jbs ações
Por: Tiago Reis

JBS Ações – Por que o mercado castiga a empresa de maneira recorrente?

A JBS é uma empresa que possui mais de seis décadas de história e atualmente é o maior produtor de proteínas do mundo e também a segunda maior empresa de alimentos do planeta. Por isso, as ações da JBS costumam serem pesquisadas por muitos investidores.

Apesar de toda sua grandiosidade da JBS, ações da empresa sofreram quedas significativas no ano de 2017, muito por conta de escândalos de corrupção ligados à operação lava jato.xx

As ações da JBS representam a menor fração do capital social da empresa, e são detidas pelos seus sócios. Os detentores das ações tem direito a receber uma parcela do lucro da empresa na forma de proventos.

Pela composição acionária da empresa seus principais acionistas são: Bndespar, braço de investimentos do BNDES e J&F, holding dos irmãos Batistas. Um pouco mais de 35% das ações JBSS3 estão em circulação no mercado.

Como é possível ver através do gráfico abaixo, a JBSS3 vêm sofrendo quedas impactantes desde 2015, o que demonstra muito claramente que o mercado vem precificando uma diminuição nos fundamentos da empresa devido aos fatos de corrupção noticiados, além de um aumento significativo do endividamento líquido da companhia.

  1. JBS ações – Escândalo
  2. JBS ações – Histórico
  3. Margens e rentabilidade da JBS
  4. Endividamento da JBS
  5. A JBS é uma empresa sólida?
  6. Resultados da JBS em 2017
  7. JBS ações – Conclusão 
JBS ações sofrem muita volatilidade no mercado
Fonte: site Fundamentus

JBS ações – escândalo


JBS ações escândaloUm fato marcante no histórico das ações da JBS foi a bombástica notícia que abalou todo o Brasil, a delação da JBS, feita através de uma gravação com o presidente Michel Temer na qual eles supostamente estariam pagando pelo silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha.

Essa notícia não apenas atingiu as ações da JBS no dia 18 de maio, mas também o mercado como um todo, derrubando bastante o preço das ações a patamares bem abaixo dos dias anteriores.

De nossa parte, deixamos bem claro que esse dia foi bastante oportuno para fazer compras seletivas de bons ativos, dos quais obtivemos bons resultados.

Esse receio do mercado se deu muito por conta do possível atraso ou até cancelamento da agenda de reformas propostas pelo governo.

Além de um desgaste inevitável da imagem do presidente perante a população e consequentemente ao Congresso brasileiro.

Além disso, outro fato que impactou negativamente as ações da JBS foi a deflagração da operação Carne Fraca, a qual teve início no dia 17 de março de 2017. Esta operação representou o estopim para o escândalo o qual envolviam várias grandes empresas, dentre elas as marcas da JBS e da sua principal concorrente, a BRF Foods.

Essa operação se deu a partir das acusações de adulteração da carne que era vendida pelas companhias envolvidas, tanto no mercado interno quanto no externo.

A operação, inclusive, resultou no embargo de exportações de alguns países em relação à carne produzida no Brasil.

JBS ações – Histórico


histórico JBS açõesA embora o nome da JBS tenha estado evidência nos últimos meses face aos grandes acontecimentos recentes, a empresa é mais reconhecida por suas marcas subsidiárias.

Muitos delas, inclusive, fazem parte do dia a dia do brasileiro, tais como a Seara e a Friboi.

No entanto, até chegar à situação de ter marcas tão fortes, a JBS passou por uma grande expansão.

A companhia foi fundada em 1953, e tem suas origens vinculadas à construção da cidade de Brasília.

Ela fornecia alimentos aos trabalhadores que construíram o distrito federal, encontrando ali uma alta demanda.

A empresa teve início em Goiás, na cidade de Anápolis. A partir de uma pequena planta, que processava até 5 cabeças de gado por dia, deu início a um grande crescimento.

Expandido tanto organicamente, quanto através de aquisições, tornou-se uma empresa global de alimentos, com destaque para o setor de proteínas.

Em 2007, como parte do plano de seu plano de expansão, a companhia teve suas ações listadas em bolsa, sob o ticker JBSS3.

Atualmente a empresa está presente em 5 continentes. Contando com mais de 400 unidades de produção em todo o mundo. Além disso, trabalha também com produtos frios e congelados, que possuem maior valor agregado para venda.

Pode-se ter uma ideia da magnitude do crescimento da JBS ao analisar a evolução de seu faturamento.

