Radar

Radar do Mercado: Santander (SANB11) – Iniciativa de seguro mostra atratividade do setor

By 21 de dezembro de 2017 No Comments

O Banco Santander informou ontem (20) que celebrou, na mesma data, documentos vinculantes com a HDI Seguros para a formação de uma parceria para a emissão, oferta e comercialização de seguros de automóveis, por meio da criação de nova companhia seguradora – a Santander Auto – a ser detida 50% pela SANCAP Investimentos e Participações, sociedade controlada pelo Santander Brasil, e 50% pela HDI.

“A operação reafirma a confiança do Santander Brasil, líder no financiamento de veículos no país e da HDI, quarta maior seguradora de automóveis do mercado Brasileiro, na recuperação da atividade econômica do país, bem como da indústria automotiva”, ressaltou o comunicado feito pelo banco.

Ainda segundo o comunicado, a Santander Auto fará a emissão, oferta e comercialização de seguros de automóveis, de forma 100% digital, “estabelecendo novos patamares de serviços para o mercado de seguros e proporcionando aos clientes uma forma mais simples de contratar e utilizar o seguro auto”, destacou.

A conclusão da operação ainda está sujeita ao cumprimento de determinadas condições, incluindo a obtenção das autorizações regulatórias pertinentes.

 

É sempre positivo observar movimentações direcionadas a expansão operacional de companhias rentáveis e saudáveis e, quando se trata de um banco com histórico vencedor, a expectativa aumenta ainda mais neste sentido.

Neste sentido, em relação à instituição bancária, cabe aqui referenciar que o Banco Santander Brasil é o único banco internacional com escala no país, e carrega consigo o mérito de ser o terceiro maior banco privado no Brasil, ficando atrás apenas do Itaú e do Bradesco em termos de rentabilidade.

É interessante destacar, também, que no terceiro trimestre deste ano a companhia apresentou um lucro líquido gerencial que somou R$ 7.201 milhões nos primeiros nove meses de 2017, atingindo o maior patamar histórico, com crescimento de 34,6% em doze meses e aumento de 10,7% em três meses.

Além disso, em termos de rentabilidade, a instituição apresentou um retorno sobre o patrimônio líquido médio (ROAE), ajustado pelo ágio, de 17,1% no terceiro trimestre de 2017, apresentando aumento de 4,0 pontos percentuais em dozes meses, resultado este suportado, em grande parte, pela dinâmica do varejo e fortalecimento de seus negócios líderes.

Esses números demonstram muito a magnitude do setor bancário no Brasil, e por isto gostamos muito deste segmento de atuação.

Ainda no âmbito da parceria acima referenciada, vale destacar que, conceituado como AA (muito forte) pela Standard & Poor’s, e A+ (superior) pela A.M. Best, ambas importantes empresas de análise financeira, o Grupo HDI atualmente, através de sua área internacional Talanx International AG, está presente em diversos países que reconhecem sua estrutura organizacional como sólida e renomada.

Ainda, há mais de um século, o Grupo HDI trabalha com diversos seguros do mercado, oferecendo coberturas e serviços adequados ao perfil e às necessidades de cada cliente e, presente no Brasil desde os anos 70, a empresa é integrante do grupo alemão Talanx, uma das maiores seguradoras da Europa e a terceira maior da Alemanha.

No Brasil, possui 66 filiais e conta com equipe com mais de 1,2 mil colaboradores. Atualmente, está entre as cinco maiores seguradoras automotivas do País, de acordo com a Superintendência de Seguros Privados (Susep), e o número de veículos em carteira já ultrapassa os 1,6 milhão.

É possível perceber que, devido ao porte e a expertise de ambas as partes da parceria – Santander e HDI – que uma operação bastante promissora no mercado de seguros possa vir a se definir a partir dessa união esforços.

Entretanto, como sempre gostamos de enfatizar, sempre que ocorre um processo de união, preferimos aguardar de fora o desencadeamento dos fatos entre as partes, de modo a poder compreender melhor como será a sinergia e o desempenho operacional da junção que, apesar de acreditarmos que tende a ser sustentável no nosso prazo, pode ser que se desenvolva de maneira incoerente com essa crença, como já pôde ser visto por diversas outras ocasiões no mercado financeiro.

Por conta disso, preferimos aguardar de fora o desenvolvimento dos fatos, ao passo que reforçamos nossas indicações no setor de seguros presentes em nossas carteiras Suno Dividendos e Suno Valor.

Compartilhe a sua opinião

Tiago Reis

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.