Acesso Rápido

    Radar do Mercado: Taesa (TAEE11) – Provento anunciado é um dos atrativos do papel

    Radar do Mercado: Taesa (TAEE11) – Provento anunciado é um dos atrativos do papel

    A Transmissora Aliança de Energia Elétrica – TAESA – informou ao mercado ontem (13) que o seu Conselho de Administração aprovou, na mesma data, a distribuição de R$ 93.115.443,26 a título de Juros Sobre o Capital Próprio com base nas demonstrações financeiras intermediárias levantadas em 30 de novembro de 2017.

    De acordo com o reportado, o valor do provento por ação será de R$ 0,09, ao passo que o montante, por Unit, será de R$ 0,27.

    A companhia destacou também que o pagamento ocorrerá no dia 28 de dezembro de 2017, com base na posição acionária do dia 18 de dezembro de 2017 e que, a partir do dia 19 de dezembro de 2017, inclusive, as ações e Units passarão a ser negociadas “ex-proventos” na B3 S.A. – Brasil, Bolsa e Balcão.

     

    A Taesa é uma empresa que, apesar das recentes valorizações das suas Units, continuamos vendo uma boa oportunidade para o investidor elevar sua participação na empresa abaixo do preço teto recomendado em nossa carteira Suno Dividendos.

    É importante destacar que o IGP-M, que corrige a maior parte do ativo financeiro da companhia e que vinha apresentando deflação, prejudicando os resultados da empresa, finalizou novembro com uma alta de 0,52%, representando uma grande elevação ante outubro.

    Assim, acreditamos que os resultados da Taesa, referentes ao 4T17, devam vir bastante fortes, com um grande crescimento ante um ano antes e um salto ainda maior ante o 3T17, visto que o IGP-M – que servirá de correção para o 4T17 – ficou em 1,19%, um grande salto ante o resultado de base para o 4T16, que foi de 0,33%.

    Dessa forma, é compreensível entender que os dias de reduzidos proventos da Taesa estão ficando para trás, e o resultado anunciado do pagamento dos JCP acima destacados podem representar o início de uma interessante recuperação no médio prazo.

    Ainda, com a provável melhoria dos resultados para o próximo trimestre, é racional os seus acionistas esperarem proventos robustos no próximo pagamento, previsto para ocorrer em abril ou maio do ano que vem.

    Com isso, seguimos com nossa indicação do ativo em nossa carteira de recomendações de dividendos, ao passo que salientamos, como sempre, a importância do respeito ao preço teto sugerido em nossa indicação, de modo que uma margem de segurança satisfatória possa ser estabelecida no âmbito da aplicação financeira.

    Tags
    Tiago Reis
    Compartilhe sua opinião
    Nenhum comentário

    O seu email não será publicado. Nome e email são obrigatórios *