Nesta semana, faremos uma Live especial com 02 profissionais do mercado de capitais: GUILHERME MEIBAK e JORGE BRIHY, onde traremos uma abordagem sobre toda indústria de Fundos de Fundos (FOFs) no Brasil, com apresentação de números importantes desta subclasse presente nos FIIs.

Link Direto para a Live (12 de jul/18 às 21h): CLIQUE AQUI – AO VIVO

Segue a nossa saga!

Chegamos agora ao Artigo nº 05 comparando Ações com FIIs, lembrando que esta abordagem tem foco exclusivamente didático, visto que alguns investidores têm dificuldades de visualizarem os Fundos Imobiliários como alternativa dentro de uma Carteira Previdenciária.

Nesta semana, traremos comparações entre os Fundos de Recebíveis (CRIs), conhecidos também como “Fundos de Papéis” com alguns clássicos e importantes Fundos de Renda Fixa presentes no mercado.

Tenho absoluta certeza que muitos de vocês irão se surpreender com os resultados que serão apresentados logo a seguir.

Em primeiro lugar, vale relembrar que um Fundo de CRI tem uma natureza pulverizada de riscos implícitos focados no Crédito Privado com Lastro e Garantias imobiliárias.

Seus benchmarks, via de regra, são o CDI e Índices de Inflação, sendo o mais comum encontrarmos IGPM + 6%. De toda forma, o nosso foco será comparar FIIs com outros Fundos que tenham aderência entre si em suas Políticas de Investimentos.

1ª Comparação

  • KNCR11 (Investimento Mínimo = 1 cota = R$ ~105,00)
  • Fundo Mix Plus Crédito Privado LP RF (Investimento Mínimo = R$ 500 mil)
  • CDI (base 85%)

Fonte: Economatica – Suno Research

2ª Comparação:

  • VRTA11 (Investimento Mínimo = 1 cota = R$ ~106,00)
  • Fundo BB RF LP Índice de Preço Estilo (Investimento Mínimo = R$ 1 mil)
  • IGPM + 6%
  • CDI (base 85%)

Fonte: Economatica – Suno Research

Apesar de não termos colocado nos gráficos, os Fundos de CRIs (especialmente com papéis de inflação) possuem também forte aderência ao benchmark “IMA-B” com resultados históricos bem alinhados.

Um ponto importante a ser observado e que gostamos sempre de destacar é o fato de que os Fundos Imobiliários são um dos investimentos mais democráticos do mercado financeiro, oferecendo uma excelente relação de risco/retorno.

Mais uma vez, pedimos que compartilhem estes artigos e conto com a sua participação e interação, especialmente para aqueles que ainda estão em dúvida se é mesmo bom investir em Fundos Imobiliários pensando em uma Carteira Previdenciária ancorada no longo prazo.

Na próxima semana, vamos finalizar a nossa saga (06 artigos) comparando o segmento Educacional (Ações x FIIs).

ESPERO POR VOCÊ!

Participe de nossas Lives no Canal do Youtube da Suno Research sobre Fundos Imobiliários às quintas-feiras às 21h e aproveite para tirar ainda mais dúvidas sobre tudo que foi abordado neste artigo.

Além disto, temos Relatórios e Radares bem completos que são publicados semanalmente, trazendo destaques dos principais Fundos Imobiliários negociados no mercado brasileiro.

Compartilhe a sua opinião
Marcos Baroni

Marcos Baroni

Marcos Baroni, professor há 20 anos em cursos de Graduação e MBA nas áreas de Gestão de Projetos e Processos. Graduado na área de Tecnologia da Informação e pós graduado em Educação, investe no mercado financeiro desde o início de sua carreira e há 10 anos leva conhecimento por várias cidades do Brasil sobre como conquistar a Independência Financeira.