Por: Tiago Reis

Passivo financeiro: os itens que devem ser controlados pelas empresas

Quando se pensa no mercado financeiro, o que logo vem na cabeça são as complexas nomenclaturas existentes dentro desse universo. Dentre os vários termos, temos o tema dos ativos e passivos financeiros, que serão os temas comentados nesse artigo.

De modo geral, os passivos financeiros de uma empresa são os itens de posse da mesma que geram custos, seja de manutenção ou gastos em geral. As dívidas, por exemplo, podem ser considerados passivos financeiros. Além disso, outros exemplos são contas a pagar como salário de funcionários, energia elétrica, água, etc.

Os passivos financeiros podem ser divididos em quatro grupos: passivo a descoberto, são aqueles que indicam o saldo devedor nas situações em que os passivos são maiores que os ativos; os circulantes são os passivos que representam o que será pago em breve (até nos próximos 12 meses); o fictício, que representa as contas que foram pagas, e portanto não devem mais entrar no balanço e por ultimo o exigível, que são os valores que a empresa não tem obrigação de pagar (por exemplo, os bônus pagos a funcionários de uma empresa).

Diferença entre passivo e ativo financeiro

Os ativos e passivos financeiros são termos que embora parecidos, possuem significativas diferenças entre si.

Os ativos financeiros, de forma geral, são os bens ou posses de uma pessoa ou empresa que podem ser capitalizados e que ao longo do tempo podem gerar renda ao seu detentor. Alguns exemplos de ativos financeiros são ações, títulos públicos, CDBs, etc.

A diferenciação dos dois termos é de fundamental importância não somente para um contador, mas também para a empresa ou pessoa que deseja entender e saber o que fazer quanto ao uso do seu patrimônio líquido.

Afinal, saber separar um do outro é a maneira mais eficaz de se analisar o que é receita do que é gasto propriamente dito. Dessa forma, você estará entendendo melhor quais são as fontes de gastos de sua empresa e não somente os gastos correntes em si. Obtendo essa visão mais holística sobre suas finanças você será capaz de realizar cortes necessários de orçamento de maneira mais eficiente.

Exemplo de passivo financeiro no seu dia-a-dia

Por exemplo, podemos considerar um passivo, um carro popular utilizado para ir ao trabalho. Nele você gastará uma quantidade X de combustível por mês para poder utiliza-lo, além de gastos adicionais com manutenção e seguro, que são muito importantes e devem ser levados em consideração.

Lembre-se também de levar em consideração a depreciação do veículo, dado que os custos de manutenção irão sempre aumentar no decorrer dos anos seguintes de modo a deixar o seu carro em pleno funcionamento.

Não estamos de forma nenhuma desestimulando o nosso leitor a ter um carro. Acreditamos que há casos em que ele pode ser bastante necessário, sobretudo se a sua utilização é bastante frequente para grandes trajetos. Porém, numa economia domestica, ter um carro leva o seu dono a ter custos financeiros geralmente relevantes em seu orçamento e que pode muito bem repensado se assim julgar necessário.

Desse modo, podemos concluir dizendo que antes que o nosso leitor resolva adquirir um passivo financeiro, ele deve fazer uma análise patrimonial da sua atual situação econômico-financeira. Uma ferramenta muito útil para ajudar nesse controle é baixando a nossa planilha de investimentos gratuita.

 

 

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.

Nenhum comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia Mais...
Outras Seções

Ações

207 artigos
Ações

FIIs

54 artigos
FIIs

Minicurso Gratuito

Contabilidade Para investidores

Os principais conceitos sobre contabilidade que todo investidor precisa saber!