ConhecimentoInvestimentos

Poupança: um hábito que contribui para a saúde financeira das pessoas

By 22 de dezembro de 2017 No Comments
Poupança é definida como o hábito de poupar capital

É sempre importante para um investidor compreender, pelo menos superficialmente, os conceitos existentes por detrás dos mais variados tipos de denominações presentes no mercado financeiro e, neste sentido, a poupança ainda é muito requisitada nessa conjuntura.

O ato de se constituir uma poupança é um passo bastante importante para a acumulação de patrimônio e até mesmo a formação de uma carteira previdenciária de investimentos, por isso a necessidade de se esclarecer bem esse conceito o quanto antes.

Poupança, o que é?

Na sua essência, a palavra poupança faz referência direta ao ato de poupar, ou seja, a aquilo que pode ser poupado.

Dessa forma, quando uma pessoa decide por não gastar parte daqui que recebe através do seu trabalho, do seu salário e/ou dos seus rendimentos, ela está fazendo, de fato, um “pé de meia” ou seja, está guardando um valor mensal para determinada finalidade.

Este valor economizado, guardado, e assim, efetivamente “poupado”, pode ser utilizado para as mais diversas finalidades dentro de suas expectativas.

Vale ressaltar que uma destas finalidades pode vir a ser, inclusive, a de investimento.

Assim sendo, essa pessoa (leia-se investidor) pode utilizar parte deste valor economizado mensalmente para investir e obter rendimentos a partir desta sua quantia poupada.

Poupança é investimento?

No Brasil, a palavra poupança ganhou também um outro significado, e hoje é muito utilizada para se referir à caderneta de poupança – a modalidade de investimento mais tradicional entre os brasileiros.

Esse tipo de aplicação financeira surgiu no século XIX, quando o imperador Dom Pedro II instituiu e regulou a Caixa Econômica Federal.

Naquela época, esta modalidade de investimento era destinada exclusivamente a pessoas de baixa renda.

Dessa maneira, a essa aplicação financeira foi sendo atualizada e modificada ao longo dos anos e, apesar de oferecer baixos rendimentos, até hoje é um dos investimentos mais comuns no Brasil – principalmente entre as classes mais baixas.

Rentabilidade da caderneta de poupança

Nos dias de hoje, a rentabilidade mensal da Caderneta de Poupança é definida pela Taxa Referencial (TR) acrescida de uma remuneração adicional de 0,5% (quando a taxa Selic for superior a 8,5%), ou 70% da Selic + TR quando a Selic estiver abaixo de 8,5%.

Vale lembrar, neste sentido, que a Taxa Selic é um importante balizador das taxas de juros praticadas no Brasil.

Ainda sobre a caderneta, este investimento possui baixos riscos, é protegido pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC) e está isento do pagamento de taxas de administração e impostos.

Além disso, esse tipo de investimento bastante popularizado no Brasil pode ser aberto em qualquer instituição financeira e, por conta destas facilidades, vem se mantendo, desde seu surgimento, como um dos investimentos mais populares do país, o de demonstra, de maneira bem clara, o baixo nível de educação financeira presente em nossa sociedade até os dias de hoje.

Conclusão

Ficou claro perceber que o ato de poupar é um hábito que deve ser trabalho desde a infância.

Infelizmente essa é uma realidade muito diferente da cultura do povo brasileiro hoje em dia – haja vista que tem se tornado cada vez mais rara na população – e, diante disso, aqueles que procuram desenvolver a prática da poupança em suas vidas tendem a apresentar, no decorrer dos anos, maior nível de saúde financeira do que a maioria dos brasileiros como um todo.

Compartilhe a sua opinião
Tiago Reis

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.