Acesso Rápido

    Radar do Mercado: Paranapanema (PMAM3) – Relevante acionista aumenta participação societária na companhia

    Radar do Mercado: Paranapanema (PMAM3) – Relevante acionista aumenta participação societária na companhia

    A Paranapanema comunicou ao mercado, no último dia 08, que recebeu, na mesma data, um comunicado da Mineração Buritirama, informando que a mesma realizou negociação relevante envolvendo valores mobiliários de emissão da companhia.

    De acordo com o documento enviado no âmbito do comunicado, a Mineração Buritirama destacou que “o somatório das ações ordinárias (ON) de emissão da Paranapanema detidas pela Buritirama atingirá, após a liquidação das operações concretizadas no leilão de 08 de junho de 2018, o percentual de 9,2% da totalidade das ações ON da companhia, passando a Buritirama a deter 63.730.682 ações ON”.

    No mesmo comunicado, a Buritirama informou que tal movimentação se trata de um investimento minoritário e que não altera a composição do controle ou a estrutura administrativa da companhia.

     

    Em relação a tal operação na composição acionária da Paranapanema, é interessante mencionar que a Buritirama possui, atualmente, vínculos societários e/ou familiares com a Bonsucex Holding S.A., que também adquiriu ações por meio do referido leilão, de forma que após a liquidação das operações de compra das ações, a Buritirama e a Bonsucex deterão, juntas, um total de 18,12% do capital ordinário da Paranapanema, o que representa, mais precisamente, um total de 125.484.173 ações ON.

    Antes de tal operação, é interessante destacar, o grupo Bonsucex Holding detinha, conforme destacado abaixo, 12% de participação na composição acionária da Paranapanema.

    No mais, ao que diz respeito ao referido comunicado acerca da operação acionária na companhia, como o próprio informativo salientou, tal transação se trata de um investimento minoritário e que não altera a composição do controle ou a estrutura administrativa da empresa, o que demonstra ser apenas um caráter estratégico de investimento por parte do acionista, o que, em nossa visão, é compreensível e faz parte de uma operação natural de aplicação financeira.

    No que tange o seu operacional, no primeiro quarto do ano de 2018, muito por conta de uma variação do imposto de renda e contribuição social entre os trimestres – que se fez principalmente por conta da diminuição das provisões temporárias e aumento do saldo de prejuízo fiscal – a companhia apresentou um prejuízo de R$ 49.158 mil no 1T18, o que representou uma variação de 14% no seu prejuízo líquido entre os trimestres, patamar este que se fez principalmente por conta dos baixos volumes de produção e aumento da ociosidade no período.

    Como consequência, houve uma redução impactante no seu fluxo de caixa das atividades operacionais, que apresentou um patamar negativo de R$ 27.628 mil no 1T18, passando de um superávit de R$ 178.774 mil no 4T17 para o déficit referenciado acima no primeiro quarto de 2018.

    Nessa conjuntura, e diante dos números apresentados pela companhia nos últimos trimestres, não é difícil concluir que o operacional da Paranapanema apresenta certa volatilidade e inconsistência em seus números, o que gera, ao longo do tempo, uma dificuldade na visualização de resultados recorrentes e sólidos, fator este que normalmente nos deixa desconfortáveis em relação à indicação de investimento.

    Por conta disso, preferimos aguardar de fora e ainda com certa cautela a retomada de performance da Paranapanema, fator este que entendemos ser primordial nesse momento de incerteza quando ao crescimento da economia no país no médio prazo.

    Tags
    Tiago Reis
    Compartilhe sua opinião
    4 comentários

    O seu email não será publicado. Nome e email são obrigatórios *