Por: Tiago Reis

Radar do mercado: TOTVS (TOTS3) anuncia resultados e venda de operações de hardware

A TOTVS S.A. divulgou aos seus acionistas e ao mercado em geral, nesta quarta-feira (08), que  celebrou conjuntamente com a sua controlada Bematech S.A., na mesma data, um Memorando de Entendimentos vinculante tendo por objeto a venda, para a ELGIN S.A., das suas operações de hardware desenvolvidas no território brasileiro por meio de sua subsidiária Bematech Hardware Ltda.

 

O montante envolvido na transação é de cerca de R$ 25 milhões, sujeitos a ajuste, que serão pagos no fechamento da transação.

Segundo a companhia, a decisão de venda das operações de hardware está alinhada com seu plano estratégico de focar a atenção de suas equipes e os recursos na operação de software. E ao mesmo tempo, permite que um especialista de hardware como a ELGIN possa expandir sua capacidade de inovação e escala para explorar adequadamente o potencial do mercado de equipamentos de automação comercial, agregando mais valor para seus clientes.

A Bematech fornece soluções de tecnologia para o varejo, food service e hospitality e está presente, com suas soluções de hardware e software, em mais de 50% dos checkouts dos estabelecimentos automatizados do Brasil, representando mais de 500 mil pontos de vendas.

A empresa foi adquirida pela TOTVS em 2015, sendo, portanto, um investimento bastante recente, no qual pagou R$ 550 milhões em dinheiro e ações. À época, o valor de mercado da Bematech era cerca de R$ 351 milhões.

Além da notícia a respeito da venda da Bematech, a TOTVS anunciou seus resultados do 1T19.

A companhia apresentou crescimento de sua receita líquida em 8,6% com relação ao 1T18 e 4,6% em relação ao 4T18, chegando a um patamar de R$ 563,6 milhões.

Sua receita recorrente cresceu 9,9% e 5,1% com relação ao 1T18 e 4T18, respectivamente, alcançando R$ 416,1 milhões.

Já a taxa de renovação de seus clientes chegou a 98,1%, representando um aumento de 80 pontos base quando comparado com 1T18, e 20 pontos base, se comparado com o 4T18, evidenciando boa fidelidade da base de clientes.

O EBITDA ajustado, por sua vez, chegou a R$ 104,5 milhões no 1T19, o que significa um aumento de 7,3% em relação ao 1T18 e 33,8% na comparação com o 4T18. A margem EBITDA ajustada ficou em 18,5%, representando queda de 30 pontos base em relação ao 1T18 e aumento de 400 pontos base em comparação ao 4T18.

Enquanto isso, o lucro líquido chegou a R$ 45,1 milhões. Tal valor significa um aumento de 26,9% em relação ao mesmo período do ano anterior, bem como um aumento de 31,3% em relação ao quarto trimestre de 2018.

Estes resultados são apresentados sem a aplicação da nova norma IFRS 16. Os resultados com a aplicação da norma ficam da seguinte maneira:

Além disso, o nível de dívida da empresa é muito baixo, chegando a 0,1x EBITDA ajustado dos últimos 12 meses.

Acreditamos que a venda da Bematech representa uma tentativa da companhia de centrar esforços em seu negócio principal, o desenvolvimento de softwares.

No mais, consideramos que seus resultados foram positivos, porém, entendemos que seu preço está num patamar que não oferece uma boa segurança para um investimento.

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.

Nenhum comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia Mais...
Outras Seções

Ações

329 artigos
Ações

FIIs

50 artigos
FIIs

Clube Exclusivo Suno

Small Caps

Pequenas em capitlização, gigantes em potencial.

Conheça o Clube Suno Small Caps e receba recomendações das melhores Small Caps para você investir na Bolsa de Valores.