Acesso Rápido

    O que é e como funciona a imobilização dos recursos não correntes

    O que é e como funciona a imobilização dos recursos não correntes

    Indicadores contábeis como a imobilização dos recursos não correntes auxiliam a compreensão do cenário financeiro no qual uma empresa se insere. Esse tipo de entendimento é o que busca uma análise fundamentalista.

    Com o cálculo da imobilização dos recursos não correntes, é possível saber mais sobre a alocação de capital de uma companhia.

    O que é imobilização dos recursos não correntes

    A imobilização dos recursos não correntes, também conhecida como imobilização de recursos permanentes, representa o capital investido em recursos permanentes. Através desse indicador, pode-se descobrir o quanto de capital próprio ou capital de terceiros a empresa reserva para esses itens.

    Assim, as aplicações nos ativos permanentes serão evidenciadas pelo índice de imobilização de recursos, o qual é calculado através de uma formula.

    Os ativos imobilizados financiados pela empresa também entram no calculo de imobilização. Este é o caso de financiamentos maiores, nos quais a empresa paga os recursos permanentes no longo prazo. Esse tipo de operação contribui para que os empreendedores não aloquem capital próprio na empresa.

    Como calcular a imobilização dos recursos não correntes?

    Para calcular a imobilização dos recursos não correntes, é preciso saber o valor de:

    Quer entender mais sobre o que dizem as informações contábeis em relação a investimentos? Faça o minicurso de contabilidade para investidores.

    A fórmula para o cálculo é:

    • Imobilização dos recursos não correntes = ( Ativo Investimento + Ativo Imobilizado + Ativos Intangíveis ) / ( Patrimônio Líquido + Passivo Não Circulante )

    O resultado da fórmula avalia o nível de imobilização do capital próprio e do capital de terceiros. Logo, quanto maior o número, maior será o grau de imobilização da empresa.

    Análise de itens de imobilização de capital

    Capital de terceiros

    A participação de terceiros na empresa acontece através dos empréstimos e fornecedores. Assim, é possível avaliar o quanto de capital próprio é investido no negócio. O empresário pode estabelecer a relação de cada participação através da formula:

    • Participação de terceiros = ( Passivo Circulante + Passivo Não Circulante ) / Ativo Total

    Assim, quanto mais próxima de 1 for a participação de terceiros, maior é a dependência de empréstimos que tem a empresa. Ou seja, ela não consegue assumir suas despesas por conta própria. É recomendado que se estabeleça uma relação igual ou inferior a 0,5 nesta fórmula.

    O endividamento de curto prazo é um dos compromissos da empresa. E é ideal que ela estabeleça uma relação boa com as dívidas e compromissos. Logo, uma dívida com perfil de curto prazo é um sinal que o empreendedor consegue alocar menos capital de terceiros no seu negócio.

    Ativo Imobilizado

    O Ativo Imobilizado é composto pelos bens tangíveis ou palpáveis. São aqueles bens que necessitam de benfeitorias e que ajudam na rentabilidade da empresa. O ativo imobilizado é apresentado no balanço patrimonial dentro dos ativos não circulantes. Alguns exemplos de ativo imobilizados são: terrenos, veículos, equipamentos e máquinas.

    Ativo Intangível

    Não é um ativo físico, tangível ou palpável. Exemplo de ativos inagitáveis são: direitos autorais, marcas e patentes.

    Conseguiu saber mais sobre imobilização dos recursos não correntes? Deixe suas dúvidas nos comentários abaixo.

    Tiago Reis
    Compartilhe sua opinião
    Nenhum comentário

    O seu email não será publicado. Nome e email são obrigatórios *