AnalisesConhecimento

Você sabe o que é o fluxo de caixa de investimentos?

By 9 de fevereiro de 2018 No Comments

Analisar o fluxo de caixa talvez seja uma das principais ferramentas de verificação da saúde financeira de uma empresa. Ele demonstra efetivamente o dinheiro que realmente entra ou sai do caixa de uma companhia, proporcionando uma visão clara ao analista sobre o processo de circulação de dinheiro. Então é nesse aspecto que entra o papel do demonstrativo de fluxo de caixa de investimentos.

O fluxo de caixa de investimentos é uma seção que fica localizada nos demonstrativos de fluxo de caixa de uma empresa. É nessa parte onde o analista ou investidor irá examinar a quantidade de dinheiro que a empresa gasta com despesas de capital, tais como aquisição de novos equipamentos ou qualquer outro ativo que necessite para manter a operação.

É no demonstrativo de fluxo de caixa de investimentos onde é possível observar as despesas com ativos fixos de uma companhia. Essas despesas sempre serão lançadas com um número negativo, porque representam gastos, acarretando o esvaziamento do caixa.

Também estão incluídos nessa seção a categoria de “demais itens de fluxo de caixa de investimentos”, que de modo geral, representa a soma de todo o dinheiro gasto e recebido pela compra e venda de ativos que geram receita.

Nesses casos, se há mais saída que entrada, o número será negativo. Se houver mais entrada do que saída, o número será positivo.

Despesas com ativos fixos: importante dado para ser acompanhado

De forma geral, as despesas com ativos fixos são valores pagos por ativos imobilizados, tais como máquinas ou imóveis. Também pode ser inclusas as despesas com ativos intangíveis, tais como concessões ou patentes. Essas despesas como foi dito, estão localizadas na demonstração de fluxo de caixa nas operações de investimento.

Quando falamos em despesas com ativos fixos, nem todas as empresas são iguais. Na verdade, pode haver uma diferença gritante entre dois setores diferentes. Alguns tipos de empresas, por terem altas taxas de depreciação e amortização, precisam fazer enormes despesas com ativos fixos somente para continuarem operando.

Na verdade, toda empresa, no longo prazo, necessita reinvestir capital a uma taxa que cubra pelo menos as despesas com depreciação. Se ela não faz ao menos isso, poderá provocar uma artificial elevação da geração de caixa no curto prazo. No entanto, estará colocando a operação da empresa numa situação onde a prejudicará bastante no futuro.

Empresas com baixas necessidades de capital podem ser interessantes

Quase que de modo geral, para dar continuidade às suas operações, uma empresa que possui vantagem competitiva durável gasta uma fatia menor do seu lucro com despesa de ativos fixos do que outra que não possui a mesma vantagem.

Para esses casos, observem as empresas de siderurgia e mineração. Essas companhias gastam montantes enormes de capital em comparação aos seus lucros para manterem-se competitivas dentro do mercado.

Então, ao olhar os demonstrativos de uma empresa é muito importante observar a dinâmica do fluxo de caixa de investimentos, pois essa seção te fará ter uma noção melhor sobre a atual situação de uma empresa quanto a sua dinâmica de investimentos e desinvestimentos. É também lá onde podemos ver se a empresa possui uma boa perspectiva de crescimento futuro ou se está apenas estagnada ou depreciando os seus ativos.

 

 

 

Compartilhe a sua opinião

Tiago Reis

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.