Por: Tiago Reis

Radar do Mercado: Wiz Soluções (WIZS3) – Notícia não confirmada gera alta no preço do papel

A Wiz Soluções e Corretagem de Seguros emitiu ontem (24) uma resposta a um questionamento feito pela B3 – Brasil, Bolsa, Balcão – acerca das últimas oscilações registradas com as ações WIZS3 negociadas na bolsa e também sobre uma notícia veiculada pelo jornal O Estado de São Paulo ainda ontem (24) a qual reportava que a “Wiz pode ficar com até 50% de toda a receita de corretagem de seguros na nova sociedade que negocia com a Caixa Seguridade, no âmbito do processo de reestruturação do braço securitário do banco”, e que “em um pior cenário, a fatia da corretora, que tem ações listadas na bolsa, será de 40% sendo os outros 60% da seguradora”.

De acordo com o que destacou a companhia, a oscilação das suas ações possivelmente deu-se em razão da referida notícia do jornal “Estado de São Paulo”, divulgada na véspera, ou seja, no dia 23 de janeiro de 2018.

No que diz respeito a referida informação divulgada, a Wiz reportou, ainda, que foi procurada no dia 23 pela jornalista signatária da matéria em questão e não comentou as informações ali veiculadas.

“A companhia nega a veracidade das informações indicadas (…), as quais foram veiculadas na referida matéria, afirmando não ter tido qualquer participação e desconhecer por completo as fontes que prestaram a informação para subsidiar tal notícia”, ressaltou a Wiz.

Neste cenário, a companhia informou que decidiu pela não divulgação de comunicado ao mercado ou fato relevante, pois, conforme dito acima, “as informações veiculadas na matéria são meras ilações sem nenhum respaldo fático”.

 

O referido esclarecimento da Wiz feito sob solicitação da B3 deixa evidente a enorme capacidade que agentes externos apresentam de influenciar de maneira direta as variações de curto dos preços dos ativos negociados na bolsa de valores.

Ruídos dessa natureza são produzidos a todo instante, várias vezes por dia.

É preciso que os investidores mantenham a serenidade diante de ocasiões como essas, de modo que tentem, o máximo possível, distinguir os incontáveis ruídos dos verdadeiros sinais.

Nesse sentido, vale lembrar que, as ações WIZS3 da companhia tiveram uma alta de pouco mais de 16% até o fechamento do pregão de ontem, em relação ao seu preço na véspera.

Oscilações de curto prazo, em nossa visão, pouco traduzem o verdadeiro e real valor de uma empresa.

Em conjunturas como essas, é preciso que os investidores procurem se manter racionais e tentem se lembrar de uma famosa frase preconizada por ninguém menos que Warren Buffett, através da qual ele sugere: “Seja medroso quando os outros são gananciosos e seja ganancioso quando os outros estão com medo”.

Existe, ainda, muita incompreensão acerca de uma possível assinatura de Joint Venture (JV) entre a Caixa e a CNP, que apresentaria um contrato de longo prazo, englobando os segmentos de previdência privada, seguro de vida e prestamista.

Se essa JV venha, de fato, a ser formada, a Wiz acredita que continuará a explorar, com exclusividade, os produtos da Caixa através dessa nova JV, apesar da Caixa, a princípio, ter um entendimento diferente, porém, a Wiz está aguardando o contrato ser assinado e a negociação finalizada para acertar essas questões e negociar diretamente com a Caixa e CNP, de modo que as condições fiquem boas para ambos os lados, garantindo a manutenção de sua posição de exclusividade nos produtos Caixa.

É possível, no entanto, que a empresa tenha que negociar ou reduzir algumas taxas de comissionamento de alguns produtos para facilitar essa negociação com a Caixa, o que pode acabar reduzindo a rentabilidade de alguns segmentos operacionais, mas, ainda assim, seria muito melhor do que perder o acesso aos produtos da nova JV.

Ademais, gostamos da Wiz, muito pelo fato de a companhia possuir a peculiar característica de conseguir crescer distribuindo praticamente todo o seu resultado a seus acionistas como fora de dividendos e demais proventos.

Atualmente, a companhia é a corretora exclusiva da Caixa Seguradora nas agências da Caixa Econômica Federal, mas que pode atuar livremente no mercado.

Entretanto, o acordo de exclusividade vence em 2021, e a negociação dos termos do contrato é vista como uma das grandes incertezas para as operações da Wiz.

Entretanto, entendemos que a informação acima referenciada foi, de certa forma, digerida de maneira muito “afoita” pelo mercado.

Por enquanto segue tudo como está, e o contrato entre CNP e Caixa Seguridade continua até 2021, com a exclusividade da Wiz e da Caixa Seguradora em todos os produtos do balcão Caixa.

Por conta disso, entendemos que exista uma certa desinformação e irracionalidade por grande parte de mercado, prova disso foi esse aparente princípio de euforia momentâneo observado ontem em relação as ações da companhia.

Ainda no que diz respeito a esse ruído crescente nesta questão societária, entendemos também que esse “descasamento” de pontos de vistas pelas partes, seguirá tendendo a manter uma certa incompreensão do case por boa parte do mercado, o que acreditamos que pode contribuir para continuar gerando volatilidades e eventuais oportunidades nos papéis da empresa.

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.

Nenhum comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia Mais...
Outras Seções

Ações

205 artigos
Ações

FIIs

52 artigos
FIIs
navigation

Conteúdo Gratuito

Radar do
Mercado

Os principais fatos relevantes do mercado, comentados no seu e-mail diariamente