ConhecimentoInvestimentos

Investimentos: a importância desse fator nas finanças de uma pessoa

By 8 de novembro de 2017 No Comments

Muitas pessoas possuem o interesse em saber com maior profundidade a respeito dos mais diversos tipos de investimentos que existem, atualmente, no mercado.

Não é difícil concluir que, para essas pessoas, uma boa alternativa de investimentos é sinônimo de multiplicação do patrimônio ao longo do tempo.

A grande questão que muitas vezes esses potenciais investidores acabam por indagar é:

Quais seriam os melhores investimentos a se fazer em um mercado tão grande como Brasil?

Ou

Quais investimentos financeiros devo fazer com um montante de x reais?

Ou, ainda

Quais os melhores investimentos para 2017? (essa é muito comum em época de réveillon rs)

Diante disso, é fácil perceber que muitas pessoas que possuem a curiosidade e a disponibilidade de aplicar parte de seus recursos muitas vezes se esbarram nessa falta de conhecimento que, certamente, age como uma barreira para o atingimento de seus objetivos.

Muito dessa realidade pode ser reflexo de uma histórica cultura de baixa (ou nenhuma) educação financeira repassada aos alunos pelos meios de educação formais.

É claro que esse fator dificulta muito a fomentação do mercado financeiro no Brasil como um todo, mas não deve ser usada como alicerce para que continuemos com esse índice tão baixo de pessoas aplicando seus recursos.

Voltando para as indagações iniciais, é preciso que se esclareça, de antemão, as dúvidas básicas presentes nas pessoas ainda leigas em relação à aplicação de seus recursos, de modo que os riscos e as surpresas desagradáveis sejam diminuídos ao máximo no emprego de seus recursos.

Melhores investimentos

Essa foi a primeira indagação levantada no início deste texto e, para sermos bem sinceros, essa resposta não existe por um motivo bem simples e direto.

O melhor investimento é aquele que atende às expectativas e, principalmente, ao perfil individual de cada pessoa.

Todos nós somos diferentes, possuímos características e comportamentos diferentes, e essas qualidades refletem diretamente no modo em que lidamos com o nosso dinheiro e nosso patrimônio.

Existem pessoas que são mais propensas a correrem riscos, enquanto que outras se sentem mais seguras e tranquilas em situação que transparecem mais tranquilidade e segurança.

No primeiro caso, investimentos em renda variável são uma boa alternativa, isto por que, como o próprio nome já diz, esse tipo de aplicação se caracteriza por não apresentar, de maneira premeditada, quais serão os índices de rentabilidade daquela aplicação.

Já para o segundo grupo, ou seja, para as pessoas menos dispostas a encararem riscos em seus negócios, é recomendável que se aplique em ativos de renda fixa, pois neste tipo de aplicação existe uma margem de segurança maior e, ainda, é possível se saber com antecedência quais serão as rentabilidades daquele investimento, além do prazo de resgate e, ainda, de que forma aquele crédito será empregado pelo tomador daquele capital.

Investimentos financeiros com X reais

Esse outro tipo de questionamento é bastante comum no mundo das finanças.

De uma maneira bem direta, existem ativos financeiros que atendem a praticamente qualquer quantia financeira.

No que diz respeito à renda fixa, existem CDBs e títulos do Tesouro Direto que podem ser aplicados sob quantias mínimas menores que R$100,00, o que torna esse tipo de aplicação bastante acessível.

Já no que diz respeito à renda variável, existem, ainda, fundos imobiliários e ações que podem ser negociados por menos de R$ 50,00 reais, incluindo-se as taxas cobradas pelas corretoras.

Assim sendo, é possível perceber que para qualquer pessoa o universo dos investimentos é bastante acessível, o que falta, na maioria das vezes, é o conhecimento financeiro que, atualmente, se encontra a níveis muito baixos no Brasil.

Quais os melhores investimentos para 2017?

Essa, realmente, é uma pergunta que, de antemão, nenhuma pessoa pode responder com precisão.

Quem disser que consegue, provavelmente, estará mentindo.

Conseguir prever o futuro é uma capacidade impossível para o ser humano, e nas aplicações isso não é diferente.

É claro que toda a conjuntura econômica tende a dar sinais, na maioria das vezes, de para onde os mecanismos econômicos podem estar migrando, mas, novamente, saber isso de antemão é realmente bastante complicado.

Entretanto, analisando-se um cenário de queda de juros, por exemplo, é possível sim afirmar que a rentabilidade de aplicações de renda fixa atreladas a Selic podem perder sua performance e, com isso, uma movimentação maior de capital possa ser feita por parte do mercado para alternativas em renda variável, como ações e fundos imobiliários.

Mas é importante perceber que este tipo de análise só é possível de ser feita com base em premissas reais (queda da taxa de juros), e não se sorteando cara ou coroa.

Conclusão

Investir é uma tarefa que exige bastante controle e autoconhecimento.

Por isso, procurar estudar e conhecer com antecedência os mais diversos tipos de ativos financeiros e suas características, além dos riscos e prazos, se faz de fundamental importância para que uma pessoa consiga, no longo, um resultado satisfatório em seus investimentos.

Compartilhe a sua opinião
Tiago Reis

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.