Acesso Rápido

    Overhead: veja como identificar os custos indiretos de uma empresa

    Overhead: veja como identificar os custos indiretos de uma empresa

    Sem fazer uma boa administração, dificilmente uma empresa, seja ela qual for, conseguirá crescer. Por isso, os gestores precisam entender e administrar seus custos — principalmente aqueles custos chamados de “overhead”.

    Nesse caso, o overhead não envolve apenas a precificação dos produtos, mas todo um universo de otimização de recursos.

    O que são os custos overhead?

    O overhead, mais conhecido como custos indiretos, é a parcela dos gastos da empresa que existe para a manutenção das suas atividades no mercado, sem estarem necessariamente atrelados à sua atividade-fim.

    Este pode também ser conhecido como overhead cost.

    Trata-se de um dos elementos mais importantes dentro da contabilidade de custos de uma empresa. Inclusive, é possível encontrar o overhead na Demonstração de Resultado de Exercício (DRE).

    Qual é a importância de se conhecer o overhead?

    Para uma empresa crescer, não basta saber se durante o mês se ganhou mais do que gastou. É preciso conhecer seus gastos e ganhos a fundo. Inclusive para administrá-los melhor.

    Afinal, como reduzir um gasto que eu nem sequer sei que está ocorrendo?

    Ou como optar por ter uma frota própria de veículos à disposição da empresa se eu não sei o quanto gastaria em média com esta logística em aplicativos de táxi.

    A questão é que conhecimento é poder, especialmente no mundo empresarial.

    Como analisar um por um destes custos e despesas seria uma tarefa hercúlea, uma sugestão é dividi-los em dois grupos: custos diretos e custos indiretos.

    Os custos diretos são os que fazem parte diretamente da produção ou prestação de serviços, que é a atividade-fim do negócio. São aqueles que, sem eles, o produto não existiria.

    Já os custos indiretos, como vimos, são os gastos ocorridos na empresa, mas que não estão diretamente ligados à produção. Estes são gastos auxiliares.

    Exemplos de Overhead

    Os custos indiretos de uma empresa variação de acordo com o tipo de atividade que ela desenvolve.

    Considerando uma empresa cuja atividade principal seja a fabricação de empadas, podemos considerar como exemplos de custos diretos:

    • Farinha;
    • Carne;
    • Manteiga;
    • Gás de cozinha;
    • Setor de qualidade;
    • Manutenção do maquinário.

    Já os custos indiretos serão:

    • Transporte para a entrega do produto;
    • Gastos com limpeza geral;
    • Salário do pessoal de vendas;
    • Despesas do setor administrativo.

    Estes custos são indiretos por não fazerem parte daquilo que está totalmente atrelado à atividade-fim da empresa.

    Vamos a outra demonstração, desta vez, considerando uma empresa de serviços, um escritório de advocacia.

    Neste casos, os custos diretos podem ser:

    • Mão-de-obra dos advogados;
    • Papel para impressão de processos;
    • Computadores;
    • Internet.

    Já os custos indiretos são:

    • Limpeza;
    • Café;
    • Mão-de-obra da secretária;
    • Gastos com publicidade.

    Esses são exemplos de overhead por não fazerem parte daquilo que está totalmente atrelado à atividade-fim da empresa.

    Logo, há alguns tipos de overhead. Aquilo que, se eventualmente faltar, ainda pode haver produção.

    Como analisar o overhead?

    Ao descobrir seu gasto com os custos indiretos, a empresa poderá analisar formas de reduzi-los, se for o caso. Além disso, eles precisam ser rateados para compor o preço do produto ou serviço comercializado.

    Afinal, o overhead também faz parte dos gastos no negócio, que devem ser menores do que os ganhos, para que não haja prejuízo.

    Questões contábeis podem ser complexas. Por isso, a Suno Research oferece um minicurso de Contabilidade para investidores.

    Assim, a compreensão do overhead ficaria mais fácil.

    Tiago Reis
    Compartilhe sua opinião
    1 comentário

    O seu email não será publicado. Nome e email são obrigatórios *

    • Wladimir 19 de novembro de 2020

      Crítica: o minicurso de contabilidade é muito raso. Aprende-se mil vezes mais nos artigos do que no curso propriamente dito. Sobre o texto, excelente e de fácil compreensão.

      Responder