Lucro econômico

Antes de escolher onde investir seu dinheiro, um ponto importante a se conhecer é a diferença entre lucro econômico e lucro contábil.

Tanto o lucro econômico quanto o lucro contábil são fundamentais para a empresa saber qual foi o seu resultado, mas cada um tem suas próprias características.

O lucro econômico é a diferença entre a receita da empresa e os custos de oportunidade. Trata-se de uma visão mais subjetiva do resultado, considerando detalhes da gestão que são importantes para o negócio.

O lucro contábil (que também é conhecido como resultado financeiro), por sua vez, é mais direto.

Ele considera apenas a matemática do cálculo onde o lucro é o resultado da receita total menos os custos explícitos totais.

Assim, por mais que o período de apuração de ambos seja o mesmo, diferente do lucro econômico, o lucro contábil não considera os custos de oportunidade.

Para quem não sabe, o custo de oportunidade é o que mede se o negócio está usando ao máximo o seu potencial de ganho.

Por causa desta diferença, o lucro contábil tende a ser maior do que o lucro econômico.

Lucro econômico como instrumento de gestão

Lucro econômicoO lucro econômico inclui em seu cálculo pontos que precisam ser considerados pelos gestores e sócios da empresa em sua tomada de decisão.

Isso porque eles variam de acordo com o segmento do negócio, seu tamanho, as escolhas e objetivos do gestor.

Por isso, só é possível tomar decisões acertadamente se estes dados mais abrangentes estiverem claros.

Podemos dizer que o lucro econômico demonstra, de forma mais real, o resultado da empresa e onde estão localizados os problemas em potencial.

Então, a partir destas informações, o gestor percebe onde deve investir e o que precisa ser remanejado ou ajustado.

Tais medidas precisam ser tomadas a fim de que o negócio possa atingir seu potencial máximo de rendimento.

Lucro econômico visando o futuro

Por ser mais completo, o lucro econômico ajuda a ter uma perspectiva melhor de um futuro próximo da empresa.

E esta é uma informação valiosa para qualquer investidor em potencial daquele negócio.

Afinal, ninguém quer entrar em um barco que está naufragando.

Então, quem estiver considerando aplicar seu dinheiro em um negócio deve, antes de qualquer coisa, analisar os resultados econômicos dele.

Vamos considerar o exemplo de um lojista do setor de cosméticos.

O comerciante tem um estoque de produtos considerável, que não está saindo conforme o esperado e que, a cada dia, chega mais perto do final da sua validade.

Se você olhar esta situação do ponto de vista contábil, suas contas estarão bem. Aparentemente, há ativos suficientes para deixá-las no azul.

Mas, encarando sob a ótica econômica, há um sério problema nesta conta, que poderá resultar em prejuízo.

Por isso é tão importante para um investidor, mas também para o gestor, considerar tanto o lucro contábil quanto o lucro econômico em suas decisões.

Os dados financeiros de um empreendimento, por mais relevantes que sejam, não são suficientes para visualizarmos se o negócio tende a ser lucrativo ou não.

Ainda que no curto prazo.

Então, se o investidor observar o lucro econômico das empresas pode deixar de comprar ações de empreendimentos que não darão o melhor retorno possível.

Compartilhe a sua opinião
Tiago Reis

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.