fundo de ações

Fundos de investimento são uma ótima opção para aplicar seu dinheiro com segurança e obter boas rentabilidades. Quando falamos em renda variável, a principal alternativa nesse sentido é o investimento em fundo de ações.

Como investir na bolsa pode parecer um pouco complicado, um fundo de ações pode ser uma ótima alternativa para procura praticidade sem abrir mão de uma boa gestão dos seus investimentos.

O que é um fundo de ações?

Um Fundo de Investimento em Ações, também conhecido pela sigla FIA, é um fundo de investimento que possui pelo menos 67% do seu capital investido em ações da bolsa de valores. O fundo de ações é administrado por um gestor profissional, que decide como alocar dos recursos dos investidores – escolhendo quais ações o fundo vai comprar ou vender.

Ou seja, um fundo de ações reúne um grupo de investidores, chamados de cotistas, que desejam investir em renda variável. Ao comprar cotas desse fundo, os investidores entregam seu capital para uma empresa gestora de investimentos, que fica responsável por montar e administrar uma carteira de ações negociadas na bolsa.

Quais são os tipos de fundo de ações?

Os fundos de ações são divididos em quatro categorias principais:

Fundos ativos

Compostos por ações escolhidas pelo gestor do fundo, com o objetivo de igualar ou superar um índice de referência (benchmark). Um fundo ativo pode ser de vários tipos, cada um com uma estratégia de investimento diferente, como:

Fundos passivos

composto por ações listadas em um índice específico da bolsa, como o Ibovespa, IBrX-50, entre outros. Também são chamados de fundos indexados, já que só replicam a performance de um indicador.

Fundos de investimento no exterior

composto por pelo menos 40% de ações e índices de ações negociadas em bolsas estrangeiras.

Fundos específicos

compostos por grupos fechados de ações ou outros ativos negociados na bolsa de valores;

Vantagens dos fundos de ações

Investir em fundo de ações oferece uma série de benefícios para seus cotistas. Conheça algumas delas:

  • Gestão feita por profissionais especialistas em investimentos;
  • Maior possibilidade de diversificação de carteira;
  • Acesso a mais ativos e ações da bolsa com uma quantia menor de recursos;
  • Diluição dos custos;
  • Rentabilidade atrativa;
  • Segurança e praticidade para investir.

Taxas cobradas de um fundo de ações

Cada fundo pode definir livremente as taxas que serão cobradas sobre os cotistas. As principais são:

  • Taxa de administração: valor referente os gastos com a manutenção do fundo e a remuneração dos gestores. Normalmente gira em torno de 1% a 2% do capital investido no fundo, por ano;
  • Taxa de performance: bonificação cobrada somente se a meta de rendimento do fundo for atingida – como por exemplo, superar o índice Ibovespa. Costuma ser de 20% sobre os rendimentos que ultrapassarem a meta do fundo;
  • Taxa de entrada e saída: valor para entrar no fundo ou resgatar as cotas antes da data limite. Não são taxas comuns, mas pode ser cobrada dependo do fundo;

Tributação dos fundos de ações

Assim como nos outros investimentos de renda variável, a cobrança do Imposto de Renda nos fundos de ações é de 15% sobre os rendimentos obtidos. A taxa é fixa para qualquer valor e incide somente quanto as cotas são resgatadas.

Além do Imposto de Renda, os fundos de ações também sofrem a incidência do IOF – Imposto sobre Operações Financeiras, para resgates com menos de 30 dias.

Vale a pena investir em um fundo de ações?

Em um ambiente de grande volatilidade como a bolsa de valores, ter a segurança e a confiabilidade de um fundo pode ser essencial para os seus rendimentos.

Mesmo com custos razoáveis e uma liquidez mais rígida, um fundo de ações é uma alternativa muito interessante. Principalmente para quem não conhece bem o mercado financeiro, essa pode ser ótima maneira para começar a investir em renda variável.

Compartilhe a sua opinião
Tiago Reis

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.