O texto de hoje foi escrito pelo meu amigo e colega de trabalho, o Professor Marcos Baroni.

Eu aprendi (e ainda aprendo) com o Professor Baroni, que é uma das maiores autoridades no assunto sobre Fundos Imobiliários no país.

Segue abaixo o texto do Professor.

 

Investir não é simplesmente matemática – é também um estado de espírito.

Muitas vezes, somos levados a decisões não racionais. É natural.

Somos seres humanos e cometemos erros e acertos. A grande questão que fica é quão confortável estamos com nossos investimentos.

O Tiago Reis me pediu para contribuir com um texto para hoje, contextualizando para o dia a dia de um investidor de fundos imobiliários e como todo este arcabouço de informações podem contribuir para um resultado mais eficaz ao longo do tempo.

A bem da verdade, o investidor passivo de fundos imobiliários é um vencedor por natureza.

O fluxo de caixa livre mensal recorrente é uma dádiva.

Quem chegou até aqui e mantém um plano de aportes e reinvestimentos terá um futuro previdenciário – maior do que a média.

Sim, são palavras confortantes em um primeiro momento. Mas por outro lado, estar vigilante é também uma tarefa que não pode passar desapercebida.

Emagrecer, estudar, praticar atividades físicas, dentre outras ações importantes em nossas vidas exigem certo grau de acompanhamento.

Cuidar do dinheiro não poderia ser diferente, não é mesmo?

Uma regrinha simples que funciona para boa parte dos investidores de FIIs:

  • De 06 em 06 meses, procure rever cada fundo imobiliário da sua carteira. Isso mesmo – um a um. Reveja as premissas e se o FII em carteira ainda te passa a segurança necessária focado em um horizonte maior. Releia os últimos relatórios publicados para melhor juízo de valor.
  • De 12 em 12 meses, faça uma revisão macro estratégica. Vá mais fundo – veja como os novos aportes em fundos imobiliários poderão te trazer melhores resultados dali para frente. Acelere ou freie os aportes (e reinvestimentos) e, se necessário, busque maior diversificação entre classes, setores, ou mesmo em outros produtos.

Eu comecei a investir em fundos imobiliários em uma época onde as informações eram escassas e o trabalho que é feito na Suno Research hoje oferece dois fatores fundamentais para todo e qualquer investidor:

  • Aceleração de aprendizagem.
  • Melhor aproveitamento do tempo (direcionamento).

Com base nestes dois pontos colocados, oferecemos a todos que nos acompanham, materiais semanais que sintetizam as principais características dos FIIs disponíveis no mercado listado, de tal forma que o conhecimento chegue de forma mais direcionada ao investidor.

Uma leitura simples, mas com grau de assertividade que permite decisões racionais, o que de fato importa para investidores no longo prazo.

Além disto, temos ainda o artigo do Fiikipedia que traz conceitos importantes de serem reforçados e logo depois é feita uma Live em nosso canal do Youtube abordando questões atualizadas sobre os diversos fundos (perguntas e respostas), além de entrevistas com gestores e outros influenciadores do segmento.

Honestamente, eu aprendo muito nestas Lives também – cada pessoa apresenta um ponto de vista que nos faz refletir sobre nossas próprias premissas.

Eis a relevância de rever nossas estratégias de alocação de tempos em tempos. É saudável para a carteira. É saudável para o futuro.

Ainda sobre os nossos materiais: os Radares de FIIs às segundas feiras são ferramentas sensacionais para “follow up”, visto que são trazidos de forma sintética e objetiva os últimos acontecimentos de cada fundo.

Nas quartas-feiras, os Relatórios trazem um raio-x de um determinado fundo imobiliário ou mesmo algum estudo mais aprofundado sobre um setor imobiliário.

A conclusão é que todo investidor que decide usar entre 1h e 2h por semana para acompanhar o mercado de fundos imobiliários terá vantagens que o colocará e, principalmente, o manterá acima da média por maior parte do tempo ao longo de uma vida de acumulação e fruição de renda.

Compartilhe a sua opinião
Tiago Reis

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.