Acesso Rápido

    Home equity: entenda como funciona o empréstimo com garantia de imóveis

    Home equity: entenda como funciona o empréstimo com garantia de imóveis
    home-equity

    Com o passar dos anos, surgiram no Brasil novas modalidades de crédito, tanto para pessoas jurídicas como para pessoas físicas. Uma dessas modalidades é a home equity.

    O home equity ainda não é tão popular no Brasil como em outros lugares, mas sua utilização vem crescendo. Esta modalidade permite que o pagamento seja realizado em um prazo elástico e com juros razoáveis.

    O que é home equity?

    Home equity é uma forma de crédito com imóvel de garantia. Com ele, o credor do empréstimo recebe, do devedor, um imóvel como forma de garantia pela operação, tornando-se dono dele até que se pague a dívida.

    Assim, se dá um processo de alienação fiduciária com garantia de imóvel. O devedor transfere o imóvel para o nome do credor até que todas as parcelas da dívida sejam quitadas, acordo que é estabelecido contratualmente.

    Como funciona o home equity?

    O home equity surgiu no Brasil em meados dos anos 2000, quando já era mais conhecido em outros países. Normalmente, as características do home equity são as seguintes:

    1. Os juros são baixos, constituindo, em geral, menos de 2% mensais;
    2. É possível realizar o pagamento com 24 até 80 parcelas.
    3. Nos Estados Unidos, certas financiadoras permitem que a primeira parte seja quitada depois de 3 anos, o que é arriscado no sentido de que o devedor pode acabar se endividando.

    Já quem pede o empréstimo pode utilizar o dinheiro da maneira que desejar. Algumas possibilidades de utilização são:

    • Investimento em negócios;
    • Conseguir capital de giro;
    • Construir ou reformar;
    • Quitar dívidas;
    • Viajar.

    Como é o processo de concessão de empréstimo pelo home equity?

    Para conseguir este empréstimo, é necessário possuir um imóvel quitado em seu nome, uma vez que ele se baseia na garantia de imóvel.

    Normalmente, o passo a passo dentro de um processo de crédito com home equity é:

    1. A financiadora recebe um imóvel de uma pessoa física como garantia;
    2. A financiadora libera para essa pessoa a quantia solicitada, na conta corrente, sem necessidade de haver uma finalidade específica;
    3. O imóvel permanece em nome da financiadora até que a última parcela do empréstimo seja paga. Então, o imóvel volta para o nome do ex-dono.

    Riscos e regras do home equity

    Por ser garantido por um bem físico, o risco desse tipo de crédito é menor. Mas por outro lado, existindo a inadimplência, o devedor pode chegar a perder o seu imóvel como parte do processo de execução da dívida.

    Conforme a financiadora, as regras do home equity variam de acordo com o valor mínimo do imóvel, assim como valores mínimo e máximo do empréstimo. O comprometimento de renda do devedor no pagamento de cada mensalidade também pode variar, ficando, em geral, entre 25 a 30%.

    Sendo assim, para que o imóvel dado em garantia não seja perdido, é necessário que o tomador do empréstimo mantenha uma bom planejamento financeiro para pagar as parcelas de sua dívida.

    Se esse é o seu caso, acesse gratuitamente agora mesmo a planilha da Suno de Controle da Vida Financeira e saiba como organizar melhor as suas despesas, receitas e dívidas.

    Qual a relação entre home equity e hipoteca?

    home equity

    Home equity e hipoteca tradicional são modalidades de empréstimo com imóvel como garantia, mas não são exatamente a mesma coisa. Entretanto, considera-se que o home equity é uma forma de hipoteca.

    A diferença entre home equity e hipoteca tradicional consiste na maneira como o contrato é cumprido:

    • Home equity: a financiadora detém o imóvel por alienação fiduciária enquanto a totalidade da dívida não for paga;
    • Hipoteca: o imóvel ou a propriedade continua como propriedade do credor. Isso representa problemas na esfera judicial, no sentido de as financeiras conseguirem receber a quantia liberada em casos de inadimplência.

    Por isso, pode-se dizer que o home equity é um tipo de garantia mais sólida do que a hipoteca, já que a sua execução em caso de inadimplência não precisa passar por um processo burocrático. No final das contas, isso resulta em uma cobrança de juros menores.

     

     

    Tiago Reis
    Compartilhe sua opinião
    5 comentários

    O seu email não será publicado. Nome e email são obrigatórios *

    • Ronaldo Gomes 30 de março de 2020

      No caso do Home Equidy, a matrícula do imóvel recebe a informação que o imóvel foi dado como garantia?

      Responder
      • Gaspar Motta Filho 23 de abril de 2020

        Ola Ronaldo, tudo bem?

        Sou Gaspar, respondendo sua pergunta, sim é averbado na matrícula a operação através de alienação fiduciária.

        Responder
        • REENAN SCARTEZINI 8 de maio de 2020

          Sim, podendo ser alienado por sistema B3 ou averbado na matricula a operação de alienação fiduciária.

          Responder
    • REENAN SCARTEZINI 8 de maio de 2020

      MUITO BOM!!! OBRIGADO POR COMPARTILHAR TODAS ESSAS INFO.

      Responder
    • Antonio Couto 19 de julho de 2020

      Posso usar o FGTS para quitar parte da dívida de uma operação de home equity / alienação fiduciária?

      Responder