A Energisa comunicou ontem (02) aos seus acionistas e ao mercado em geral que, na véspera, a Energisa Pará Transmissora de Energia I S.A. obteve da Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade do Pará a Licença de Instalação (LI), para construção do empreendimento do lote de transmissão que foi adquirido pela companhia no leilão de transmissão realizado em abril de 2017.

No mesmo comunicado, a companhia destacou, ainda, que essa LI foi obtida em processo concomitante a emissão da Licença Prévia, expedida na mesma data mencionada acima, dado que o órgão emissor classificou o empreendimento como não significativo em termos de impactos ambientais.

 

Notícia positiva para a Energisa, haja vista que o referido projeto, localizado no Pará, representará uma Receita Anual Permitida (RAP) da ordem de R$ 46 milhões, conforme resultado do leilão. O prazo limite estipulado pela Aneel para energização dessa linha é fevereiro de 2022.

Para um maior esclarecimento, segue abaixo o resumo das informações referentes aos atuais projetos de transmissão da Energisa:

Diante disso, reforçamos nossa opinião de que, de fato, gostamos da Energisa e do seu segmento de atuação.

Contudo, já temos uma exposição considerável no setor elétrico em nossas carteiras de indicações e, além disso, consideramos o atual valuation da companhia um pouco esticado nesse momento.

Por conta desses motivos, preferimos seguir de fora da Energisa, ao passo que reforçamos as recomendações das empresas elétricas presentes em nossas carteiras de recomendações, sempre lembrando a importância do respeito ao preço teto de entrada nos ativos sugeridos em nossas recomendações.

Compartilhe a sua opinião
Tiago Reis

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.