fusões e aquisições

O termo fusões e aquisições é muito comum dentro do mundo corporativo. Ele também pode ser chamado de M&A (advindo do inglês “merges and acquisitions”).

As fusões e aquisições referem-se à consolidação de uma empresa ou ativos através de vários tipos de transações financeiras. Essas operações permitem que empresas inteiras sejam vendidas, concentradas ou compradas.

O M&A também pode se referir ao departamento de uma instituição financeira que lida exclusivamente com essas operações.

Afinal, o que são fusões e aquisições na prática?

fusões e aquisições

Afinal, o que são fusões e aquisições na prática?

Antes de iniciarmos é preciso que entendamos o significado dessas duas palavras separadamente. A seguir, temos a definição de alguns dos temos ligados a esse conceito:

  • Fusões: a fusão é uma técnica de reorganização empresarial, caracterizada pela junção de duas ou mais empresas em uma nova. Com essa ocorrência, acontece o desaparecimento das empresas que se fundiram, dando lugar a uma outra sociedade. Exemplos brasileiros: BRF (Sadia + Perdigão), Itaú Unibanco (Itaú + Unibanco).
  • Aquisições: a aquisição ocorre quando a empresa adquirente obtém a participação majoritária numa empresa adquirida. Nesse caso, não há mudança no nome da adquirente ou de sua estrutura legal. Exemplos brasileiros: compra do HSBC pelo Bradesco; Itaúsa compra o controle majoritário da Alpagartas.
  • Oferta pública: ao realizar uma oferta pública, uma empresa oferece a compra das ações em circulação da outra empresa a um preço específico. A empresa compradora comunica a oferta diretamente aos acionistas da outra empresa. Exemplo brasileiro recente: oferta realizada pela LATAM aos acionistas da Multiplus.

Desse modo, na prática, as fusões são muito mais incomuns que as aquisições. Além disso, essa ultima pode ser vista e analisada muito mais antecipadamente que a primeira.

No Brasil, a partir dos próximos anos, a expectativa é que o processo de M&A nas empresas se acelere. Dois são os fatores principais desse fenômeno. O primeiro deles são as privatizações de empresas estatais. O segundo é o aumento da competitividade internacional a partir de uma maior abertura comercial brasileira.

Vantagens obtidas nas fusões e aquisições

fusões e aquisições

Vantagens obtidas nas fusões e aquisições

O processo de M&A muitas vezes é motivado por uma série de razões. Normalmente ele é visto como uma forma de solucionar questões relacionadas ao aumento da competitividade e oportunidade de crescimento de uma empresa.

O primeiro grande motivador são os aumentos de sinergias. Nesses casos, quando duas ou mais empresas decidem fundi-se ou serem adquiridas, a empresa formada é maior que a anteriormente vista.

Em conseqüência disso, uma série de custos e gargalos operacionais podem ser mais rapidamente solucionados.

Por exemplo, custos fixos importantes como sedes corporativas podem ser economizados, bastando existir apenas uma.

Além disso, esse processo pode levar a um aumento competitivo e poder de barganha maior perante aos fornecedores.

Como os fornecedores normalmente passarão a depender muito mais de uma companhia que agora possui uma maior escala, a sua matriz de receitas poderá ser adversamente prejudicada em caso de quebra de contrato de fornecimento.

No Brasil, existe uma autarquia federal responsável por orientar, fiscalizar e prevenir abusos do poder econômico que por ventura poderiam surgir de um processo de M&A. O nome dessa autarquia é CADE (Conselho Administrativo de Defesa Econômica).

Por fim, agora entendemos mais sobre o importante processo de fusões e aquisições, além de sua importância e principais motivações sobre o ponto de vista das empresas.

Compartilhe a sua opinião
Tiago Reis

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.