Acesso Rápido

    Plano Marshall: entenda o que foi esse plano de reconstrução

    Plano Marshall: entenda o que foi esse plano de reconstrução

    É possível observar diversas correntes econômicas que divergem sobre a necessidade da intervenção do Estado na economia. Uma corrente importante é o Keynesianismo que serviu de base para o Plano Marshall.

    Em uma Europa destruída após a Segunda Guerra Mundial, o Plano Marshall foi utilizado com o intuito de controlar a inflação nos países devastados e também fazê-los crescer nos anos seguintes.

    O que foi o Plano Marshall?

    Plano Marshall foi o nome dado a um programa de ajuda oferecido pelos Estados Unidos aos países europeus devastados pela Segunda Guerra Mundial.

    Ele foi implementado por meio de assistência técnica e financeira com objetivo de ajudar os países da Europa a se reerguer após a guerra.

    Guia de Economia para Investidores

    Confira os principais conceitos econômicos e aprenda como a economia pode influenciar seus investimentos com o nosso ebook gratuito de Economia para Investidores!

    Parabéns! Cadastro feito com sucesso.

    Ops! Algo deu errado. Tente novamente.

    Alguns autores evidenciam, que um dos objetivos do plano era evitar que certos países europeus sucumbissem à influência do socialismo soviético na época.

    Desse modo, essa foi uma maneira de tentar estabilizar o capitalismo na Europa ocidental e também garantir a integração dos países europeus.

    O nome dado ao programa faz referência ao general George Catlett Marshall (1880-1959) que era secretário de Estado dos EUA durante o governo Henry Truman. Marshall recebeu o prêmio Nobel da Paz em 1953.

    Resumo do Plano Marshall

    Devastada após a Segunda Guerra Mundial, a Europa não teria sido reconstruída sem um auxílio econômico internacional.

    Por conta disso, no mês de julho de 1947, houve uma reunião para definir o Programa de Recuperação Europeia que foi inspirado no plano proposto pelo economista John Maynard Keynes no ano de 1944.

    O Plano Marshall que também ficou conhecido como Marshall Plan, deu base para um novo modelo social que viria a ser conhecido como “Estado de Bem-Estar Social” nas décadas posteriores.

    Dentro do plano, os serviços necessários à população como saúde, educação, seguro-desemprego, previdência social, deveriam ser oferecidos pelo Estado.

    No ano de 1948, para efetuar a coordenação da distribuição dos fundos do Plano Marshall foi criada, portanto, a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

    Os recursos foram então, distribuídos à 16 países incluindo a França, Holanda, Alemanha Ocidental, Reino Unido, dentre outros.

    Não se sabe ao certo qual foi o valor total concedido durante todo o plano, mas estima-se porém que o valor aproximado foi de US$ 13 a 18 bilhões. Trazido para os dias atuais, esse valor chega próximo dos US$ 120 bilhões.

    Qual o objetivo do Plano Marshall?

    O principal objetivo do Plano Marshall foi traçar uma estratégia para combater o avanço do comunismo soviético no início da Guerra Fria.

    Por conta disso, o plano está inserido em um conjunto de medidas de combate ao avanço do comunismo que defendia a Doutrina Truman.

    Sendo assim, alguns países que viviam sob o controle soviético também foram convidados para participar do plano.

    Desse modo, se os EUA não tivessem interferido na Europa Ocidental, a sua própria economia teria sido afetada negativamente.

    Pois, com o fim da Segunda Guerra Mundial era imprescindível manter a capacidade da Europa pagar suas dívidas e manter as suas importações.

    Principais características do Plano Marshall

    Concessão de empréstimos a juros baixos foi, portanto, a principal característica deste programa de ajuda dos EUA aos países europeus que aceitassem as condições impostas pelos norte-americanos.

    Dentre as condições impostas no Plano Marshall, a principal era que os países que recebessem a ajuda deveriam comprar prioritariamente dos EUA, fazer uma política de estabilização monetária e anti-inflacionária e promover uma política de integração e cooperação.

    Este plano acabou, desse modo, colocando um fim no isolamento dos Estados Unidos, levando para a Europa a influência americana, o que garantiu um maior acesso aos EUA nos mercados europeus.

    Houve então uma abertura econômica na Europa para receber investimentos norte-americanos. Como consequência os países europeus reformaram seus sistemas financeiros, recuperaram sua produção bem como o nível de consumo.

    Foi possível entender o que foi o Plano Marshall? Deixe suas dúvidas nos comentários abaixo.

     

    Tiago Reis
    Compartilhe sua opinião
    3 comentários

    O seu email não será publicado. Nome e email são obrigatórios *

    • Hamilton Fernando 11 de agosto de 2020

      Quais foram os resultados em termos quantitativos do plano e em que medida é que tal plano foi proveitoso?

      Responder
      • Douglas F. Machado 15 de setembro de 2020

        Como tudo que é bom essa explicação foi clara, concisa e precisa. Entendo que o Presidente americano buscou uma alternativa de grande retorno para alavancar a economia americana e estancar o sucesso dos soviéticos na Europa e além. Perfeito para a minha necessidade de fazer referência em um trabalho de mestrado. Grato por sua iniciativa.

        Responder
    • HEbert Vitor 19 de outubro de 2020

      Fiz uma questão de geografia do Coltec Mg – 2018, que me pareceu estranha: O Objetivo do plano Marshall foi ajudar na reconstrução dos países ocidentais, a fim de evitar a expansão do socialismo soviético.
      Depois da explicação está mais esclarecido, entretanto os Estados Unidos também não interferiu no Japão (País Oriental) após as devastações causadas pela bomba?

      Responder