Entre 2006 e 2016 a receita bruta cresceu mais de 40x. Em 2017, a receita líquida da empresa chegou à marca de R$ 163,2 bilhões.

Todo este crescimento contribuiu para a diluição dos custos fixos da empresa. Isto é muito importante, ainda mais levando em conta que a empresa atua em um setor que demanda muito capital.

Todo este crescimento da JBS contou com a ajuda do BNDES, mas posteriormente foram reveladas irregularidades nesta parceria.

Margens e rentabilidade da JBS

JBS margens de lucro
Margens da JBS – Fundamentus

Um fator muito importante ao analisar empresas é levar em conta as suas margens e rentabilidade.
As margens podem ser encaradas como o que sobra para a empresa da receita de seus produtos.
Ela pode ser analisada sob diversas óticas, tais como:

  • Margem bruta
  • Margem Ebit
  • Margem Ebitda
  • Margem líquida

A margem bruta leva em conta o lucro bruto da empresa. Já a margem Ebit leva em conta o lucro antes dos juros e impostos.

A margem Ebitda considera o lucro antes dos juros, impostos, amortizações e depreciações. Enquanto a margem líquida considera o lucro líquido.

Todos estes fatores citados acima são divididos pela receita operacional líquida da empresa, de forma a obter as suas respectivas margens.

Por exemplo, dividindo-se o lucro Ebit pela receita operacional líquida, é obtido a margem Ebit.

Possuir margens elevadas é um indicativo de alta rentabilidade e efetividade de um negócio.

Ao analisar as margens históricas das ações da JBS, é possível constatar que ela oscila em torno de patamares que podem ser considerados baixos.

A margem Ebit, como pode ser visto na imagem acima, oscila entre 3% e 7%.

Devido à margem baixa, em um cenário de crise, onde a empresa tenha de reduzir o preço de seus produtos, ela pode facilmente passar a operar no prejuízo.

No entanto, a margem baixa não é característica apenas da JBSS3, mas do seu setor como um todo.

A BRF foods também possui margens que podem ser consideradas baixas quando comparadas com empresas de outros setores.

Ao analisar os indicadores de rentabilidade da JBS também é possível concluir que a empresa não é altamente rentável.

O ROIC (Retorno sobre o capital investido), historicamente, situa-se abaixo de 10%.

Na prática isto significa que, para cada R$ 100 investidos pela empresa, ela consegue menos de R$ 10 como retorno.

Ações da JBS – Endividamento

Dívida líquida / Ebitda da JBS – Economatica

Um outro fator que foi bastante determinante para a cotação da ação da JBS cair é o fato de o balanço da empresa ter se apresentado bastante frágil recentemente.

Dívida da JBS em 2017

Segundo os dados divulgados pela JBS no último trimestre de 2017 o endividamento líquido da companhia chegou a R$ 45,28 bilhões, enquanto o patrimônio líquido da empresa se encontra significativamente menor, com um valor de R$ 24,28 bilhões.

Ademais, quando verificamos o endividamento da JBS sobre a ótica do quociente entre o endividamento líquido / lucro Ebitda, temos um valor de 3,38x, do qual podemos considerar bastante perigoso, colocando o futuro da companhia e o patrimônio dos seus acionistas sobre uma incerteza elevada.

Quando o endividamento se torna perigoso

Endividamento é sempre um fator sensível ao se analisar o balanço de uma empresa.

É importante ressaltar, entretanto, que dívida não é necessariamente ruim.

Se uma empresa consegue captar recursos de forma barata, e aplicá-los a uma taxa maior, ela estará fazendo um bom negócio.

Esta é, inclusive, uma forma de otimizar o uso do capital do acionista.

Por exemplo: Se uma companhia consegue captar recursos a uma taxa de 5% ao ano, e aplicar estes recursos em projetos que rendam 10% ao ano, é muitíssimo aconselhado que a empresa assim o faça.

Pois dessa forma, sem empregar capital próprio, a empresa consegue obter lucro na operação. Lucro que é o suficiente para pagar a dívida e sobrar recursos para os acionistas.

O grande perigo do endividamento é quando ele se torna muito elevado.

Isto pode fazer com que o custo da dívida se torne cada vez maior. Assim, pode ficar inviável para a empresa obter lucro líquido, devido a alta despesa financeira.

Os limites de endividamento que consideramos saudáveis são, no máximo, dívida líquida / Ebitda igual a 3x.

E também dívida líquida igual a no máximo o valor do patrimônio líquido.

