Acesso Rápido

    Índices de rentabilidade: Descubra os 2 indicadores mais importantes

    Índices de rentabilidade: Descubra os 2 indicadores mais importantes

    Você já sabe dizer se uma companhia é mais rentável que outra? Para isso usamos os índices de rentabilidade.

    Os índices de rentabilidade são indicadores fundamentalistas muito úteis  para avaliar quão eficientemente uma determinada companhia consegue utilizar o seu capital próprio e de terceiros para produzir lucros. Neste artigo falaremos de dois indicadores:

    • Retorno sobre patrimônio líquido (ROE)
    • Retorno sobre capital investido (ROIC)

    Mas antes de prosseguirmos, é importante relembrar que nenhum indicador, por mais bem construído que seja,  deve ser utilizado individualmente. Sempre um conjunto de índices dará uma visão melhor da empresa, pelo menos no que diz respeito aos resultados passados.

    Então vamos começar falando do ROE.

     

    Avaliando a rentabilidade através do ROE

    Rentabilidade acima da Selic
    Rentabilidade acima da Selic – Economatica

    O retorno sobre patrimônio líquido, também chamado de ROE (Return On Equity) é dado pela seguinte fórmula:

    ROE = Lucro Líquido / Patrimônio Líquido

    Costumamos pegar o lucro líquido sempre de 12 meses. Já no denominador, o padrão é utilizar o valor mais recente divulgado do patrimônio líquido. Contudo, existem variações em que se utiliza o valor de início do período ou a média em 12 meses.

    Agora vamos ver um exemplo:

    • Lucro Líquido : R$ 50 milhões
    • Patrimônio líquido: R$ 500 milhões

    Portanto, ROE = R$ 50 / R$ 500 = 10%

    Mas e como interpretar o ROE ?

    Quando estamos avaliando o ROE, estamos pensando na rentabilidade da empresa no nível dos acionistas. O lucro líquido, desde que se converta em caixa, é uma representação da geração de caixa para os acionistas da empresa.

    Portanto, também deve ser comparado com o patrimônio líquido, medida aproximada do dinheiro que foi colocado pelos acionistas na companhia.

    Continuando com esse raciocínio, devemos então esperar que, em média, as empresas que geram valor aos seus acionistas tenham um ROE acima da taxa livre de risco brasileira, também chamada de taxa Selic. Na imagem acima podemos ver um exemplo de uma empresa que conseguiu isso na maior parte do tempo.

    Tecnicamente, uma empresa gera valor aos acionista quando o ROE é maior do que o custo de capital exigido pelos acionistas. Mas esse é um assunto um pouco mais complexo, que vamos deixar para outra hora.

     

    Avaliando a rentabilidade através do ROIC

    índice ROIC menor do que ROE
    índice ROIC menor do que ROE – Economatica

     

    Já quando falamos do retorno sobre capital investido, ou ROIC (Return On Invested Capital ), estamos pensando no retorno sobre o capital próprio e de terceiros. Portanto, a análise é em relação ao desempenho do negócio como um todo. A fórmula é:

    ROIC = NOPAT / Capital Investido

    Então vamos ver quem é quem. O NOPAT  é o lucro operacional líquido depois de impostos. Para calculá-lo, multiplicamos o lucro operacional por 1-alíquota média de impostos.

    Já o o Capital investido é à soma do capital próprio mais o capital de terceiros. A fórmula mais rápida de calculá-lo é subtraindo dos ativos totais todos os passivos não financeiros, como contas a pagar, dividendos/jcp a pagar, adiantamento de clientes, etc…

    Mas e agora, o que analisar? ROE ou ROIC ? Os dois. E quanto maiores, melhor. .

    Mas atenção! uma companhia pode ter um ROE muito mais alto do que o ROIC. Este é o exemplo da companhia acima. Quando a empresa toma muitas dívidas para alavancar o seus resultados, o ROIC tende a ser muito menor do que o ROE.

    Por outro lado, se as dívidas tomadas forem muito onerosas, então o ROIC pode se tornar muito maior do que o ROE. E mesmo que o desempenho da operação seja excelente, os juros pagos podem corroer todo valor que deveria ser repassado aos acionistas.

    Por fim, empresas que possuem baixo endividamento tendem a ter essas duas métricas mais próximas, pois o capital de terceiros é muito pequeno frente ao capital atual.

    Além disso, empresas rentáveis que não possuem dívidas podem pagar muitos dividendos e não acumular caixa, o que torna o resultado financeiro da companhia desprezível frente à geração de caixa operacional. Esses dois fatores em conjunto contribuem para que o ROE e ROIC se aproximem.

     

    Conclusão sobre os índices de rentabilidade

    conclusão índices de rentabilidade

    Os índices de rentabilidade são úteis para avaliar quão rentável uma companhia é, tanto no desempenho do negócio como um todo, como na geração de valor para o acionista. Contudo, o investidor atento deve avaliar se essas métricas estão muito distantes uma da outra, pois isso pode indicar que a companhia está tentando gerar valor ao acionista através da alavancagem financeira.

     

     

     

    Rodrigo Wainberg
    Compartilhe sua opinião
    2 comentários

    O seu email não será publicado. Nome e email são obrigatórios *

    • Wilson 26 de maio de 2019

      Excelente dica. Não conhecia esse conceito de valores próximos de ROE e ROIC serem um indicador a ser levado em conta na saudabilidade da empresa.

      Responder
    • Nalbert 12 de setembro de 2020

      Que artigo rico. Deu pra fazer uma comparação ente os dois indicadores e ainda evidenciar uma gestão ruim das dívidas quando essas apresentam juros alto corroendo parte do resultado operacional (EBIT e EBITDA). Praticamente deu uma informação valiosa unindo esses 4 indicadores. Ex: Crescimento do EBIT e EBITDA ou estabilidade dos mesmos em um patamar alto frente aos pares; porém com ROIC muito maior do que o ROE. Isso evidencia que mesmo a empresa melhorando o operacional, a gestão de juros dela pode não está tão boa (vale olhar aqui também a cobertura de juros da empresa), pois as dívidas estão tão onerosas que corroem o excelente resultado operacional da empresa.

      Responder