Acesso Rápido

    Radar do Mercado: Incêndio atinge instalações de sociedade da Elekeiroz (ELEK4)

    Radar do Mercado: Incêndio atinge instalações de sociedade da Elekeiroz (ELEK4)

    A Elekeiroz S.A. comunicou via fato relevante no último dia 22 de julho, aos seus acionistas e ao mercado em geral, que na noite do dia 19 de julho de 2019 ocorreu um incêndio nas instalações da Nexoleum Bioderivados S.A., localizada em Cotia, no estado de São Paulo.

    A Nexoleum é uma sociedade em que a Elekeiroz possui 50% de participação acionária.

    No fato relevante, a companhia destacou que não houve vítimas nem danos a pessoas, de modo que foi preservada a integridade física dos colaboradores da Nexoleum.

    Segundo a Elekeiroz, o incêndio teve impacto significativo na planta da Nexoleum, resultando em paralisação de sua produção. Adicionalmente, a companhia informou que a receita líquida da Nexoleum equivale a aproximadamente 2% de sua receita líquida, com base no ano de 2018.

    A Elekeiroz ressaltou que, juntamente com a Nexoleum e seus sócios, está acompanhando a apuração dos fatos pelo corpo de bombeiros e demais autoridades, bem como a determinação das perdas e danos materiais incorridos.

    Além disso, a empresa se comprometeu a manter tanto seus acionistas quanto o mercado, devidamente informados acerca de desdobramentos relacionados ao assunto.

    Cabe introduzir que a Elekeiroz é uma produtora brasileira de especialidades químicas intermediárias de uso industrial no segmento em que atua. Em toda a América do Sul, é a única a fabricar uma série de produtos.

    O posicionamento atual é resultado de 120 anos de existência, marcado por diversas iniciativas na história da indústria química brasileira.

    A empresa possui três sites estrategicamente localizados, sendo dois no município de Camaçari (BA) e outro em Várzea Paulista (SP).

    A atuação da Elekeiroz é em formato B2B (business to business). Seus produtos e soluções atendem aos segmentos de construção civil, tintas e vernizes, calçados e vestuário, química industrial, filmes e embalagens, transporte, defensivos, fertilizantes e papel e celulose.

    No mais, cabe ressaltar que a Itaúsa (ITSA4), holding do grupo Itaú Unibanco, era a antiga dona de 96,5% do capital social total da Elekeiroz. No entanto, vendeu esta fatia para o Kilimanjaro Brasil Partners I B – Fundo de Investimento em Participações Multiestratégia Investimento no Exterior. Os recursos advêm de entidades no exterior geridas pela H.I.G. Capital, uma empresa de investimentos de private equity.

    A venda foi concluída há cerca de um ano. Vale lembrar que a Elekeiroz apresentava uma expressividade extremamente baixa dentro do portfólio da Itaúsa.

    No mais, é importante saber que o atual controlador da Elekeiroz está em processo de aprovação para realizar uma oferta pública de aquisição das ações da companhia, visando o cancelamento do registro da Elekeiroz, bem como sua saída do segmento de listagem da B3.

    Tags
    Tiago Reis
    Compartilhe sua opinião
    Nenhum comentário

    O seu email não será publicado. Nome e email são obrigatórios *