insider information

Você sabe o que é insider information?

O uso da insider information caracteriza o crime financeiro de insider trading.

Insider information é um fato não público a respeito de empresas listadas em bolsa de valores, ou ativos negociados no mercado secundário, que pode garantir vantagem indevida para quem possui posse da informação.

São algumas situações suscetíveis ao uso de informação privilegiada:

Exemplo do uso de insider information

Para você ter uma ideia mais concreta do que se trata o uso de insider information será apresentado um exemplo hipotético.

Suponha que um importante diretor de uma grande empresa sabe que a sua companhia irá, muito em breve, realizar uma fusão com a sua principal concorrente.

Com essa fusão é esperada uma grande valorização das ações de sua empresa. Afinal, a concorrência estará diminuindo e a empresa poderia obter economias de escala.

Com isto em mente o diretor compra uma quantia extremamente grande de ações de sua empresa dias antes da fusão ser anunciada para o público. Este diretor obteve, portanto, uma vantagem a partir de uma informação privilegiada.

Este crime, é importante ressaltar, não ocorre somente em ocasiões de valorização dos ativos.

Operadores também podem se beneficiar de ativos em desvalorização, utilizando o mecanismo de venda a descoberto. Ou através das opções de venda.

Com essas operações, basicamente, se obtém um lucro com a queda do valor do ativo.

Suponha, por exemplo, que um executivo sabe que a sua empresa irá perder um contrato muito relevante. Ao anunciar o fim deste contrato as ações, portanto, devem cair bastante.

Este executivo, ciente de tal fato, realiza enormes vendas a descoberto das ações de sua empresa. Obtendo, dessa forma, um grande lucro para a sua pessoa. Isto, portanto, se caracteriza como um caso de insider trading.

É importante ressaltar que também é considerado crime caso insiders comuniquem a terceiros a respeito de informações privilegiadas, de forma que estes obtenham lucro operando no mercado.

Caso de insider trading no Brasil

A legislação brasileira apresenta um baixo número de ocorrências do uso de informação privilegiada.

No entanto, no ano de 2018, ocorreu um caso muito famoso desse tipo de operação.

Os irmãos Batistas, sócios da empresa JBS, foram acusados pela polícia federal do uso de informação privilegiada.

Segundo a acusação, os irmãos Joesley e Wesley Batista usaram da ocasião da delação premiada da JBS para lucrar no mercado financeiro.

A acusação argumenta que os réus sabiam do impacto que a divulgação da delação causaria no mercado. Os sócios, então, atuaram vendendo ações da JBS através de sua controladora, bem como comprando no mercado de futuro e derivativos ativos relacionados ao dólar.

Na ocasião os sócios da empresa chegaram a ter um pedido de prisão preventiva executado. Os advogados de defesa alegaram que as operações se tratavam apenas de um hedge para as receitas da empresas. Ou seja, se tratavam de uma proteção contra a alta do dólar, e não de um caso de insider trading.

Quando a delação foi divulgada, de fato, as ações da empresa sofreram uma grande queda, bem como o dólar subiu bastante. Isto, segundo a acusação, caracteriza o uso de insider information e garantiu um retorno de mais de R$ 250 milhões para a empresa.

Compartilhe a sua opinião
Tiago Reis

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.