AnalisesConhecimentoInvestimentos

Múltiplos de mercado como forma de otimização do trabalho do investidor

By 18 de outubro de 2017 No Comments

No universo da bolsa de valores é muito comum investidores utilizarem os múltiplos de mercado como ferramentas quantitativas para ajudar nas análises de parâmetros ou comparar uma ação de outra companhia semelhante a ela .

Por conta disso, tornou-se necessário a criação de uma série de múltiplos de mercado que, até certo ponto, ajudam o investidor nas suas tomadas de decisões sobre investimentos de longo prazo.

Afinal, o que é um múltiplo de mercado:

Um múltiplo de mercado é a relação entre o preço do mercado de uma ação e suas variáveis operacionais, como dividendos, lucros, geração de caixa, entre outras.

O objetivo do uso dessas relações é confrontar as principais variáveis da empresa com seu preço negociado, a fim de identificar oportunidades de investimento a um preço baixo.

Basicamente, os três principais múltiplos de mercado são:

  • P\VPA
  • P\L
  • Dividend Yield (DY)

A seguir trataremos com mais detalhes do que se trata cada um desses múltiplos de mercado bem como suas principais utilidades:

P\VPA

Esse é o múltiplo de valor patrimonial, um dos múltiplos mais populares do mercado, porém, dos menos compreendidos por seus utilizadores.

O cálculo do P\VPA é feito através da divisão do preço de mercado da ação negociada em bolsa (P) pelo valor do patrimônio líquido da empresa (VPA), identificado no balanço patrimonial de uma companhia e dividido pelo número de ações da mesma.

Como podemos ver no esquema a seguir:

P\VPA = Preço de mercado \ patrimônio líquido por ação

Em geral, empresas que possuem esse múltiplo num número inferior a 1, significa que o mercado não espera que a companhia colha bons resultados nos seus resultados futuros, o que pode se tornar realidade ou não, que vai de acordo com a visão e expertise de cada investidor.

O contrário acontece se esse múltiplo for superior a 1 pois, assim, significa que o mercado acredita que os resultados da empresa serão minimamente promissores no futuro.

O segredo do P\VPA é o investidor utilizá-lo, aliado a outras informações sobre a empresa e fazer seu próprio julgamento se a companhia se encontra ou não numa posição de mercado subvalorizada em relação a seu patrimônio líquido.

P\L

É o múltiplo mais comum de todos. Muito utilizado pelos investidores para saber o quão o preço da companhia está atrativo em relação a seus lucros.

Para calcular o P\L é simples, basta dividir o preço da ação negociada em mercado pelo lucro por ação reportado nos últimos 12 meses.

A fórmula é a seguinte:

P\L = Preço \ lucro por ação

O P\L é um dos melhores múltiplos para avaliar a atratividade relativa de uma ação.

Em geral, uma ação que se encontra com um P\L muito elevado, significa que a companhia está num patamar supervalorizado.

O contrário acontece quando esse múltiplo se encontra num patamar muito baixo, significando que a companhia se encontra num preço subvalorizado.

No entanto, cabe um detalhe na análise desse múltiplo.

É preciso se atentar que um número em si, não provê ao investidor de informações necessárias para fazer um bom investimento.

Muitas vezes, companhias que se encontram com uma relação P\L muito baixa, permanecem nesse patamar indefinidamente, pois carecem de resultados sólidos e crescentes na maioria das vezes.

Então, é nessas horas que o investidor deve estar preparado para uma análise mais detalhada dos dados da companhia.

Dividend yield (DY)

O dividend yield, de modo simplificado, significa a taxa de retorno do capital do acionista nos últimos 12 meses sobre o preço de uma ação negociada em bolsa naquele momento.

O dividendo é a remuneração provida pela empresa após ela fazer frente a todas suas obrigações e resolver distribuir o caixa livre dessas desses custos e despesas a seus acionistas.

O dividendo é calculado de forma bastante simples, segue a fórmula:

Dividend yield = Dividendo pago por ação \ Preço por unidade de ação

O dividend yield é um fator muito valorizado pelo mercado, pois é a remuneração livre que o dono da ação tem sobre o seu capital investido.

Em geral, quanto maior o resultado dessa relação melhor é para o acionista.

Conclusão

Uma visão detalhada dos aspectos operacionais das companhias deve sempre ser levado em conta numa análise de fundamentos.

Por conta disso, os múltiplos de mercado são números importantes como um complemento na análise de ações, mas não devem, sob nenhuma hipótese, serem analisados de forma isolada.

Compartilhe a sua opinião

Tiago Reis

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.