ConhecimentoInvestimentos

Inflação, você sabe o que está por detrás desta importante definição?

By 2 de janeiro de 2018 No Comments
inflação

No universo das finanças, muito se fala nos noticiários e nos meios de comunicação em massa, a respeito da inflação e de seus impactos na economia.

Entretanto, poucas pessoas têm, de fato, conhecimento sólido a respeito desse representativo parâmetro econômico que possui o poder de influenciar diretamente os rumos da política monetária do país e, por conta disso, se conscientizar a respeito da dinâmica da inflação é um comportamento bastante necessário para um investidor focado no longo prazo.

Definição de inflação

A definição da inflação nada mais é do que uma representação, em porcentagem, da variação generalizada dos preços de determinada economia.

É importante destacar, contudo, que esse importante conceito não diz respeito ao aumento de apenas um bem ou serviço específico, e sim a uma média da maioria dos produtos e serviços que consumimos ao longo de determinado período.

Indicadores da inflação

Existem também muitos indicadores de inflação no mercado, que são utilizados como forma de se mensurar essa métrica, e é sempre válido comentar a respeito destes.

  • IPCA: Um deles é o IPCA (Índice de Preços do Consumidor Amplo), que é o índice oficial dessa definição inflacionária no Brasil e é apurado e calculado mensalmente pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
  • IG-M: Existe, ainda, o IGP-M (índice Geral de Preços do Mercado), que é calculado também mensalmente, porém pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas – IBRE/GGV. Este apresenta como maior relevância o fato de ser o principal indexador dos contratos de aluguel e diversos outros contratos comerciais.

Estes dois importantes indicadores são muito próximos em suas definições, porém, conforme destacado acima, são medidos por instituições diferentes.

Causas da inflação

Diversos são os motivos do acontecimento desse fenômeno econômico em uma economia.

Um deles pode ser relacionado ao aumento nos custos de produção dos produtos, que ocasiona, por consequência, aumento os preços finais ao consumidor. Dessa forma, se o preço dos insumos que as empresas – produtoras de bens e serviços – aumentam, os seus custos de produção tenderão também a aumentar e, com isso, essa diferença é repassada ao consumidor final na forma de aumento dos preços.

Outro relevante fator que pode ser definido como uma das causas da inflação é o excesso de demanda de determinado produto que não pode ser atendido totalmente pela oferta. Esse tipo de situação pode ser decorrente do aumento da renda da população não acompanhado pelo aumento da produção desse produto.

Existe, ainda, a chamada inflação crônica, que se traduz no aumento contínuo da quantidade de moeda na economia. Um exemplo clássico desse fenômeno é a emissão de moeda pelo governo como forma de financiar o seu déficit, por exemplo.

Consideração

É preciso que as pessoas, principalmente os investidores, se atentem que o grande e principal desafio relacionado a esse conceito inflacionário se faz no fato desse comportamento da economia ocasionar uma redução no valor da moeda e no poder de compra do capital.

Em outras palavras, em um cenário inflacionário, um mesmo montante financeiro tende a conseguir comprar menos produtos e/ou serviços ao longo do tempo por conta da diminuição do poder aquisitivo daquela quantidade de dinheiro.

Ainda, em uma situação inflacionária, reduz-se o retorno da maioria dos investimentos, principalmente daqueles relacionados à renda fixa.

Conclusão

Ficou claro a importância que esse parâmetro econômico possui no que diz respeito ao nosso dia-a-dia como consumidores e, principalmente, no manuseio de nossas decisões enquanto investidores.

Em uma economia com alto índice de inflação, a tendência é que o cenário financeiro se torne mais árduo e desafiador para aquelas pessoas que desejam ver o seu capital se multiplicar no mercado de capitais.

Compartilhe a sua opinião
Tiago Reis

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.