Acesso Rápido

    Participação nos lucros: como funciona este benefício para os empregados de uma empresa

    Participação nos lucros: como funciona este benefício para os empregados de uma empresa

    Para quem ainda não consegue viver de investimentos, receber a participação dos lucros na empresa onde trabalha é sempre muito bem-vindo.

    Dependendo da empresa, o montante pago de participação nos lucros pode ser bem alto. Logo, além de incrementar a remuneração do empregado, esse benefício aumenta a satisfação dos trabalhadores — tornando a relação entre as duas partes bem mais harmoniosa e alinhada com os objetivos da empresa.

    Como funciona o sistema de Participação nos Lucros e Resultados (PLR)?

    O Programa de Participação nos Lucros e Resultados (PLR) estipula o pagamento de percentual dos lucros obtidos por uma companhia para os seus empregados. Este benefício pode ser uma iniciativa do próprio empreendedor ou mesmo imposto por uma convenção coletiva.

    O que diz a lei sobre o PLR?

    Participação nos lucros

    Assim como todas as questões trabalhistas, a participação nos lucros tem uma regulamentação própria. Todavia, a Lei 10.101, de 19 de dezembro de 2000, determina que a participação nos lucros deverá ser negociada entre a empresa e seus funcionários.

    Esta negociação pode ocorrer por meio de uma comissão com representantes tanto da empresa quanto dos empregados. Neste caso, o número de pessoas representando cada lado deve ser igual. Estas, por sua vez, devem ser escolhidas por seus pares.

    Além disso, é necessária a participação de um representante do sindicato da categoria. Porém, existe ainda a possibilidade de que a convenção coletiva da categoria dos trabalhadores estipule a criação de um programa de participação nos lucros.

    A depender da convenção coletiva, ela pode estipular uma multa para as empresas que não implementarem programas neste sentido. Esta deverá ser paga a cada um dos funcionários da empresa que integrem a base do sindicato em questão.

    Vantagens do programa de participação nos lucros e resultados

    Participação nos lucros

    Muitas vezes, o programa de participação nos lucros pode ser encarado como uma obrigação financeira “desnecessária” pelas empresas. Porém, as vantagens do PLR incluem uma melhora geral na produtividade e a qualidade da sua produção ou serviço.

    Muitas companhias, em especial as indústrias, criam seus programas como uma forma de incentivar seus funcionários a produzirem mais e melhor.

    Como o PLR é calculado?

    Cada empresa decide, juntamente com o sindicato da categoria, como fazer a distribuição de lucros entre seus funcionários. Porém, o cálculo desse valor costuma seguir alguns aspectos gerais.

    Alguns pontos que normalmente são considerados no cálculo do PLR são:

    • Produtividade;
    • Qualidade;
    • Absenteísmo, e
    • Organização.

    Produtividade dos funcionários

    Quando o tema é produtividade, na maioria das empresas trabalha-se com metas. Logo, é preciso alcançar determinados objetivos para ganhar o PLR em sua totalidade.

    Do mesmo modo, há ainda companhias que bonifiquem seus funcionários quando as metas são extrapoladas. Desta forma, pagando um valor acima do proposto inicialmente como participação nos lucros.

    Qualidade da produção

    Quando o tema é qualidade, as indústrias, em especial, costumam ter de seguir normas e programas específicos para esta finalidade.

    Logo, é comum que aconteçam auditorias internas para verificar se todo o processo está correndo como deveria.

    Caso não esteja, os empregados podem ser penalizados com a perda de uma parte do total do PLR.

    Eventualmente, se houver multa de clientes por falta de conformidade no produto, este valor ainda pode sair do total da participação nos lucros da empresa.

    Absenteísmo e frequência

    O absenteísmo, por sua vez, considera as faltas não justificadas e os atrasos dos funcionários no cálculo do PLR. Este tópico costuma estar integrado ao plano de metas.

    Organização e atenção às normas internas

    Em seguida, a organização, como o nome sugere, julga questões instituídas pela própria companhia. Ela aborda os procedimentos internos, ditados pelo empreendimento. Se estas determinações não forem cumpridas, os trabalhadores podem ser penalizados.

    Lembrando que o PLR só pode ser fechado com a concordância dos trabalhadores, ainda que por meio do seu sindicato. Esta norma foi criada para impedir abusos por parte das empresas. Logo, isso evita que a empresa crie metas e padrões impossíveis de seguir.

    A participação nos lucros pode ser um instrumento interessante, que beneficia tanto as empresas quanto os empregados. Mas após receber a sua participação, você sabe o que fazer com o dinheiro? Se a resposta for não, a Suno com certeza por te ajudar. A melhor alternativa é sempre aplicar esse valor em um investimento rentável — e para você aprender como fazer isso, preparamos um material especial. Acesse agora nosso ebook Como viver de renda na Bolsa de valores e aprenda tudo sobre o investimento em ações e dividendos.

    Tiago Reis
    Compartilhe sua opinião
    Nenhum comentário

    O seu email não será publicado. Nome e email são obrigatórios *