Acesso Rápido

    Radar do Mercado: Petrobras (PETR4) Anuncia pagamento antecipado de JCP, adesão a programas tributários estaduais e levantamento de alternativas para o Comperj

    • Aprovado, nesta quarta-feira (18), o pagamento antecipado de R$ 2,352 bilhões em juros sobre capital próprio (JCP), o que corresponde a 42 centavos de real por ação preferencial (PETR4).
    • O pagamento será realizado em 07 de fevereiro para os investidores brasileiros, e em 17 de fevereiro para os estrangeiros que possuem ADRs (American Depositary Receipts) da estatal.
    • O valor a ser pago será corrigido pela Selic até 07 de fevereiro.
    • O valor antecipado aos acionistas a título de JCP será descontado dos dividendos mínimos obrigatórios, inclusive para fins de pagamento dos dividendos mínimos prioritários das ações preferenciais.

    Além disso, a empresa informou que aderiu a programas tributários dos estados de Amazonas, Alagoas, Bahia, Pernambuco, Rio Grande do Sul e Sergipe e deve reduzir em cerca de 70% um total de débitos de 3,6 bilhões de reais.

    Os débitos tributários são relativos principalmente à apropriação de créditos de ICMS sobre aquisição de mercadorias (produtos em geral) e à cobrança de ICMS nas vendas interestaduais de gás natural.

    Guia de Economia para Investidores

    Confira os principais conceitos econômicos e aprenda como a economia pode influenciar seus investimentos com o nosso ebook gratuito de Economia para Investidores!

    Parabéns! Cadastro feito com sucesso.

    Ops! Algo deu errado. Tente novamente.

    Sua adesão aos programas foi baseada na busca por mitigar os riscos associados aos passivos tributários, e o impacto da medida terá efeitos no resultado do quarto trimestre de 2019.

    Ainda na data de ontem (18) o conselho de administração da Petrobras solicitou um levantamento de alternativas para a área do Comperj, em Itaboraí (RJ), após aprovar o cancelamento de projeto com a chinesa CNPC.

    Ambas as empresas concluíram, após estudos, que a finalização da construção de refinaria no local não apresenta atratividade econômica, disse o presidente da estatal, Roberto Castello Branco, na semana passada.

    Outros projetos relacionados à parceria estratégica entre ambas as empresas, que também compreendia a participação de 20% da CNPC no cluster de Marlim (concessões de Marlim, Voador, Marlim Sul e Marlim Leste), foram encerrados sem a efetivação do negócio.

    “Dessa maneira, o conselho de administração da Petrobras aprovou o início de providências para cancelamento do projeto e solicitou um levantamento de alternativas para a área do Comperj”, disse a Petrobras no comunicado.

    Dentre as opções, a Petrobras estuda integrar a Refinaria Reduc, em Duque de Caxias (RJ), com algumas unidades hibernadas do Comperj para produção de lubrificantes básicos e combustíveis de alta qualidade a partir de produtos intermediários da Reduc.

    Os produtos seriam enviados da Reduc para processamento no Comperj por meio de dutos. O estudo inclui a possibilidade de construção de uma termelétrica, em parceria com outros investidores, utilizando gás natural do pré-sal.

    A empresa está construindo, no Comperj, o Projeto Integrado Rota 3, que inclui o gasoduto Rota 3, a unidade de processamento de gás natural e o conjunto de utilidades necessárias para a operação, que permitirá o escoamento de 21 milhões de metros cúbicos por dia de gás do pré-sal a partir de 2021.

    Disclaimer: o Radar do Mercado não constitui recomendação de compra nem de venda das empresas contempladas, apenas visa abordar as notícias mais recentes das empresas da Bolsa brasileira. A opinião dos analistas da Suno Research é expressa exclusivamente através dos relatórios.

    Tiago Reis
    Compartilhe sua opinião
    Nenhum comentário

    O seu email não será publicado. Nome e email são obrigatórios *