Acesso Rápido

    Radar do Mercado: Neoenergia (NEOE3) registra queda de 18% no lucro líquido em comparação com o mesmo período do ano anterior

    Radar do Mercado: Neoenergia (NEOE3) registra queda de 18% no lucro líquido em comparação com o mesmo período do ano anterior
    itinga01

    Companhia de energia elétrica divulgou seus resultados referentes ao 2T20 e informou que, em comparação com o mesmo período do ano anterior, o lucro líquido retraiu 18%. Em comparação entre os seis primeiros meses de 2019 e os seis primeiros meses de 2020, a queda foi de apenas 1%.

    A empresa também registrou uma queda nas despesas operacionais equivalente a R$ 711 milhões no 2T20 (-8% vs. 2T19) e a R$ 1,5 bilhão no 6M20 (-5% vs. 6M19), absorvendo a inflação do período, o crescimento da base de clientes das distribuidoras e o aumento de headcount em função dos processos de primarização nas distribuidoras.

    Já o Ebitda teve uma queda de R$ 1,1 bilhão em 2T20 – uma contração de 19% em relação ao 2T19 – e de R$ 2,6 bilhões no 6M20 – 3% a menos do que o 6M19 –, impactado pelos efeitos do coronavírus na atividade econômica.

    O nível de endividamento não sofreu grandes alterações.

    Já na parte de distribuição de energia, a empresa relatou que o consumo residencial apresentou crescimento em todas as distribuidoras, consolidando aumento de 4,9% no 2T20 e de 3,1% no 6M20 em relação aos mesmos períodos de 2019 – impulsionado tanto pelo aumento na base de clientes como pela realidade de isolamento social imposta pela Covid-19.

    ​A análise da classe industrial somada ao mercado livre revelou queda de 13,8% no 2T20 ante o 2T19, principalmente em função dos efeitos da pandemia na atividade econômica. Pelos mesmos motivos, também teve uma retração de 5,5% em relação ao 6M19.

    A classe comercial cativa apresentou queda de 24,6% no 2T20 se comparada ao 2T19 – também influenciada pelo isolamento social imposto pela Covid-19. No 6M20, a queda – de 14,1% ante o 6M19 – foi impactada pelos mesmos motivos.

    ​A queda de consumo da classe rural no 2T20 (-2,4% ante 2T19) e no 6M20 (7,4% ante 6M19) está diretamente associada ao aumento do volume de chuvas no período, o que gerou menor demanda de irrigação, além da própria Covid-19.

    As outras classes apresentaram decréscimo de 11,4% no 2T20 em relação ao 2T19 e de 6,9% no 6M20 em relação ao 6M19, refletindo principalmente a queda de consumo de unidades de serviço público em função da Covid-19.

    Para saber mais sobre os resultados de outras empresas, clique aqui e confira a agenda completa de resultados do segundo trimestre de 2020 (2T20).

    Tags
    Tiago Reis
    Compartilhe sua opinião
    1 comentário

    O seu email não será publicado. Nome e email são obrigatórios *

    • Marcos Antonio de Oliveira 22 de julho de 2020

      Muito bom, esta deve ser a tendência do setor.

      Responder