FMI

Imagine diversos países se unindo para criar um fundo que pudesse ajudá-los em momentos de dificuldade financeira. Este é o conceito do FMI, conforme explicam os livros.

A sigla FMI significa Fundo Monetário Internacional, tradução para o português do nome “Internacional Monetary Bank”.

O FMI é responsável por regular e atuar diretamente no funcionamento do sistema financeiro mundial. O seu objetivo é evitar desequilíbrios no setor financeiro e nos sistemas cambiais, facilitando o comércio internacional e fomentando o crescimento econômico sustentável.

Atualmente, 188 países são aliados da organização.

Cada uma das nações signatárias é responsável por enviar um montante financeiro para a manutenção do fundo. Esse valor irá variar de acordo com os indicadores econômicos deste país.

Cada país possui direito a voto, mas a sua relevância variará de acordo com o montante com o qual contribui.

Isso quer dizer que, quanto mais dinheiro um país tem, maior será a sua influência dentro do FMI.

No entanto, os Estados Unidos idealizador da instituição, são o único país com poder de veto no FMI.

A criação do FMI

FMI

Uma guerra sempre traz muitas perdas, tanto pessoais quanto econômicas.

Então, após o fim da Segunda Guerra Mundial, os Estados Unidos teve receio quanto aos impactos financeiros e econômicos que tal destruição geraria.

Assim, reuniu os países aliados para tentar encontrar uma forma de minimizar os danos causados pelo período bélico.

O FMI foi criado em julho de 1944, na conferência de Bretton Woods, em New Hampshire, nos Estados Unidos.

Na mesma ocasião foram criados ainda o Banco Mundial, o Banco Internacional para Reconstrução e Desenvolvimento (BIRD) e o GATT, atual Organização Mundial do Comércio (OMC).

O intuito desta organização era evitar uma nova crise econômica como a vivida em 1929, uma vez que os países poderiam se valer das reservas ali instituídas.

Atualmente, uma das atribuições do FMI é acompanhar a política econômica dos países membros. Assim, periodicamente, a instituição faz recomendações aos seus signatários.

Além disso, o órgão desenvolve pesquisas, promove levantamentos estatísticos e divulga previsões econômicas, tanto de modo global quanto país a país.

Empréstimos do FMI

FMI

O FMI é bastante conhecido pelos empréstimos que fornece aos países que fazem parte do fundo e passam por problemas financeiros.

O objetivo destas transações é auxiliar as nações com problemas econômicos.

O próprio Brasil já pegou dinheiro emprestado com o FMI, mas também com o Banco Mundial e o BIRD.

A dívida com o FMI foi quitada em 2005, com o pagamento de US$15,5 bilhões.

Apesar de ter sido criado para ajudar, o FMI possui uma série de regras e condições para a liberação dos empréstimos.

Entre elas então o corte de gastos públicos, com a redução funcionários do Estado e privatização de empresas públicas e aumento de impostos.

Tais medidas são altamente impopulares.

Isso faz com que pedir auxílio ao FMI afete a aprovação do político responsável pela solicitação, por parte da população.

Apesar de controverso, o fato é que muitos países se valem do FMI, o Fundo Monetário Internacional, em casos de caos econômico.

Compartilhe a sua opinião
Tiago Reis

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.