Nasdaq 100

Você conhece o Nasdaq 100?

O Nasdaq 100 se trata de um dos índices de ações mais famosos do mundo. Foi lançado em 1985 e possui uma capitalização de mercado de mais de $ 7 trilhões de dólares.

O Nasdaq 100 é um índice compostos pelas 100 maiores empresas não financeiras com ações negociadas da bolsa de valores da Nasdaq. A Nasdaq é uma bolsa de valores especializada em empresas de tecnologia. Até por isso o índice vem apresentando uma perfomance bastante sólida desde a sua criação.

O índice é composto, entre outros aspectos, de acordo com o valor de mercado das empresas. Ou seja, quanto maior o valor de mercado, maior a representação de cada empresa no índice. O valor de mercado é nada mais do que a quantidade de ações de uma companhia multiplicada pelo valor de cada ação.

Por exemplo, se uma empresa possuir 5 milhões de ações com o valor de US$ 20 cada o seu valor de mercado será o total de US$ 100 milhões.

O índice apresenta alguns critérios para a inclusão de companhias, como por exemplo:

  • Não ser do setor financeiro
  • Ser listada em bolsas de valores da Nasdaq
  • Não estar em situação de recuperação judicial
  • Média diária de negociação acima de 200 mil ações

Não há um valor de mercado mínimo para a empresas fazer parte do índice, porém ela deve fazer parte das 100 maiores companhias que cumprem todos os demais critérios acima estabelecidos.

Fazem parte do índice as famosas empresas FAANG, que representam as inicias, respectivamente, de: Facebook, Apple, Amazon, Netflix e Google.

Gráfico da Nasdaq 100

Gráfico da Nasdaq 100

Fonte: Nasdaq

Observe acima o gráfico da Nasdaq 100. Os índice representados, em ordem de melhor perfomance, são os seguintes:

  1. Nasdaq 100 – Em laranja
  2. Nasdaq Composite – Em azul escuro
  3. S&P 500 – Em amarelo
  4. Dow Jones – Em azul claro

Como pode ser notado pelo gráfico da Nasdaq 100, este índice superou todos os seus pares americanos de 2011 até 2018.

Isto pode ser explicado pela sólida perfomance das empresas de tecnologia americanas.

Estas empresas se notabilizaram pela forte geração de caixa e baixa necessidade de capital intensivo. Sendo assim, os retornos sobre o capital investido e retornos sobre o patrimônio líquido se tornaram bastante altos.

Isto foi o grande motor da geração de valor para os acionistas destas grandes empresas.

É possível em vários países do mundo investir no índice das 100 maiores empresas da Nasdaq através dos ETFs. Nos seguintes países, além é claro dos EUA, é possível investir em um ETF que representa o Nasdaq 100:

  • Alemanha
  • Canadá
  • índia
  • China
  • França
  • Austrália

No Brasil ainda não há um ETF que represente este índice de ações.

Nasdaq 100 – empresas

Empresas que fazem parte do Nasdaq 100

FAANG: Facebook, Apple, Amazon, Netflix e Google. Crédito da imagem: Seeking Alpha

O grande motivo para o recente sucesso deste índice de ações são as empresas que os compões.

Mas quais seriam estas empresas?

Em 2018 as 5 empresas do Nasdaq 100 com maior representação foram, em ordem:

  1. Apple
  2. Microsoft
  3. Facebook
  4. Amazon
  5. Google

É interessante notar que são todas empresas conhecidas pela população. Inclusive, grande parte das pessoas utilizam os serviços fornecidos por estas companhias diretamente.

Elas ainda apresentam em comum a característica de possuíram um balanço patrimonial bastante enxuto.

Outras empresas conhecidas e presentes no índice são: Colgate, Netflix e Kraft-Heinz.

Fatos curiosos sobre o índice

A bolha da internet

Você já pode ter ouvido falar da bolha da internet dos anos 2000.

Esta bolha atingiu em cheio as empresas do Nasdaq 100.

A bolha da internet se deu em meio à empolgação com as novas empresas que surgiam com a revolução da internet. Eram feitos bastante IPOs na época, e as empresas negociavam com múltiplos de mercado extremamente altos, precificando um cenário otimista que se mostrou bastante irrealista.

O que ocorreu foi que várias empresas se mostraram não lucrativas, e que na verdade queimavam bastante caixa. Isto ocasionou em perdas enormes para os que entraram no otimismo irrealista do mercado.

Quando a bolha estourou, nos anos 2000, o mercado de ações viu uma das maiores quedas da sua história. Observe no gráfico do Nasdaq 100 abaixo como se passaram mais de 15 anos para o índice retornar ao mesmo patamar do momento em que a bolha estourou.

A bolha da internet

A bolha da internet: 15 anos para o índice se recuperar

A bolha serviu de lição para os investidores sempre prestarem bastante atenção no valuation das empresas. Caso você queira saber mais sobre como mensurar o valor de companhias você pode fazer o nosso curso sobre valuation de empresas.

Valorização pós crise de 2008

A crise financeira de 2008 abalou os mercados globais.

No entanto, para quem teve coragem de investir nas 100 maiores empresas da Nasdaq no auge da crise isto se mostrou uma ótima decisão.

O gráfico abaixo mostra como, em seguida da crise, as ações valorizaram quase 500%.

Valorização da Nasdaq desde 2008

Valorização pós crise de 2008

Na época grandes investidores, como Warren Buffett, alertaram para a grande oportunidade que estava se apresentando no momento. Buffett, inclusive, foi um dos que aproveitou para comprar ações das grandes empresas americanas.

Conclusão sobre o Nasdaq 100

Fica claro, portanto, que o Nasdaq 100 é um importante índice do mercado acionário, composto pelas principais empresas do mundo. Ele se apresenta como uma alternativa interessante de investimento, embora seja sempre importante prestar atenção em relação à precificação dos ativos, de forma a não entrar em uma onda de otimismo injustificável.

Compartilhe a sua opinião
Tiago Reis

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.