Fundo ativo

Para muitos investidores, a melhor maneira de investir é através de fundos de investimento. Mas como escolher entre um fundo ativo ou passivo?

O investimento em fundo ativo tem perdido espaço para os fundos de índice pelo mundo pelo baixo rendimento frente ao mercado. No entanto, podem ser uma opção de investimento se o investidor souber escolher um bom fundo.

O fundo ativo é o que escolhe uma gestão ativa para os investimentos. Ou seja, possui um gestor que realiza uma análise dos melhores investimentos para compor a carteira e a gerencia. O objetivo desse gestor é conseguir rendimentos acima do benchmark no curto e longo prazo.

Dessa forma, os fundos ativos se contrapõem aos fundos passivos, que investem em índice e possuem apenas o retorno do mercado.

Ao investir em um fundo ativo o investidor está diversificando seu portfólio e contratando um gestor de seu patrimônio. Por ser um profissional, espera-se que esse gestor consiga retornos acima do mercado. Em outras palavras, acima do seu benchmark.

Por benchmark entende-se o índice que representa esse mercado. Ou seja, para um fundo de ações é o índice Ibovespa. Já para um fundo de renda fixa é a Selic, ou o CDI.

No entanto, essa contratação tem um custo. Para o gestor ter um fundo, ele precisa de uma equipe de análise, um escritório, seguir burocracias e etc. Por isso, o fundo cobra uma taxa de administração. Que variam em média de 0,5% a 4%, dependendo do fundo.

Além disso, muitos fundos também cobram uma taxa de performance em geral em torno de 10% a 20%. Ou seja, do percentual que o fundo conseguiu acima do seu benchmark, é descontado o percentual da taxa de performance.

O objetivo é que o retorno seja o bastante para que mesmo com as taxas esteja acima do mercado.

Escolhendo um fundo ativo

A proposta dos fundos ativos é gerar um retorno acima do mercado para os cotistas mesmo depois de descontada as taxas. Mas nem sempre isso acontece.

No mundo, o investimento passivo tem ganhado espaço pela dificuldade dos gestores em entregar resultados acima do mercado.

Já no Brasil, alguns fundos cobram taxas abusivas que corroem o retorno dos investidores. É o caso de fundos que cobram até 4% de taxa de administração.

Isso não significa que o investimento ativo seja ruim. Um dos grandes expoentes do investimento ativo é Warren Buffett, um dos maiores investidores e um dos homens mais ricos do mundo.

Um bom gestor é capaz se conseguir consistentemente retornos acima do mercado. Por isso, é muito importante saber quem está gerindo o fundo.

Ao analisar um gestor, é preciso ver a quanto tempo ele está no mercado e qual foi a sua rentabilidade média por ano. Apenas um ou dois anos de boa performance não mostram a qualidade do gestor.

Além disso, é preciso fugir de fundos que cobram altas taxas de administração, principalmente se o tipo de investimento não requer uma gestão muito ativa, como fundos DI.

Por fim, o fundo ativo pode ser uma opção de investimento para conseguir retornos bem acima do mercado. Mas para isso, é preciso escolher um fundo com um bom gestor e com custos que compensem o investimento. Infelizmente, isso é muito difícil.

Compartilhe a sua opinião
Tiago Reis

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.