O grupamento de ações tem uma definição bem compreensível, mas quano de fato acontece pode gerar algumas dúvidas para o investidor.

Neste artigo, iremos abordar em especial o que é e quais são as características de um grupamento de ações.

O grupamento de ações é um evento no qual ocorre uma condensação do capital em um número menor de ações com consequente aumento do valor patrimonial da ação. É realizado, geralmente, com o objetivo de ajustar o valor nominal da ação. Ele também pode ser chamado de inplit.

Normalmente, o motivo com que faz ocorrer essa composição é o preço muito baixo do ativo, situação que pode aumentar a volatilidade da ação e, consequentemente, o risco.

Exemplo de grupamento de ações

Imagine uma empresa com ações cotadas na bolsa a R$ 10,00, com lote padrão de 100 ações.

Vamos pensar que, a empresa julga, baseada em seu posicionamento estratégico e histórico, que suas ações estão cotadas a um preço muito abaixo de seu valor de mercado.

Com isso, a empresa decide fazer um grupamento de 5 para 1, o que significa que 5 ações passarão a ser apenas 1, e os preços serão multiplicados por cinco.

Portanto, antes do grupamento, o investidor que possuísse 100 ações cotadas a R$10,00 teria o valor total de R$1000,00.

Diante disso, após o grupamento, o mesmo investidor passaria a ter 20 ações (100/5) cotadas a R$50,00, ou seja, continuaria possuindo os mesmos R$1000,00 investidos.

Por isso, o grupamento, assim como o desdobramento, não altera em absolutamente nada o valor do investimento.

Dois motivos para uma empresa fazer um grupamento de suas ações

O primeiro é para tentar diminuir a volatilidade dos ativos. Dessa forma, a empresa visa melhorar a liquidez de suas ações.

É importante destacar que são possíveis fatores que tendem a aumentar o interesse do investidor pelo ativo. Porém, nada garante se isso irá ou não acontecer.

O outro objetivo pode estar atrelado ao planejamento estratégico da companhia e à suas práticas de governança corporativa.

Com isso, as cotações de suas ações podem estar intimamente ligadas à percepção de valor da empresa por parte dos investidores.

E depois do grupamento de ações, o que acontece?

A quantidade de ações em custódia reduzirá e o preço do ativo aumentará. No entanto, o valor financeiro da sua posição em um determinado ativo ficará inalterado.

Dessa forma, para saber com quantas ações o investidor ficará e qual o novo preço do ativo após este evento é simples.

Suponhamos que você tinha 300 ações e o último preço dela foi de R$ 10,00. Observe na tabela a mudança da quantidade de ações e do preço de acordo com a fração de grupamento.

Grupamento de ações

Veja o grupamento de 2/1. Neste caso você passará a ter 150 ações e o preço da ação será de R$ 20,00. Já em 3/1 você passará a ter 100 ações e o preço da ação será de R$ 30,00. E assim sucessivamente como mostra a tabela.

Muito embora o grupamento aumente o valor de face das ações ele não se sustenta ao longo do tempo, pois, a empresa permanece com os mesmos fundamentos de outrora.

Afinal, não há mudança conjuntural significativa que justifique àquele valor e o que ocorre é uma sensação de supervalorização da ação embora seu valor real seja o mesmo.

Mais informações sobre grupamento de ações podem ser encontradas no site da B3 (Brasil, Bolsa e Balcão). Dentro das informações de cada empresa, mais especificamente em “eventos corporativos” > “proventos em ações/ativo”.

Compartilhe a sua opinião

Tiago Reis

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.