É crucial, para o investidor, saber o que é o payout. Em especial, para o investidor focado em receber dividendos de empresas.

Mas afinal, o que é o payout?

O payout se refere à porcentagem do lucro líquido distribuído, no forma de dividendos ou juros sobre capital próprio, aos acionistas da empresa.

No final de cada exercício, é comum as empresas que tiveram lucro distribuirem dividendos aos seus acionistas.

No entanto, as empresas podem escolher a parcela deste lucro que será distribuído.

Geralmente, as empresas possuem um percentual mínimo a distribuir, definido no estatuto da companhia.

Quando o estatuto é omisso em relação a este mínimo, a legislação obriga a companhia a distribuir no mínimo 25% do lucro líquido no exercício.

Vamos exemplificar o conceito de para que fique bem claro.

Suponha que você seja dono de uma empresa, a qual apresentou um lucro de R$100.000,00 no ano.

Esta companhia decide distribuir R$50.000,00 neste ano, através de dividendos.

Portanto, calculando o payout desta companhia temos que:

50.000 / 100.000 = 0.50

Ou seja, a companhia distribuiu 50% do lucro em dividendos para os seus acionistas.

O payout define o dividend yield

payout dividend yieldAgora que já sabemos o que é este índice, vamos entender a importância dele.

O payout é bastante importante, entre outras coisas, pois ele define o dividend yield de uma companhia.

Mas o que é dividend yield?

O dividend yield é o dividendo pago por uma ação, dividido pelo seu preço.

Suponha que uma ação de determinada empresa pague R$1,00 por ação aos seu acionistas, e que esta ação custe R$10,00 no mercado.

Qual é o dividend yield desta companhia?

Muito simples! Basta dividir o dividendo, pelo preço da ação, da seguinte forma:

1,00 / 10,00 = 0.10

Portanto, o dividend yield desta companhia é de 10%.

Mas como o percentual de distribuição do lucro de uma empresa afeta o dividend yield?

É bastante intuitivo. Vamos voltar ao exemplo inicial, da empresa que lucrou R$100.00,00 no ano e distribui R$50.000,00 aos seus acionistas, ou seja, distribuição de 50% do lucro líquido.

Vamos supor que esta empresa possua 5o.000 ações disponíveis. Ou seja, ela distribuiu R$1,00 por ação.

Se a ação da companhia custa R$10,00, com vimos, o dividendo yield será de 10%.

Mas se a gestão da empresa resolver reduzir o payout para 25%, para fortalecer o caixa da companhia, distribuindo apenas R$25.000,00, ou o total de R$0,50 centavos por ação, o dividend yield será:

0,50 / 10,00 = 0.05%

Portanto, 5%.

Logo, quando o percentual de distribuição do lucro se reduz, o dividend yield também se reduz. Há, desta forma, uma relação direta entre estes dois indicadores.

Empresas de alta rentabilidade, geralmente, conseguem crescer o seu lucro enquanto distribuindo boa parte dele ao seu acionista.

Observe, por exemplo, a evolução do payout da Egie, uma companhia do setor elétrico.

Egie payout

Egie payout – Release da empresa

Como é possível observar, a empresa foi capaz de manter a distribuição ao seu acionista elevada durante todo o período.

Chegando a até 100% em boa parte dos anos. Isto resultou em um dividend yield bastante satisfatório para o seu acionista.

Cuidado com payout extremamente elevados

cuidado com alto payout

Payouts altos, geralmente, significam um alto dividendo ao acionista. Portanto, um percentual de distribuição do lucro elevado é sempre bom, correto?

Não necessariamente.

Inclusive, é importante tomar cuidado com payouts extremamente elevados, como os acima de 100% de forma recorrente, por exemplo.

É importante avaliar se a companhia não está se endividando para realizar esta distribuição, pois isto pode ser péssimo para a empresa no longo prazo.

É importante, ainda, avaliar se a empresa não tinha melhor uso para o dinheiro distribuído aos acionistas.

Se uma companhia pode investir em projetos com retorno elevado, é melhor que ela retenha os lucros para realizar esses investimentos.

Desta forma, este investimento trará maiores lucros, e consequentemente, maiores dividendos no futuro.

Neste artigo, explicamos mais sobre o perigo de se ater apenas aos dividendos ao investir.

Payout baixos não são necessariamente ruins

Senior Solution Payout

Lucro e dividendo da Senior Solution – Economatica

Da mesma forma que um payout elevado não é necessariamente bom, quando este indicador é baixo também não é necessariamente ruim.

A companhia pode, por exemplo, estar retendo caixa para realizar novos investimentos, o que é um ótimo eral para o acionista.

Obviamente, estes investimentos necessitam ser bem feitos, e apresentar uma elevada taxa de retorno. Caso contrário, é preferível que a companhia distribua o lucro ao acionista.

Um ótimo exemplo disto é a companhia Senior Solution. A empresa mantém um percentual de distribuição do lucro reduzido, porém, por uma excelente razão.

A companhia está em plena fase de expansão, e realiza aquisições de outras empresas a múltiplos baixos. Sendo assim, a companhia pode capturar sinergias, e entregar ótimos ganhos ao seu acionista.

Na imagem acima, percebe-se como a distribuição de dividendo da Senior é baixa em relação ao lucro da companhia.

No entanto, a companhia vem entregando um ótimo retorno ao acionista, com expressiva valorização de suas ações desde o IPO.

Abaixo, econtra-se o vídeo de uma conversa da Suno com o RI da empresa Senior Solution.

 

Empresas com payout elevado

Multiplus Payout

Lucro e dividendos da Multiplus – Economatica

Embora, como acabamos de ver, o payout não defina o sucesso ou o insucesso de uma companhia, ele pode ser um bom indicador para o investidor.

Geralmente, as empresas que conseguem manter um elevado percentual de distribuição do lucro, enquanto crescem os seus lucros, são ótimos negócios.

Um grande exemplo disto é a Multiplus, empresa do setor de fidelidade.

Como pode se observar na imagem acima, a Multiplus distribui praticamente todo o seu lucro na forma de dividendos ao seu acionista, e isto não é um impeditivo da companhia de crescer.

Isto ocorre pois a empresa atua em um setor sub-penetrado e altamente rentável.

Além disso, é um setor que não é capital intensivo. Ou seja, a empresa não necessita realizar muitos investimentos para crescer.

O investidor, deve então, prestar boa atenção para empresas com histórico de lucros elevados, crescimento, e alto percentual de distribuição do lucro.

Conclusão sobre o payout

conclusao payout
É crucial que o investidor se atente para o percentual do lucro que a companhia distribui aos seus acionistas.

Afinal, ele define o dividend yield, uma forma importante de remuneração do investidor.

Além disso, mesmo que o o percentual de distribuição não defina o sucesso ou insucesso da companhia, ele pode ser um ótimo indicador ao investidor.

No entanto, ele deve ser avaliado caso a caso, pois cada empresa possui sua especificidade.

Algumas companhias podem se dar ao luxo de distribuir boa parte do lucro aos acionistas, já outras, necessitam gerar caixa, seja para honrar com dívidas ou para realizar novos investimentos.

Portanto, o investidor deve analisar com cuidado o payout de cada empresa. Assine a Suno e veja nossas recomendações de empresas de alta rentabilidade!

 

Compartilhe a sua opinião
Tiago Reis

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.