Como vimos anteriormente, o endividamento da JBS se encontra acima em ambos estes critérios.
Isto pode ser encarado como um sinal de alerta para que possui interesse em investir em JBSS3.

A JBS é uma empresa sólida?

marcas da jbs
Marcas da JBS – Fonte: RI da empresa

Neste vídeo falamos sobre as principais características de empresas sólidas.

Entre estas características, destacam-se:

  1. Resultados estáveis
  2. Margens Elevadas
  3. Baixo endividamento
  4. Setor perene

Ao considerarmos estas características para avaliar a JBS vemos que empresa não cumpre alguns destes critérios.

As ações da JBS reportam resultados que oscilam bastante. Em alguns momentos a empresas tem grandes lucros, em outros, o lucro pode se reduzir abruptamente. Ainda, em alguns períodos a empresa chegou a reportar prejuízo.

Como vimos anteriormente, a empresa também não apresenta margens elevadas. Isto pode dificultar a saúde financeira da empresa em momentos de turbulência, como o vivido recentemente. Isto pode, inclusive, corroborar para a queda na cotação das ações da JBS.

Ainda, a empresa apresenta um endividamento elevado, que se encontra acima dos patamares razoáveis.

Em compensação a não cumprir estes 3 primeiros critérios, pode-se dizer que a empresa cumpre facilmente o quarto ponto.

Isto porque o setor de alimentos é extremamente perene. Como foi colocado no vídeo, este é um setor que existe há muitos anos, e que continuará existindo no futuro.

Além disso, não é um setor que sofre grandes rupturas em seu modo de produção.

Embora aconteçam avanços tecnológicos, pode-se dizer que este é um setor muito mais previsível que os demais.

Isto contribuiu com um aumento da previsibilidade da JBS. O que pode ser visto com bons olhos pelo seu acionista.

Afinal, os investidores gostam de previsibilidade sobre os resultados, pois isto torna o investimento menos arriscado.

Resultados da JBS em 2017


Resultados da JBS em 2017Ao avaliar uma empresa é essencial prestar bastante atenção aos seus resultados.

Com as ações da JBS (JBSS3) não poderia ser diferente.

No ano de 2017, um ano muito turbulento para a empresa, ela conseguiu apresentar um resultado positivo.

O Ebitda da empresa foi de R$ 13,4 bilhões, crescendo 18,9% em relação ao ano anterior.

Ainda, a margem Ebitda saltou de 6,6% para 8,2%.

Esta melhora se deve, entre outros fatores, por conta dos menores custos dos produtos vendidos, menores despesas administrativas e por um melhor resultado financeiro.

Importante ressaltar que, durante o ano de 2017, a empresa vendeu alguns ativos como parte do seu plano de desinvestimento.

Este plano busca reduzir a alavancagem, tendo como meta chegar no ano de 2019 a uma alavancagem em torno de 2x o Ebitda.

Para o ano de 2018, a empresa espera reduzir este indicador para um patamar inferior a 3x.

A companhia gerou, em 2017, R$ 5,20 bilhões em caixa nas atividades operacionais.

Representando um aumento de 41,9% em relação ao ano anterior.

Já o fluxo de caixa livre foi de R$ 2,77 bilhões, um aumento de 2070,0% frente ao ano de 2016.

É possível dizer que a empresa teve um relativo sucesso em seu resultado operacional em 2017, mesmo em um ano muito desafiador.

No entanto, é importante ressaltar que 2016 não foi um ano com uma base de comparação muito forte.
Além disso, não é garantido que o crescimento apresentado em 2017 irá se perpetuar para os anos seguintes.

Conclusão – JBS ações


jbs ações

Pode-se afirmar que vários foram os motivos fundamentais que justificaram a queda nos preços das ações da JBS.

Fatores como um elevado endividamento, baixas margens, envolvimento em casos de corrupção e rentabilidade baixa podem afastar muitos investidores das ações da JBS.

A queda que as ações da JBS tiveram em 2017 traz uma série de lições para os investidores, dentre elas a importância de se associar a projetos tocados por um gestores com um bom histórico de honestidade e cuidado na tomada de decisões estratégicas da empresa. Portanto, o investidor deve sempre se atentar para avaliar a gestão de uma empresa, e levar em conta a postura da gestão em sua tomada de decisão de investimento.

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.

Nenhum comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia Mais...
Outras Seções

Ações

210 artigos
Ações

FIIs

54 artigos
FIIs
bull

eBook Gratuito

Como analisar uma ação

Conheça o Passo A Passo para você analisar quais as melhores ações para investir!