Ontem o IBOVESPA valorizou-se quase 5%, e atingiu o maior patamar desde maio, aproximando-se das máximas históricas.

Se você é investidor em bolsa, parabéns! Você é um vencedor.

Não é fácil ser investidor de longo prazo.

O investidor é bombardeado de notícias pessimista todos os dias. TODOS OS DIAS.

Faça este exercício: abra o jornal e veja se o tom não é sempre pessimista e catastrófico.

E quando você vai analisar os dados, a humanidade nunca foi tão prospera quanto hoje: nunca tivemos tanta riqueza distribuída, nunca tivemos uma taxa de alfabetização tão alta, nunca vivemos tanto.

Obvio que nem tudo são flores. Existem desafios.

Mas desde que eu nasci, praticamente todos os problemas foram sendo superados.

A inflação, a Guerra Fria, o Apagão, o Terrorismo. Todos parcial ou integralmente superados.

Obviamente, existe sempre uma crise ou tentativa de criar uma crise. No dia do Brexit tentou-se criar uma sensação de crise global. O mesmo foi feito com a crise turca recentemente.

E sabe quem prospera ao ver tudo isso? Os otimistas.

Em Wall Street, existe um ditado que diz o seguinte: “O Dow Jones escala uma muralha de preocupações”.

No gráfico acima podemos ver todos os tipos de eventos supostamente negativos impactando o mercado: sanções a Rússia, referendo na Grécia, votação do Brexit, eleição do Trump, etc.

Todos estes eventos criaram uma sensação de insegurança ao investidor mais inexperiente.

Qual a solução para sobreviver como investidor a este bombardeiro?

A primeira é conhecer muito bem os ativos os quais você investe, para ter a tranquilidade psicológica de segura-los nos momentos mais difíceis.

O segundo é investir em empresas rentáveis a bons preços, garantindo uma margem de segurança.

O mesmo ocorre no Brasil, aonde as ações começam a negociar próximas das máximas.

Se você segurou suas ações nos momentos mais difíceis, parabéns! Você é um herói.

Boa parte dos investidores desiste nos momentos mais difíceis.

A maioria das bolsas do mundo negociam neste instante próximas de suas máximas. A Bloomberg compila um gráfico da riqueza mundial das bolsas de valores: bem próximo da máxima também.

Eu sei que é difícil. Não é fácil ser otimista.

Eu sou um otimista. Nos momentos mais difíceis as pessoas me questionavam. Não basta eu ser otimista, eu preciso convencer os outros a não abandonarem o barco dos otimistas.

Mas no mercado de capitais, os otimistas no final ganham.

São eles que investem nos momentos mais difíceis. São eles que não vendem suas ações nas crises. São eles que podem rir por último hoje: com seu patrimônio próximo da máxima histórica, bem como seus dividendos.

Se você é um otimista como eu queria novamente te dar os parabéns. Nós podemos perder batalhas, mas no final os otimistas que ganham a guerra.

O mercado acionário pode até ter momentos negativos, mas tem uma tendência de valorização no longo prazo, pois a riqueza mundial anda para frente. A tecnologia avança, a produtividade avança, a economia avança. O mercado de ações avança.

Os últimos dias provam que vale a pena ser otimista.

Compartilhe a sua opinião
Tiago Reis

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.