Acesso Rápido

    Radar do Mercado: Kepler Weber (KEPL3) faz apresentação a analistas/agentes do mercado

    Radar do Mercado: Kepler Weber (KEPL3) faz apresentação a analistas/agentes do mercado

    A apresentação foi realizada em conjunto com a Trígono Capital, gestora de recursos paulistana.

    Na ocasião, Piero Abondi, CEO da companhia, explicou seu modelo de negócios e sua história. A Kepler Weber foi fundada em 1925 e completa 95 anos em maio.

    O negócio começou em Panambi/RS, como uma pequena ferraria, com os irmãos Kepler, imigrantes alemães. Posteriormente, o sr. Weber entrou na sociedade.

    A companhia tem duas unidades, em Panambi/RS e Campo Grande/MS. Suas plantas industriais têm capacidade de produzir mais de 5 milhões de toneladas em armazenagem de grãos por ano.

    E-book: Invista como Warren Buffett

    Baixe gratuitamente o nosso ebook e aprenda os conceitos por trás da estratégia de Warren Buffett, o maior investidor de todos os tempos!

    Parabéns! Cadastro feito com sucesso.

    Ops! Algo deu errado. Tente novamente.

    Seus principais produtos são os silos, utilizados para estocar e conservar grãos. No entanto, a empresa também produz máquinas de limpeza e seus componentes, instalações industriais e terminais portuários, além de fornecer assistência técnica para os produtos.

    Segundo Abondi, o Brasil tem uma carência muito grande de estocagem nas propriedades rurais. Nos EUA e na Europa, a capacidade de estocagem média é de aproximadamente 50%. No Brasil, esse número gira em torno de 15%.

    A companhia atende vários tipos de clientes, como as tradings, empresas que lidam com a intermediação de grãos (compram dos produtores e fazem o beneficiamento).

    Os cerealistas, que intermediam entre os produtores menores, mas também beneficiam os produtos e estocam, também são clientes.

    Por fim, temos as empresas industriais, que beneficiam em maior escala arroz feijão, esmagam soja, maltarias e todo tipo de indústria que precisa armazenar o grão.

    A Kepler Weber também vende para cooperativas, formadas por grupos de produtores que se unem para alcançar uma escala maior e, muitas vezes, são bastante verticalizadas.

    Tags
    Tiago Reis
    Compartilhe sua opinião
    Nenhum comentário

    O seu email não será publicado. Nome e email são obrigatórios *