmente entregues aos clientes.

É por esse motivo que a verificação do demonstrativo de fluxo de caixa se torna fundamental numa análise de resultados, pois é a partir dele que verificamos se realmente está entrando dinheiro no caixa da empresa de modo a sustentar as suas operações.

No regime de competência, quando um cliente paga uma empresa antecipadamente é reconhecido um “recibo” que não pode ser considerado receita. Desse modo, é possível ter recibos sem que a receita seja reconhecida, basta que o cliente antecipe o pagamento de um bem ou serviço antes mesmo dele ser efetivamente realizado, dessa forma, essa atividade levará um recibo, porém, não será reconhecida como receita.

Como foi dito, as despesas são sempre deduzidas da receita para que se obtenha o lucro líquido de uma empresa. Então, as duas principais estratégias para aumentar o lucro de uma companhia são aumentando as receitas e/ou reduzindo os custos de produção da empresa.

É perfeitamente possível que com ganhos de produtividade, o lucro líquido cresça, enquanto a receita permaneça estagnada, esse feito é realizado a partir de uma estratégia de cortes de custos desnecessários. Nesses casos o que ocorre são ganhos de margem de lucro que podem ser muito importantes para a perenidade do negócio no longo prazo.

As subdivisões da receita

A receita de uma empresa pode ser subdividida de acordo com as divisões que a geram. Por exemplo, um departamento de veículos de carga pode ter uma divisão de financiamento, que pode ser uma fonte separada de receita.

A receita também pode ser dividida em duas partes, sendo elas: receita operacional e as receitas não operacionais derivadas de outras fontes secundárias. Acontece que as receitas não operacionais elas são originadas de eventos únicos, pouco previsíveis e que não possuem relação com o negócio principal da empresa. Por exemplo, o produto da venda de um ativo, uma receita inesperada de investimentos, etc.

Então para calcular a receita líquida de uma empresa, o contador precisará de todas as informações exigidas na demonstração de resultados, pois deverão ser inclusas uma vasta quantidade de dados sobre as receitas e gastos de uma empresa. Desse modo, tenha em mente que esse calculo é muito particular de cada negócio, e deve ser realizado com minunciosa atenção aos detalhes e regras contábeis estabelecidas pela receita federal.

 

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.

Nenhum comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia Mais...
Outras Seções

Ações

209 artigos
Ações

FIIs

54 artigos
FIIs

eBook Gratuito

Como analisar uma ação

Conheça o Passo A Passo para você analisar quais as melhores ações para investir!

CORONAVÍRUS, PETRÓLEO, ECONOMIA E INVESTIMENTOS. VOCÊ JÁ SABE O QUE FAZER?​