Acesso Rápido

    Mesada educativa: entenda o que é e como calcular o seu valor

    Mesada educativa: entenda o que é e como calcular o seu valor

    A educação financeira está crescendo no Brasil. Inclusive, muito se fala da importância da mesada educativa para nossos jovens.

    Dessa forma, para que eles aprendam a controlar melhor as suas finanças pessoais, é preciso que eles ganhem a mesada educativa e sejam orientados sobre a melhor forma de usá-la.

    O que é a mesada educativa?

    A mesada educativa é um valor que os pais repassam para seus filhos para que eles usem no seu dia a dia e aprendam a lidar com o dinheiro.

    Todas as crianças possuem, assim como os adultos, desejos de consumo. Portanto, para que eles tenham um novo videogame, um novo álbum de figurinhas ou qualquer outro produto é preciso que aprendam a conquistar esses bens.

    Planilha de Orçamento Familiar

    Como anda a organização das suas contas? Baixe gratuitamente nossa planilha de Orçamento Familiar e melhore o planejamento financeiro da sua família!

    Parabéns! Cadastro feito com sucesso.

    Ops! Algo deu errado. Tente novamente.

    Portanto, a mesada será o primeiro passo na educação financeira para as crianças. Caberá aos pais, porém, ensiná-las a gastar de forma correta e poupar para conseguir ter um um algo que desejam.

    Qual a importância da mesada educativa?

    Com a mesada educativa a criança aprende a realizar um planejamento financeiro. Pois, se ela gastar todo o dinheiro no começo do mês acabará ficando sem dinheiro no final do mês.

    Desse modo, ela passa a ir equilibrando as despesas ao longo do tempo, assim como sabe o quanto precisa poupar por mês para ter algo mais caro.

    Além disso, ao julgar que o preço de um produto está alto pelo que ganham, ela também aprende a fazer cotação e substituí-lo por um produto mais em conta para não gastar toda sua mesada educativa.

    No entanto, os pais têm um papel fundamental para auxiliar os filhos na gestão financeira. Portanto, é importante inserir os filhos nas finanças familiares, para que eles entendam a verdadeira situação financeira da casa.

    Quer ensinar educação financeira para seu filho? Baixe então a nossa planilha vida financeira.

    Qual valor deverá ser pago para a criança?

    O valor da mesada educativa poderá variar de acordo com a idade da criança. No entanto, não há uma regra geral sobre o valor que os pais podem dar para os seus filhos.

    Porém, o papel educativo poderá começar quando o filho completa os três anos de idade. Até os cinco anos, o objetivo é fazer com que eles se familiarizem com o dinheiro.

    Nesta idade não se pode dar muito. Moedas semanais e um cofrinho é uma boa maneira de fazê-los aprender a importância de começar a poupar.

    Já quando eles completam 6 anos, o valor da mesada educativa pode ir aumentando. Há educadores que utilizam a regra que diz que o valor dos 06 aos 10 anos é de R$ 1 por semana multiplicado pela idade do filho. No entanto, cada pai deve decidir o valor a ser dado baseado com sua realidade.

    Nessa idade já é importante que os pais conversem com os filhos sobre a necessidade de poupar e fazer uma reserva financeira. Inclusive, mostrando que eles precisam ter um projeto pessoal ou um sonho que irá depender do dinheiro poupado.

    Quando a criança completa 11 anos de idade os educadores sugerem que seja incorporado um valor mensal. O ideal é que isso seja feito todo começo de mês. Mas, não há uma regra para isso.

    Educação financeira deverá partir dos pais

    A educação financeira começa na primeira infância da criança. A mesada educativa tem um importante papel nesse aprendizado.

    No entanto, é preciso que os filhos aprendam a dar valor para o dinheiro. Evitando assim, gastos com compras desnecessárias, inclusive sabendo substituir produtos no momento da escolha.

    Com isso, eles irão crescer sabendo poupar, investir e sobretudo, também saberão a melhor forma de gastar o dinheiro.

    Foi possível entender a importância da mesada educativa? Deixe suas dúvidas nos comentários abaixo.

    Gabriela Mosmann
    Compartilhe sua opinião
    1 comentário

    O seu email não será publicado. Nome e email são obrigatórios *

    • Guilherme R. 28 de outubro de 2020

      Muito bom o post Gabriela, estou estudando sobre o assunto e consegui esclarecer alguns pontos importantes. Obrigado!

      Responder