Acesso Rápido

    Radar do Mercado: IRB Brasil (IRBR3) responde à questionamentos da CVM

    Radar do Mercado: IRB Brasil (IRBR3) responde à questionamentos da CVM

    Nesta terça-feira, dia 03 de março, a companhia emitiu um comunicado respondendo aos questionamentos feitos pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) à respeito de notícias veiculadas na mídia.

    O primeiro questionamento faz menção ao pedido de demissão do presidente do Conselho de Administração da companhia, o senhor Ivan de Souza Monteiro. A CVM solicitou respostas quanto à notícia veiculada pelo Valor Online a qual dizia que a companhia comunicou a demissão de Ivan monteiro logo após ter negado publicamente que o executivo tinha renunciado. Adicionalmente, a notícia ainda afirmava que de acordo com fontes próximas à resseguradora, Monteiro havia apresentado sua carta de renúncia no dia 20 de fevereiro.

    E-book: Investindo para Aposentadoria

    Construa a sua aposentadoria! Aprenda como gerar renda passiva para garantir o seu futuro investindo nos melhores ativos do mercado.

    Parabéns! Cadastro feito com sucesso.

    Ops! Algo deu errado. Tente novamente.

    Em resposta, o IRB informou que a renúncia do senhor Ivan de Souza Monteiro foi efetivamente formalizada no dia 28 de fevereiro. Mais especificamente, a companhia tomou ciência da renúncia às 18:10 e às 21:50 emitiu comunicado ao mercado. Entretanto, a divulgação da renúncia foi feita por meio de Comunicado ao Mercado e não Fato Relevante pois, de acordo com a companhia, a proposta era de seguir os mesmos padrões de comunicação em caso de eleição e renúncia de conselheiros.

    Na mesma notícia veiculada pelo Valor Online, havia menção à circulação da lista de acionistas da IRB, que não é pública. A informação era a de que a Berkshire Hathaway, de Warren Buffett, havia comprado ações da companhia aproveitando as recentes quedas do mercado. O dado fez com que as ações do IRB disparassem em meio às fortes quedas da Bolsa. A CVM, então, também solicitou esclarecimentos a respeito desse caso.

    No documento de resposta, o IRB comunicou que realizou uma análise criteriosa de sua base acionária no dia 27 de fevereiro de 2020 e que o Grupo Berkshire Hathaway não é acionista que detenha 5% de participação na companhia. Além disso, a companhia ainda disse que nunca afirmou que o grupo fosse seu acionista.

    Tags
    Tiago Reis
    Compartilhe sua opinião
    3 comentários

    O seu email não será publicado. Nome e email são obrigatórios *

    • sabrina 4 de março de 2020

      A mídia economica deveria ser processada quando fala uma coisa que não é verdade. Sir Warren Buffet desmentiu e agora?

      Responder
    • Seben 4 de março de 2020

      Onde há fumaça costuma haver fogo…

      Responder
    • Carlos André Barrozo do Amaral 4 de março de 2020

      Como as péssimas notícias do IRB nas últimas semanas influenciam sua gestão no tocante ao cumprimento de exercer o seu papel com maestria, ou seja, ressegurar todo o universo abrangido pelo mercado de seguros no Brasil ?

      Responder