leilão de linha
Por: Tiago Reis

Leilão de linha: entenda como funciona essa operação cambial

Dependendo do momento e da volatilidade do câmbio, as altas e baixas do dólar podem prejudicar a economia brasileira. Por isso, o Banco Central dispõe de vários mecanismos para interferir no mercado de câmbio brasileiro. Um deles é o chamado leilão de linha.

Por exemplo, a alta do dólar impacta na inflação. Para evitar prejuízos a economia o Banco Central faz o leilão de linha, isso é, vende os dólares que possui para evitar o aumento da moeda.

O que é o leilão de linha?

Os leilões de linha são operações cambiais que ocorrem quando o Banco Central pretende injetar dólares no mercado. Essa estratégia acontece, principalmente, quando a falta da moeda estrangeira eleva o câmbio de forma abrupta. Assim, os leilões de linha tentam reduzir a pressão pela alta procura do dólar.

No leilão de linha, a venda de dólares é feita a vista com os recursos das reservas internacionais do Brasil. Esses recursos em moeda estrangeira permitem que o Banco Central manipule o câmbio da moeda nacional.

Como funciona o leilão de linha?

Em 2010, o Banco Central alterou a duração do leilão de linha. Atualmente, são cinco minutos para as negociações. Assim, o banco aumentou o dinamismo do processo.

Após os lances, é gerada uma lista com os volumes ofertados, isso, sem a identificação da instituição. Após isso, o setor de Política Monetária do Bacen definir a taxa de corte.

No Brasil, no caso do leilão de linha, os recursos vendidos precisam ser devolvidos ao Banco Central em alguns meses. Antes disso, esses dólares ficando circulando no mercado.

E-book Investindo no Exterior

Como a moeda retorna para reservas depois, o Bacen considera essas operações como não impactantes as reservas internacionais.

O Banco Central tem um sistema para comunicação dos leilões. O Sistema de Informações Banco Central, SISBACEN,comunica as instituições autorizadas os horários dos leilões e as regras.

Para quem é feita a venda de dólares no leilão de linha?

Nem todos podem participar do leilão de linha do Banco Central. A instituição restringe a participação apenas instituições credenciadas pelo Tesouro Nacional, isso é, só os dealers. Mas ainda assim é preciso estar dentro de uma série de critérios como:

  • Volume negociado no mercado interbancário;
  • Volume dos títulos de dívida pública;
  • Volume financeiro dos contratos de swap cambial;
  • Volume de câmbio financeiro negociado.

Após respeitar todos os critérios, as instituições ainda precisam cumprir outras exigências do Banco Central:

  1. Funcionar há seis, no mínimo;
  2. Ter uma boa situação econômica;
  3. Ter normalidade operacional;
  4. Políticas para melhorar o seu capital social;
  5. Comunicação direta com o Departamento de Operações de Reservas Internacionais.

Quer saber mais sobre política monetária, mercado financeiro e investimentos? Fale com a Suno. Está disponível gratuitamente o e-book “Investindo no exterior”, e descubra como investir da melhor forma no mercado estrangeiro.

Quando o leilão de linha é feito?

O mercado cambial passa por alguns momentos que são mais comuns a falta de dólar. Dessa forma, o mercado já se prepara em determinados meses, principalmente, próximo de datas de férias. Quando muitos viajam e aumenta a procura pelo dólar.

Quando há falta de dólar no mercado há o aumento do cupom cambial. Isto é, uma taxa de juros do mercado cambial. Quando esse juros aumenta é um sinal da falta do dólar no Brasil.

Em dezembro de 2018, o Banco Central leiloou 12,25 bilhões de dólares para conter a inflação no país.

Em resumo, o leilão de linha é uma medida do Bacen para manobrar o valor do câmbio sem perder as reservas externas.

 

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.

Nenhum comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia Mais...
Outras Seções

Ações

342 artigos
Ações

FIIs

52 artigos
FIIs

eBook Gratuito

INvestindo
No
Exterior

Descubra como você também pode investir nas maiores empresas do mundo.