Acesso Rápido

    Lógica e Emoção nas Decisões de Investimentos

    Veja como o comportamento humano é capaz de influenciar decisões de investimentos. Entenda um pouco mais sobre este assunto relacionando lógica e emoção.

     

    Para começar este Suno Call, gostaria que você, leitor, respondesse rapidamente as três perguntas que seguem:

    1. Uma raquete e uma bolinha custam, no total, R$ 1,10. A raquete custa R$ 1,00 a mais que a bolinha. Quanto a bolinha custa?
    2. Se é preciso cinco minutos para que cinco máquinas fabriquem cinco peças, quanto tempo demoraria para que 100 máquinas façam 100 peças?
    3. Em um lago, existe uma região coberta por plantas. A cada dia, a região dobra seu tamanho. Se leva 48 dias para que a região cubra todo o lago, quanto tempo leva para que metade do lago seja coberto?

    Respondeu?

    Pois bem, estas questões – um tanto quanto famosas – fazem parte de um teste chamado Cognitive Reflection Test (traduzido como Teste de Reflexo Cognitivo) criado por Shane Frederick. Professor de Yale e, anteriormente, do MIT, Frederick desenvolveu este teste para avaliar a comparação entre as respostas baseadas no impulso emocional e as sustentadas pelo raciocínio lógico.

    Cada uma das questões tem uma resposta “óbvia”, porém incorreta, além de outra menos óbvia, porém correta.

    Na primeira questão, o impulso é de responder R$ 0,10. No entanto, com um pequeno cálculo matemático, é possível chegar facilmente no verdadeiro preço da bolinha: R$ 0,05.

    Já para a segunda questão, a rápida reação, guiada por um paralelismo nos números, muitas vezes, nos faz responder 100 minutos. No entanto, refletindo melhor, podemos constatar que cada máquina produz uma peça em cinco minutos. Então, para que cem máquinas produzam cem peças, são necessários cinco minutos.

    Por fim, vamos à terceira questão. Nela, muitos dividem o número de dias pela metade, o que leva à resposta de 24 dias. Entretanto, se a cada dia a região dobra de tamanho, no penúltimo dia ela estava cobrindo metade do lago. Portanto, a resposta correta é 47 dias.

    Não se preocupe se você errou uma ou mais respostas, você não está sozinho. Na verdade, após aplicar este teste em quase 3.500 pessoas, Frederick descobriu que apenas 17% respondeu as três questões corretamente. Talvez você não se surpreenderá se eu disser que 33% dos indivíduos erraram todas.

    O grupo que melhor se saiu foram os alunos do MIT: 48% acertaram as três. Isso ainda é menos do que a metade de alguns dos melhores estudantes do mundo.

    O teste também já foi aplicado para profissionais da área dos investimentos, como gestores de fundo e analistas. Apenas 40% respondeu as três corretamente, enquanto 10% do conjunto errou todas as perguntas.

    O que este teste nos mostra?

    Além deste teste, muitos outros estudos são responsáveis por mostrar que os seres humanos são bastante propensos a tomar decisões com base em emoções, em detrimento às decisões lógicas.

    Adicionalmente, há correlação entre o número de respostas corretas e a vulnerabilidade geral a toda uma série de aspectos comportamentais. Isto é, aversão à perda, conservadorismo e impaciência.

    Cabe ressaltar que, ainda que tenham acertado o teste inteiro, indivíduos não estão livres das tomadas de decisão emocionais. Muito pelo contrário, podem sofrer também de excesso de otimismo e confiança, entre outros.

    Onde quero chegar?

    Buffett nos diz que “investir é simples, porém não é fácil”. Isto é, considera-se fácil entender os passos para o sucesso: comprar ativos financeiros por um preço abaixo de seu valor intrínseco, para vendê-los acima do valor justo.

    No entanto, a gama de vieses comportamentais que o ser humano demonstra tende a impedi-lo de fazer o que ele sabe que deve fazer.

    Como observou Seth Klarman, investidor e autor de Margin of Safety:

    “Até mesmo os investidores mais bem treinados cometerão os mesmos erros que os investidores vêm cometendo desde sempre. E o farão pela mesma razão imutável: eles não podem evitar”.

    Isso porque o cérebro humano se refina ao longo do processo evolucionário, assim como qualquer outro aspecto de nossa existência. Mas a evolução se dá de maneira muito lenta, de modo que nossos cérebros ainda estão condicionados para o que vivíamos há cerca de 150 mil anos. Isto é, ainda estamos condicionados a reagir de maneira emocional em situações adversas, como uma queda brusca de preços no mercado de capitais.

    Com isso, podemos dizer que nossas mentes não estão completamente adaptadas à era industrial, que se iniciou há cerca de 300 anos. Além disso, estão menos adaptadas ainda à era da informação que vivemos atualmente.

    Portanto, é importante reconhecer os gatilhos que nos levam às falhas nos investimentos, explorando a psicologia por trás delas. Adicionalmente, é fundamental aprender a exercitar o uso da lógica ao invés da emoção, durante as tomadas de decisão importantes, para maximizar o potencial de sucesso no âmbito dos investimentos.

    Tiago Reis
    Compartilhe sua opinião
    Nenhum comentário

    O seu email não será publicado. Nome e email são obrigatórios *