Por: Tiago Reis

Radar do Mercado: Ambev (ABEV3) – Companhia divulga apresentação referente à sua estratégia ODS

A Companhia de Bebidas das Américas – Ambev S.A. veio ao mercado, nesta quarta-feira (20), comunicar que já está disponível, no site de relacionamento com investidores, apresentação a analistas e agentes do mercado acerca da estratégia ODS – Objetivo de Desenvolvimento Sustentável.

Em complemento, a controladora da companhia, Anheuser-Busch InBev, anunciou mudanças no conselho administrativo da holding.

 

A Ambev é uma das empresas mais relevantes que atua no setor de bebidas no Brasil, principalmente no setor de bebidas alcoólicas, com suas marcas de cerveja dominando o mercado nacional.

Para alinhar a estratégia operacional da empresa com o desenvolvimento sustentável, uma série de programas internos foram implementados na companhia, nos últimos cinco anos, e o volume de capital investido já supera a marca de R$1 bilhão.

O primeiro ponto da estratégia da companhia é a agricultura inteligente. Através do projeto Smart Barley, a empresa conecta digitalmente os agricultores com o objetivo de aumentar a produtividade e a qualidade dos cereais.

Assim, a Ambev fortalece o relacionamento com os agricultores. O programa envolve, atualmente, mais de 1.300 pessoas na América do Sul.

Em segundo lugar, a empresa busca continuamente aumentar a eficiência na utilização da água. Nos últimos 20 anos, o índice de consumo de água reduziu 50%. Atualmente, a empresa gasta aproximadamente três litros de água para cada litro de cerveja produzido, um dos menores índices da indústria.

O terceiro e o quarto ponto estão relacionados à redução na emissão de resíduos. Entre as medidas adotadas pela Ambev estão a utilização de vidro reciclado, na fábrica do Rio de Janeiro, como 50% da matéria prima e a reutilização das garrafas retornáveis, fato que evita a produção de 12 milhões de toneladas de vidro.

Com a reestruturação da matriz energética, nos últimos anos a empresa passou a utilizar o biogás, a biomassa e o óleo vegetal como alternativa aos combustíveis fósseis.

A meta da companhia é obter toda a energia elétrica necessária às operações a partir de fontes renováveis, até 2025.

Além disso, a administração afirma que uma cerca de 99% dos resíduos gerados pela produção de cerveja é reutilizado, o que garantiu à companhia receitas na ordem de R$115 milhões, em 2018.

A Ambev também adota medidas para reduzir a emissão de resíduos na cadeia de distribuição. Quanto a isso, a companhia se apoia em 3 pilares.

A renovação da frota com substituição por veículos elétricos reduz a emissão de 30 mil toneladas de carbono. Até 2023, a administração acredita que mais de 30% da frota de seus parceiros será composta por veículos elétricos.

A utilização de energia solar, através das usinas de Minas Gerais e do Rio de Janeiro, contribui para a renovação da matriz energética.

O compartilhamento da frota, por meio de parcerias estabelecidas, reduz a circulação de caminhões vazios e otimiza as rotas de transporte.

A quinta medida da estratégia envolve o lançamento de novas marcas, a “Nossa” e a “Magnífica”. Com isso, a empresa pretende desenvolver a agricultura e os mercados regionais. As cervejas são produzidas com insumos locais, por cervejarias locais, para consumidores locais.

Além da apresentação acerca da estratégia ODS da companhia, a Anheuser-Busch InBev, controladora da Ambev, anunciou ao mercado, nesta terça feira (19), mudanças no conselho administrativo da companhia.

As propostas da controladora envolvem a ascensão de Martin Barrington, ex-CEO e presidente da Altria, ao cargo de presidente do conselho administrativo da organização. O Sr. Barrington substituirá Oliver Goudet, presidente desde abril de 2015.

Tal transferência de cargo se deve a um possível conflito de interesses em função da posição do Sr. Goudet como CEO de outra grande companhia que atua no setor de bebidas através do segmento de café, a JAB Holding.

Além de Goudet, deixam o conselho os brasileiros Alexandre Behring, CEO da 3G Capital, e Carlos Alberto Veiga Sicupira.

O belga Stéfan Descheemeaker, que ocupa cargo no conselho desde 2008 e participa do grupo desde 1996, também deixou o conselho.

Para ocupar os cargos liberados, alguns nomes foram apontados pela companhia. A chinesa Xiaozhi Liu, fundadora e presidente da ASL Automobile Science & Technology, foi indicada para ocupar o lugar de Barrington.

Para substituir Alexandre Behring, o nome apontado pela companhia foi Claudio Garcia, funcionário da companhia desde 1991, quando começou sua carreira na Brahma. Claudio passou por diversos cargos na Ambev e na AB InBev, entre eles o de diretor de recursos humanos da holding.

Cecilia Sucuripa também foi apontada para o conselho. Hoje, a filha de Carlos Alberto Sicupira ocupa os conselhos da Ambev e das Lojas Americanas.

Por fim, Sabine Chalmers foi apontada para substituir o sr. Descheemaeker. A americana é formada em Direito pela London School of Economics. Sabine já ocupou o cargo de secretária do conselho administrativo de AB InBev.

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.

Nenhum comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia Mais...
Outras Seções

Ações

205 artigos
Ações

FIIs

52 artigos
FIIs

FALTAM POUCOS

DIAS PARA A

DIAS
 HOR
 MIN
 SEG

INSCREVA-SE E TENHA ACESSO À OFERTAS IMPERDÍVEIS!