Acesso Rápido

    Radar do Mercado: LOG-IN Logística Intermodal S.A (LOGN3) divulga resultados do 1T20

    Radar do Mercado: LOG-IN Logística Intermodal S.A (LOGN3) divulga resultados do 1T20
    • Receita líquida Consolidada de R$271,3 MM, especialmente em função do bom resultado da Navegação Costeira.
    • EBITDA Consolidado de R$53,2 MM (Margem EBITDA de 19,6%), com destaque para o Terminal de Vila Velha (TVV).
    • EBITDA da Navegação Costeira de R$43,2 MM.
    • EBITDA do TVV somou R$26,1 MM.
    • Resultado afetado por efeitos pontuais, como o descasamento de custo do bunker e seu repasse aos clientes, custos fixos de tripulação e de afretamento e um efeito contábil negativo de variação cambial, sem efeito caixa relevante.
    • Aquisição do navio porta-contêiner Log-In Endurance em 05/03/20, em operação no Serviço Atlântico Sul (SAS) desde 01/05/20, substituindo a embarcação afretada.

    RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA (ROL):

     

    O aumento da ROL é explicado, principalmente, pela Navegação Costeira:

    • Crescimento dos volumes da cabotagem, com maior preço e maiores margens de contribuição.
    • Crescimento nas operações porta a porta, que possuem melhores margens.
    • Impacto positivo da desvalorização do Real  nas receitas fixadas em Dólar (Feeder e Mercosul).
    • Aumento da taxa emergencial de bunker (combustível dos navios). Porém, devido à metodologia utilizada pela companhia, teve impacto positivo apenas em parte do trimestre.

    DESPESAS OPERACIONAIS:

    As despesas apresentaram queda, sobretudo, pelos seguintes fatores:

    • Menor montante de Despesas Operacionais ocorridas no período.
    • Impacto positivo de reversões de provisões de contingências trabalhistas e do reconhecimento de PIS/COFINS.

    EBITDA:

    RESULTADO FINANCEIRO:

    Resultado Financeiro impactado pela variação cambial negativa (R$ 117,9 MM), em função da desvalorização do Real no 1T20 de 29% (R$ 4,03 em 31/12/19 versus R$ 5,20 em 31/03/20).

    A variação cambial é basicamente um impacto contábil e não tem efeito relevante no caixa. O efeito caixa sobre a dívida amortizada no 1T20 foi de R$ 0,6 MM.

    A variação cambial incide, principalmente, sobre: financiamentos indexados ao Dólar junto ao BNDES (R$ 425,0 MM) de longo prazo, com amortizações mensais até 2034 e outros passivos com amortizações escalonadas ao longo dos próximos anos, como obrigações de Sale & Lease Back e contratos de leasing de contêineres.

    RESUMO DE RESULTADO:

    Tags
    Tiago Reis
    Compartilhe sua opinião
    Nenhum comentário

    O seu email não será publicado. Nome e email são obrigatórios *