Por: Tiago Reis

Radar do mercado: Via Varejo (VVAR3) anuncia lançamento de banco digital banQi

A Via Varejo informou nesta quarta-feira (05), em comunicado ao mercado sobre a celebração de contratos com a startup norte-americana de tecnologia financeira Airfox, para o desenvolvimento de uma solução tecnológica de mPOS (Mobile Point of Sale).

A parceria já havia sido anunciada em setembro de 2018. Nesta época, a intenção era o desenvolvimento de uma solução tecnológica que permitisse aos clientes da Via Varejo autenticarem e digitalizarem suas faturas, bem como que realizassem o pagamento digital do carnê das Casas Bahia diretamente por meio de aplicativo móvel.

 

Além disso, outras funcionalidades eram esperadas para serem disponibilizadas, como a possibilidade de pagamento de contas, cobrança e recebimento de valores diretamente na carteira virtual do usuário, recarga de celular e cartões de transporte, transferência de recursos, autenticação com biometria facial, dentre outros.

A partir de uma evolução da parceria, a Via Varejo e a Airfox anunciaram ontem o lançamento do banQi, um banco digital que chega ao mercado com a missão de oferecer à população serviços de pagamento e produtos acessíveis, eficientes e sem custos.

O foco do banco são as classes C, D e E. O app oferece conta corrente, pagamentos de boletos e contas, transferências e pagamento com QR Code, além de uma versão digital do carnê. A intenção é que o app seja amigável ao usuário, com uma interface intuitiva.

Mais de 5 milhões de clientes da Via Varejo usam o carnê para fazer suas compras e outros 20 milhões tem cartões cobranded da varejista. A companhia apresenta uma certa vantagem para conquistar a população desbancarizada.

O banQi não será exclusivo aos consumidores das Casas Bahia e Pontofrio, porém, pretende originar clientes e oferecer serviços de pagamento se utilizando da capilaridade nacional das mais de 700 lojas Casas Bahia em território nacional, aliado à base de consumidores que a Via Varejo já possui.

Aprenda como analisar uma ação

As lojas terão um papel na atração dos clientes. De início, 34 unidades das Casas Bahia terão uma ‘pop-up store’ do banQi, sendo que até meados de julho, a companhia espera que todas as lojas tenham este espaço.

Segundo Felipe Negrão, CFO da Via Varejo, a companhia acredita que consegue chegar rapidamente nos números de fintechs como Inter e Nubank, os quais possuem cerca de 2 milhões e 4,5 milhões de clientes, respectivamente.

Além disso, será possível realizar saques e depósitos diretamente nos caixas das lojas Casas Bahia; ter acesso a cartão pré-pago; e contratar empréstimos pessoais com juros potencialmente mais baixos. Será empregado machine learning para criar modelos de crédito mais dinâmicos. Hoje, a companhia já tem uma extensa base de dados sobre o perfil de crédito de seus clientes, de modo que 85% das decisões dos carnês contratados já são feitas com o algoritmo.

A companhia diz ser a única capaz de atender às classes C, D e E de maneira completa, devido à sua escala e credibilidade. O potencial enxergado nestas classes se deu com base em estudos e pesquisas do perfil financeiro da população de baixa renda, que mostrou que 43% desta não possui conta bancária e, dos que possuem, cerca de 60% utilizam apenas para receber salários.

O banco funcionará como operação independente da Via Varejo. Segundo o CFO, a expectativa é que a partir do terceiro ano o negócio comece a dar lucro, uma vez que no começo, haverá um gasto alto para aquisição de clientes.

Acreditamos que este segmento já esteja apresentando ampla concorrência, de modo que o movimento da Via Varejo ocorre algumas semanas depois da Pernambucanas lançar seu próprio banco digital e do Itaú anunciar uma carteira digital voltada à população de baixa renda desbancarizada, o iti. Além disso, a Riachuelo e a PagSeguro também já têm seus próprios bancos e a Payly e o Mercado pago operam wallets.

No mais, devido à forte concorrência, além de não nos sentirmos atraídos pelos resultados que a Via Varejo vem apresentando, preferimos seguir de fora do investimento em VVAR3.

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.

3 comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • marco manieri 6 de junho de 2019

    realmente a vvar3 esta ruim….mas aproveitando o assunto,lojas marisa tem algo semelhante nos planos..?pois tambem tem apresentado resultados ruins.bancos virtuais evidentemente estao numa crescente muito boa….qual opniao de vcs?Desde ja agadeço

    Responder
  • Aldo Mendonça 6 de junho de 2019

    Essa concorrência vai afetar diretamente o Banco Inter e o Nubank, inclusive a cotação do Banco Inter, já está caindo.

    Responder
  • Marcio 2 de julho de 2019

    Claro que não podemos avaliar, mas a Magazine Luiza, antes se se tornar atrativa, também apresentava números como os da Via Varejo ?

    Responder
Leia Mais...
Outras Seções

Ações

194 artigos
Ações

FIIs

49 artigos
FIIs
navigation

Conteúdo Gratuito

Radar do
Mercado

Os principais fatos relevantes do mercado, comentados no seu e-mail diariamente

Suno Black

Dias
Horas
Minutos
Segundos

Aproveite os últimos dias para se tornar Suno Black e ter acesso a todas as nossas assinaturas em 1 único plano!

Suno Black

tudo.

Dias
Horas
Minutos
Segundos

Aproveite os últimos dias para garantir a sua assinatura Suno Black e ter acesso a todo o conteúdo exclusivo Suno, com somente 1 assinatura!

%d blogueiros gostam disto: