Acesso Rápido

    Radar do Mercado: Guararapes (GUAR3) divulga resultado trimestral e anual

    Radar do Mercado: Guararapes (GUAR3) divulga resultado trimestral e anual
    Faturamento Riachuelo

    A Guararapes Confecções (GUAR3), controladora da rede varejista Riachuelo, divulgou os resultados para o quarto trimestre e para o ano de 2019.

    Sem considerar os Efeitos não Recorrentes Líquidos e o efeito Pró-forma, o lucro líquido da companhia foi de R$ 440,6 milhões no 4T19, enquanto no 4T18 o valor foi de R$ 1,012 bilhão, correspondendo a uma queda de 56,5% no último período.

    A consideração do efeito Pró-forma não muda muito os valores, já que com a consideração o lucro líquido passa a ser de R$ 456,3 milhões anotando queda de 54,9%.

    Planilha da Vida Financeira

    Coloque suas finanças em ordem! Baixe gratuitamente nossa planilha e aprenda a planejar todas as etapas da sua vida financeira da melhor forma!

    Parabéns! Cadastro feito com sucesso.

    Ops! Algo deu errado. Tente novamente.

    Por outro lado, os Efeitos não Recorrentes Líquidos somaram R$ 93 milhões no 4T19 e R$ 737,7 milhões no 4T18. Com isso, o Lucro Líquido excluindo os efeitos não recorrentes da empresa foi de R$ 347,6 milhões no 4T19 e R$ 274,5 milhões no 4T18.

    A comparação desses dados muda, então, a perspectiva anterior de queda, revelando um crescimento de 26,6%. Da mesma maneira, a consideração do efeito Pró-forma leva o Lucro Líquido excluindo os efeitos não recorrentes do 4T19 para R$ 363,3 milhões, atingindo alta de 32,4%.

    De maneira semelhante, os dados anuais também apresentam esse comportamento. Ao desconsiderar os Efeitos não recorrentes líquidos, a companhia apresenta queda no Lucro Líquido de 52% e de 49,9%, se for levado em consideração o efeito Pró-forma.

    A partir do momento em que se considera os Efeitos não recorrentes líquidos nas comparações anuais, o cenário muda. Ocorre, então, alta de 0,3% no Lucro Líquido e de 5,7% no mesmo valor ao levar em consideração o Efeito Pró-forma.

    No documento divulgado, o EBITDA Ajustado também sofre grandes alterações, no entanto, não segue a mesma tendência verificada.

    Tags
    Tiago Reis
    Compartilhe sua opinião
    3 comentários

    O seu email não será publicado. Nome e email são obrigatórios *

    • Antonio 19 de fevereiro de 2020

      Ok, ok, agora traduzindo para o nível dos que não dominam todo esse palavreado técnico (econômes ?), o resultado da empresa foi positivo ou negativo? Deu lucro ou não? Sem ofensas mas esse texto tem um jeitão bem tucano de ser!

      Responder
      • Jeff 19 de fevereiro de 2020

        A linguagem não é técnica, meu caro! E é sim simples, não é simplista! O ponto é que é feita para investidores. Caso vc não entenda, nesse mesmo site eles disponibilizam conteúdo de estudo gratuito. Bom estudos!

        Responder
      • Costa 19 de fevereiro de 2020

        Te falta leitura e conhecimento básico. Nãoé um texto tão confuso assim…mas quem investe em ações precisa ter conhecimento mínimo ( não precisa ser expert) pra entender um balanço. É simples, o lucro líquido do 4T 2018 foi superior ao de 2019, o que você acha que ocorreu com a lucratividade naquele trimestre?! Se você ganhou menos em 2019 em relação a 2018, o que ouve com seus rendimentos? Tem que pensar um pouco né, quer tudo mastigado.

        Responder