A Telefônica Brasil divulgou ontem (30) os seus resultados operacionais do terceiro trimestre de 2018 e, de acordo com a companhia, o seu Market Share móvel de foi de 31,8% no período (+0,8 p.p. vs. set/17).

No entanto, a sua Receita Operacional Líquida atingiu R$ 10.777,2 milhões, o que representou uma redução de 1,0% y-o-y no 3T18 (+0,6% y-o-y no 9M18), afetada principalmente pelo desempenho do pré-pago e pela maturidade da voz fixa.

Contudo, o seu EBITDA Recorrente totalizou R$ 3.871,9 milhões no trimestre, um crescimento de 5,3% y-o-y, com margem EBITDA Recorrente de 35,9% (+2,1 p.p. y-o-y).

O EBITDA Recorrente acima exposto exclui os seguintes efeitos não recorrentes: efeito positivo de R$ 1.381.7 milhões, em função do trânsito em julgado no Superior Tribunal de Justiça, a favor da companhia, reconhecendo o direito da exclusão do ICMS da base de cálculo das contribuições ao PIS e COFINS, relativo às operações da Vivo entre 2004 e 2013; despesa de R$ 487,1 milhões relativa às contingências fiscais extraordinárias reconhecidas no 3T18.

Considerando os efeitos não recorrentes, o EBITDA alcançou R$ 4.766,5 milhões (+29,6% y-o-y), atingindo uma margem EBITDA de 44,2%.

Com isso, o seu Lucro Líquido no 3T18 foi de R$ 3.168,0 milhões, crescimento de 159,1% y-o-y, em função do crescimento do EBITDA e dos efeitos extraordinários no trimestre. No 9M18, o lucro totalizou R$ 7.399,7 milhões, +140,7% y-o-y.

Adicionalmente, o Fluxo de Caixa Operacional (EBITDA – Investimentos) da companhia cresceu 59,3% no 3T18 frente ao mesmo período do ano anterior, atingindo R$ 2.372,7 milhões.

Gostamos do resultado da companhia, embora entendamos que os mesmos se fizeram expressivos por conta de eventos não recorrentes, conforme citado anteriormente.

O mercado, todavia, parece ter interpretado de maneira mais otimista tais números, dada a relevante alta de +14,36% observada no preço das ações VIVT4 somente no pregão de ontem, quando tal papel fechou o dia sendo negociado a R$ 43,09.

Escrevemos, em meados do mês de agosto, um relatório que foi enviado a nossa base de assinantes sobre essa companhia e, nesse documento, informamos qual seria o preço justo de entrada no ativo, de acordo com o nosso valuation.

Sugerimos a leitura do mesmo para aqueles que tenham interesse em compreender melhor o case.

Compartilhe a sua opinião
Tiago Reis

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.