Acesso Rápido

    Nova Matriz Econômica: entenda o que é e como ela funcionou

    Nova Matriz Econômica: entenda o que é e como ela funcionou

    O Brasil, no decorrer da sua história apresentou, desse modo, diversos planos econômicos que não obtiveram bons resultados. Dentre os planos está a Nova Matriz Econômica.

    Criado no governo Dilma Rousseff, a Nova Matriz Econômica foi um projeto que colaborou para a queda do PIB e também para o aumento da Taxa Selic.

    O que é a Nova Matriz Econômica?

    A Nova Matriz Econômica foi um modelo macroeconômico adotado no Brasil no início de 2011 e perdurou até o final de 2014. Dentre as principais características deste modelo estão a intervenção do governo na economia assim como o aumento dos gastos públicos em investimentos.

    Esse modelo econômico foi criado pelo governo da presidente Dilma Rousseff, sendo ele de caráter desenvolvimentista. Para a sua aplicação foi abandonado, dessa forma, o tripé macroeconômico adotado no ano de 1999.

    Guia de Economia para Investidores

    Confira os principais conceitos econômicos e aprenda como a economia pode influenciar seus investimentos com o nosso ebook gratuito de Economia para Investidores!

    Parabéns! Cadastro feito com sucesso.

    Ops! Algo deu errado. Tente novamente.

    Um dos principais objetivos da Nova Matriz Econômica era, portanto, estimular a economia por meio dos gastos públicos, o que na prática não acabou surtindo os efeitos desejados.

    A Nova Matriz Econômica na prática

    Na prática, por conta de uma maior intervenção do Estado e também pelo aumento dos gastos públicos houve, contudo, uma pressão inflacionária na economia. No entanto, para evitar que a inflação saísse de controle, o governo adotou a prática de controle de preços dos combustíveis e derivados.

    Por conta desse controle, a Petrobrás (PETR4) foi, desse modo, requisitada a vender em muitas ocasiões o produto no mercado interno com preços inferiores aos que foram pagos no mercado externo. O resultado foi, portanto, uma queda acentuada nos lucros da estatal.

    O controle de preços também se estendeu para o setor elétrico, onde houve uma redução dos preços nas tarifas de energia, elevando o consumo. Durante os períodos de escassez, as distribuidoras acabaram enfrentando dificuldades entre 2012 e 2013, sendo necessário subsídios governamentais.

    Ao ser abandonada a Nova Matriz Econômica em 2015, observou-se uma alta de preços acelerada nas tarifas de energia e no preço dos combustíveis, elevando a inflação à casa dos dois dígitos, sendo ela chamada de inflação corretiva.

    Quer aprender a investir no Tesouro direto? Faça então o nosso minicurso sobre o Tesouro Direto.

    O aumento da relação PIB e Dívida

    Como o Estado aumentou os gastos para subsidiar o controle de preços e também investimentos por todo país, houve um aumento da dívida pública no período.

    Além disso, o PIB não cresceu o esperado no ano de 2014, o que fez a relação PIB/Dívida subir. Isso gerou instabilidade e aumento do risco país, diminuindo investimentos privados e levando o Brasil a sua mais profunda recessão.

    Por conta do aumento do risco, houve um aumento na taxa de juros para financiar a dívida pública brasileira. Isso fez com que os anos de 2015 e 2016 apresentassem uma queda brusca no PIB.

    As consequências da Nova Matriz Econômica

    Como consequência houve um aumento do desemprego no período e também um aumento da inadimplência das famílias brasileiras. A inflação no ano de 2015 atingiu a marca de 10,6% levando a uma fuga de capitais o que também elevou o câmbio.

    Esses problemas macroeconômicos só foram controlados no ano de 2017 após a criação da PEC 241/55, conhecida como Emenda Constitucional do Teto dos Gastos Públicos.

    Essa emenda limita o crescimento das despesas e dos investimentos do governo brasileiro ao ano anterior corrigidos apenas pela inflação. Além do mais, ela alcança os três poderes além do Ministério Público da União e da Defensoria Pública da União.

    Com isso, a inflação passou a apresentar quedas graduais, possibilitando cortes da Taxa Selic, aumentando a confiança dos investidores e também diminuindo os juros da dívida interna brasileira.

    Dessa forma, a Nova Matriz Econômica, além de não atingir os seus objetivos ainda colocou o Brasil em uma situação bastante delicada na ocasião.

    Foi possível entender o que é Nova Matriz Econômica? Deixe suas dúvidas nos comentários.

    Tiago Reis
    Compartilhe sua opinião
    Nenhum comentário

    O seu email não será publicado. Nome e email são obrigatórios *