Acesso Rápido

    Radar do Mercado: IRB (IRBR3) – Dividendos recordes pagos nos últimos doze meses

    Radar do Mercado: IRB (IRBR3) – Dividendos recordes pagos nos últimos doze meses

    O IRB – Brasil Resseguros – comunicou ontem (02) ao mercado o valor atualizado dos proventos por ação pela taxa Selic até hoje – 03 de abril de 2018 – data base da posição acionária, conforme informações abaixo, todos a serem pagos no dia de hoje.

    Dividendos adicionais no valor bruto por ação até então de R$ 1,41, passando a ser R$1,43; complemento do dividendo mínimo até então de R$0,00602151112 por ação, passando a ser R$0,00611878783; e juros sobre capital próprio por ação até então de R$0,19624316662, passando a ser R$0,19941344921.

     

    É sempre saudoso receber a informação a respeito de pagamento de proventos referentes a uma companhia a qual faz parte de nossas indicações, ainda mais quando se trata de um segmento bastante representativo na economia e de uma empresa que se mostra bastante eficiente no que se propõe a fazer no que diz respeito a sua capacidade operacional.

    Ademais, gostamos dos números atualizados anunciados como remuneração aos acionistas do IRB, e essa notícia reforça ainda mais a nossa tese de que a companhia apresenta uma respeitável modelo de gestão, transparência e comprometimento na geração de valor para seus acionistas.

    Neste sentido, é interesse ressaltar que ao longo do exercício de 2017, o IRB distribuiu o valor bruto de R$ 241,8 milhões a título de juros sobre o capital próprio a seus acionistas.

    Desse montante, R$ 180,8 milhões já foram antecipados em novembro de 2017.

    O Conselho de Administração da Companhia propôs, ainda, a distribuição adicional de R$ 441,3 milhões sob a forma de dividendos.

    Isto posto, a distribuição total de dividendos e JCP proposta pela administração para o exercício de 2017 totalizou R$ 683,1 milhões, o que representa 75,0% do lucro líquido registrado no período.

    Em relação a seus números, no quarto trimestre de 2017 foi possível perceber que a empresa seguiu adiante com sua estratégia de crescimento – mantendo o foco em eficiência e rentabilidade – após a realização de sua Oferta Pública Inicial de ações (IPO), feita no final do mês de julho de 2017.

    Em nossa opinião, os resultados do IPO foram positivos, fazendo a companhia se posicionar com destaque entre as maiores resseguradoras globais em valor de mercado.

    Ao final de 2017, o valor de mercado do IRB Brasil RE era de R$ 10,6 bilhões, montante quatro vezes maior do que o registrado em outubro de 2013, de R$ 2,7 bilhões.

    Ainda em relação a 2017, entre as iniciativas bem-sucedidas implantadas ao longo do ano pela empresa, ganharam destaque a transformação do IRB Brasil RE em centro de referência técnica em resseguro para o segmento agro na América Latina; a inovação por meio de pesquisa e desenvolvimento para novas tecnologias em seguro e resseguro; a otimização do processo de precificação de riscos; e a consolidação da liderança no mercado brasileiro de resseguros.

    Foi possível perceber, também, que a companhia manteve como foco estratégico a diversificação de seu portfólio de prêmios nos segmentos e geografias em que atua, com aumento de sua participação em segmentos-foco, como property, vida, aviação e rural.

    Como resultados dessa performance positiva, a companhia registrou, em 2017, um volume total de prêmios emitidos que avançou 17,4% em relação a 2016, totalizando R$ 5,8 bilhões.

    Desse montante, R$ 3,7 bilhões foram prêmios emitidos no Brasil e R$ 2,1 bilhões no exterior, que ampliou sua participação de 24,3% dos prêmios emitidos em 2016 para 35,8% em 2017.

    Já o total de prêmios retidos foi de R$ 783,2 milhões, um crescimento de 16,4% em relação ao mesmo período de 2016, ao passo que o total de prêmios retidos no encerramento de 2017 foi de R$ 4,1 bilhões, um crescimento de 14,4% em relação a 2016.

    Com isso, os prêmios ganhos, tanto no trimestre quanto no ano, também seguiram a mesma tendência de crescimento, 5,8% no trimestre e 11,6% no ano, totalizando cerca de R$ 1,0 bilhão no quarto trimestre de 2017 e R$ 3,9 bilhões em 2017.

    Diante dessa conjuntura, seguimos confiantes no case, e esperamos que os resultados e consequentes remunerações aos acionistas da companhia continuem a se mostrar crescentes no longo prazo.

    Para um maior entendimento das nuances que envolve a companhia, recomendamos a leitura de nosso relatório gratuito da empresa que expõe a nossa visão sobre o caso de investimento, escrito pouco antes do IPO da companhia, realizado no final de julho de 2017.

    Tags
    Tiago Reis
    Compartilhe sua opinião
    Nenhum comentário

    O seu email não será publicado. Nome e email são obrigatórios *