giro de caixa
Por: Tiago Reis

Como o Giro de Caixa indica a eficiência financeira de uma empresa

Para avaliar a qualidade de uma empresa, a análise do fluxo financeiro – ou seja, da entrada e saída de capital no caixa da negócio, é um fator mais do que essencial. Nesse sentido, um dos principais indicadores a serem observados é o chamado índice de Giro de Caixa.

Além de avaliar a eficiência financeira, o Giro de Caixa indica, de forma concisa, o nível de sustentabilidade da empresa – permitindo que investidores e gestores identifiquem possíveis vantagens ou gargalos na operação do negócio.

O que é giro de caixa?

Giro de Caixa é o indicador financeiro que mostra quantos ciclos financeiros o caixa de uma empresa tem por ano. Ele informa o número absoluto de vezes que o capital circula – ou seja, entra e sai do caixa da empresa, em um período de 12 meses.

Esse indicador é muito útil para a análise de empresas que dependem de fluxo de vendas e estoques – como comerciantes, varejistas, distribuidoras e indústrias. Por informar tanto a eficiência operacional como financeira da empresa, o Giro de Caixa também é bastante utilizado para comparar a situação entre concorrentes no mesmo setor.

Quanto mais alto é o Giro de Caixa, maiores as chances da empresa apresentar um resultado sólido e ter uma boa gestão comercial, operacional e financeira. Portando, o Giro de Caixa também é mais uma ferramenta para ajudar na avaliação de potenciais investimentos.

Calculado o Ciclo Financeiro

Por representar a quantidade de vezes que o capital “gira”, o Giro de Caixa é um valor originado a partir de um outro indicador: o Ciclo Financeiro. O Ciclo Financeiro é o prazo médio, em dias, que os recursos da empresa levam para se transformarem efetivamente em dinheiro.

Logo, tanto Ciclo Financeiro quanto o Giro de Caixa dependerão de aspectos operacionais e financeiros da empresa. Entre eles estão a movimentação dos estoques, o fluxo de vendas, o prazo de recebimento dos clientes e o prazo de pagamento para os fornecedores.

Por isso, antes de encontrar o Giro de Caixa de uma empresa, é preciso calcular qual é o Ciclo Financeiro da mesma. A fórmula que determina o Ciclo Financeiro de uma empresa é a seguinte:

  • CCC = DIO + DSO – DPO

Onde:

  • DIO é o prazo médio de estoque;
  • DSO é o prazo médio para receber as vendas;
  • DPO é o prazo médio para pagar os fornecedores.

Dessa forma, o Ciclo Financeiro mostra o tempo entre o desembolso do capital e sua a recuperação ao entrar novamente no caixa. Logo, nesse período a empresa terá que financiar suas despesas com capital próprio ou de terceiros. Por isso, quanto maior for esse tempo, pior para a situação financeira do negócio.

Calculando o Giro de Caixa

Após determinar quantos dias duram o Ciclo Financeiro da empresa, começa o cálculo do seu Giro de Caixa.

A fórmula para encontrar o Giro de Caixa é bastante simples:

  • GC = 365/CCC

Onde:

  • 365 é o número de dias em um ano.
  • CCC é o Ciclo Financeiro;

Para exemplificar o cálculo, suponha que uma loja apresenta as seguintes condições:

  • Prazo médio de estocagem: 40 dias;
  • Prazo médio de pagamento a fornecedores: 45 dias;
  • Prazo médio de recebimento de vendas: 30 dias.

Logo, o CCC da empresa é de 48 + 45 – 30 = 73 dias.

Dividindo os 365 dias por ano pelos 73 dias do ciclo financeiro, temos que:

  • GC = 365/73 = 5

Logo, índice de giro de caixa é 5. Ou seja, a empresa consegue girar o seu caixa 5 vezes por ano.

Como analisar o Giro de Caixa?

Com mais dinheiro circulando pelo caixa, a necessidade da empresa se financiar com recursos externos ao negócio é menor – afastando despesas com financiamentos e juros bancários, por exemplo. Por isso, quanto maior o Giro de Caixa, melhor será a situação financeira da empresa.

Ou seja, quanto mais distante for o pagamento aos fornecedores, mais próximo for o recebimento dos clientes e menos estoque estiver parado, mais dinheiro estará disponível para a empresa continuar funcionando. Logo, um Giro de Caixa grande demonstra a eficiência do negócio em gerar recursos para se sustentar.

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.

4 comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Thiago Moura 3 de abril de 2020

    Ótimo artigo, de fácil entendimento, principalmente para pessoas leigas, porem, há informações que se contradizem, erros gramaticais e de dados, o ideal seria uma revisão neste material só para corrigir esses erros.

    Ao mais, está perfeito.

    Responder
  • Arthur 26 de abril de 2020

    Acho que a conta foi feita errada, ou pode ser um erro meu, tava estudando pelo sebrae e para conseguir o ciclo financeiro temos uma equação. *PME+PMR-PMP= Ciclo financeiro* se eu estiver errado me corrijam por favor.

    Responder
  • MARIA LUIZA SOARES BUENO 22 de maio de 2020

    sE TENHO UM,A CONTA E NO EXTRATO APARECE GIRO DE CAIXA 12.000,00 O QUE É?

    Responder
  • Ryan Robert 6 de agosto de 2020

    Esse cálculo CCC está com 48 ao invés de 40 (número de dias de estoque).

    Responder
Leia Mais...
Outras Seções

Ações

208 artigos
Ações

FIIs

55 artigos
FIIs
kisspng-warren-buffett-business-stock-nebraska-sales-warren-buffett-5b5ea4d6586671.9006389715329292383621

eBook Gratuito

Invista Como
Warren Buffett

Aprenda a usar a estratégia do Value Investing, usada pelo maior investidor do mundo!

Frame

NÃO VÁ EMBORA AINDA...

Inscreva-se e receba Grátis conteúdo exclusivo sobre Poupança, Ações, Economia e muito mais!