Conhecimento

Conheça em mais detalhes a história e como funciona a moeda bitcoin

By 14 de Janeiro de 2018 No Comments

 

Muito comentada pela mídia em geral, o bitcoin é uma moeda que foi criada virtualmente com alguns propósitos bem específicos, um deles é a descentralização de seu poder e o outro é a impossibilidade de haver uma multiplicação exponencial da sua oferta monetária, assim como acontece com a moeda fiduciária em todos os países.

Muitos atestam que a vantagem de não ser controlado por um banco central, garante à moeda bitcoin o mantimento do seu poder de compra.

A bitcoin é classificada como uma critomoeda, e é produzida descentralizadoramente por milhares de computadores de pessoas que emprestam a sua capacidade de processamento para criar novas bitcoins e registrar todas as transações realizadas pelo mercado.

Surgimento da moeda Bitcoin

O bitcoin foi criado por um personagem que possui o pseudônimo de Satoshi Nakamoto, inicialmente ele representava um indivíduo ou um grupo de pessoas que criaram o protocolo original da moeda no ano de 2008.

Indícios mostram que o envolvimento dessa entidade parece ter tido fim em meados de 2010, antes disso, Nakamoto mantinha-se ativo postando informações técnicas e garantindo o bom funcionamento da criptomoeda nos seus estágios iniciais.

Sendo responsável pela criação de boa parte do protocolo e aceitando raras contribuições externas, Nakamoto em abril de 2011 informou a um colaborador do bitcoin que teria  “partido para novos coisas”.

Processo de mineração

O processo de nascimento de uma moeda bitcoin vem a partir do que é chamado de “mineração”, como foi dito no início, são apenas computadores conectados à rede competindo entre si na resolução de problemas matemáticos. Quem ganha esse jogo recebe um bloco da moeda.

Existe um limite para a mineração de bitcoin, que foi estipulado em até 21 milhões de unidade que devem ser mineradas até o ano de 2140. Dessa forma, o nível de dificuldade é ajustado pela rede, para que a moeda cresça dentro desses limites.

Inicialmente, quando a moeda foi criada, para minerar bitcoin era muito mais simples, bastando deixar o computador ligado por dias de forma a deixa-lo trabalhando nos problemas matemáticos que eram muito menos complexos.

Com o aumento exponencial do numero de interessados, o trabalho de minerar bitcoins está ficando limitado cada vez mais limitado a supercomputadores que despendem de uma elevada carga de energia. A concorrência ficou tão elevada que surgiram até novos computadores com hardwares dedicados exclusivamente à tarefa como o Avalon ASIC.

Utilidade prática da moeda bitcoin

Depois que um indivíduo compra um bitcoin ele receberá um código com letras e números, denominados de “endereço”. Quando essa pessoa quiser comprar qualquer produto ela fornecerá esse tal endereço ao vendedor. Nessa transação, tanto o comprador quanto o vendedor têm suas identidades mantidas no anonimato, porém a transação é mantida pública.

Na teoria, seria possível contratar serviços e comprar produtos com essa moeda no mundo todo, porém o numero de empresas que aceitam bitcoin ainda é bastante reduzido.

Alguns países como Rússia e Japão, é mais comum observarmos mais transações em moeda bitcoin de modo que algumas centenas de milhares de estabelecimentos aceitam transações com a mesma.

Por outro lado, a China, como muitos outros países tentam e todas as formas fechar o cerco contra as criptomoedas, ordenando o fechamento de várias plataformas de câmbio, além de tentando punir aqueles que negociam com a moeda.

Em nossa opinião, arriscar dinheiro de modo especulativo apenas pelo fato de que todos estão comprando a moeda bitcoin com os preços estão subindo pela lei da oferta e demanda não é uma atitude prudente. Acreditamos muito mais na compra de bons ativos pagadores de renda, dos quais podem oferecer muito mais garantias de bons rendimentos no longo prazo, com muito menos risco de perdas permanentes de capital.

 

 

Compartilhe a sua opinião

Tiago Reis

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.